Publicidade

Arte

Home > Cultura > null

'Imortais' da Academia Amazonense de Letras lançam livros, em Manaus

Outros títulos serão publicados ao lango do ano, todos em comemoração ao centenário da entidade

Diego Oliveira

jornalismo@portalamazonia.com


A Academia Amazonense de Letras (AAL) realizou neste sábado, (16), o lançamento de quatro títulos inéditos escritos por 'imortais' da entidade. O evento aberto ao público, contou com a presença dos autores que fizeram uma apresentação prévia das obras.


Os títulos lançados neste sábado foram: ‘Cotidiano Pitoresco’, de Mazé Mourão;‘Álvaro Maia: Canção de Fé e Esperança’, de Cármen Novoa; 'Amazônia Fragmentos da História', de Abrahim Baze e  ‘Envelhecer É Um Privilégio (Parte 1)’, de Euler Ribeiro e Ivana Mânica da Cruz.



No livro 'Cotidiano Pitoresco', a jornalista Mazé Mourão reúne crônicas leves, cativantes e despretensiosas, e dessa forma, consegue se aproximar do leitor. Dentre os textos da obra, alguns foram publicados na coluna semanal que Mazé escreve com exclusividade para o Portal Amazônia. “A crônica é um gênero que nos permite tocar as pessoas de uma forma única. Fico emocionada, pois, o meu livro está saindo com o selo centenário da Acadêmia de Letras”, afirmou.

Já a pesquisadora, Carmen Novoa Silva, apresentou ao público, a obra 'Álvaro Maia: Canção de Fé e Esperança', que mostra a faceta poética do amazonense Álvaro Botelho Maia.  “O livro é direcionado apenas ao perfil de seu poetismo. É uma edição comemorativa do discurso inesquecível que ele fez no Teatro Amazonas. Durante a minha pesquisa, percebi que muitas publicações não abordavam esse momento”, explicou Carmen. 

Qualidade de vida é o foco do livro escrito pelo médico Euler Ribeiro e a geneticista Ivana Mânica da Cruz. Em 'Envelhecer é um privilégio', a dupla aponta os caminhos para a longevidade por meio da educação e informação. A linguagem direta do texto traduz os termos científicos, tornando pleno o entendimento pelo público leitor.   
Fechando as apresentações, o historiador Abrahim Baze falou sobre a importância da pesquisa para a literatura amazônida. Na ocasião, ele mostrou ao público sua obra 'Amazônia – fragmentos da história', que visualiza aspectos interessantes da vida cultural, social, econômica, política e empresarial do Amazonas e de Manaus.


Centenário da AAL

De acordo com o presidente da AAL, Robério Braga, outros títulos serão publicados ao lango do ano, todos em comemoração ao centenário da entidade. Inclusive, para massificar o marco, a sede do AAL, localizado na Rua Ramos Ferreira, 1009, Centro, receberá uma programação especial com performances artísticas, grupos de poesia, visitas guiadas, entre outros.

“O publico busca conhecer mais sobre a produção literária amazonense. As pessoas perguntam pelas redes sociais sobre as nossas atividades, e isso é gratificante. Perceber  que a população aprova este trabalho, e também o cobra, é de uma felicidade imensa, só podemos ficar gratos” , destacou  Braga.


Público


O CEO da Rede Amazônica Phelippe Daou Júnior esteve presente para pegar os autógrafos dos 'imortais'. Ele destacou o trabalho feito pelo historiador Abrahim Baze e a jornalista Mazé Mourão. "Fico muito feliz, pois, estamos cumprindo a nossa função como empresa de comunicação voltado para a Amazônia, ou seja, trabalhando de acordo da nossa essência. São dois profissionais excepcionais  que agregam valor e conteúdo ao grupo. Tenho certeza que o Amazonas está bem representado por eles. Espero que a sociedade veja esse exemplo de garra e amor pela região", disse.

Todos os presentes na apresentação garantiram uma cópia de cada livro. A universitária Tayanne Farias não perdeu tempo e pediu para os autores autografarem seus livros. "Eu acho muito importante que as pessoas compareçam a esse tipo de evento, afinal, são rastros da história do nosso Estado. Ainda mais com a programação que o espaço receberá nos próximos meses", comentou.  
Arte

'Imortais' da Academia Amazonense de Letras lançam livros, em Manaus

Outros títulos serão publicados ao lango do ano, todos em comemoração ao centenário da entidade


A Academia Amazonense de Letras (AAL) realizou neste sábado, (16), o lançamento de quatro títulos inéditos escritos por 'imortais' da entidade. O evento aberto ao público, contou com a presença dos autores que fizeram uma apresentação prévia das obras.


Os títulos lançados neste sábado foram: ‘Cotidiano Pitoresco’, de Mazé Mourão;‘Álvaro Maia: Canção de Fé e Esperança’, de Cármen Novoa; 'Amazônia Fragmentos da História', de Abrahim Baze e  ‘Envelhecer É Um Privilégio (Parte 1)’, de Euler Ribeiro e Ivana Mânica da Cruz.



No livro 'Cotidiano Pitoresco', a jornalista Mazé Mourão reúne crônicas leves, cativantes e despretensiosas, e dessa forma, consegue se aproximar do leitor. Dentre os textos da obra, alguns foram publicados na coluna semanal que Mazé escreve com exclusividade para o Portal Amazônia. “A crônica é um gênero que nos permite tocar as pessoas de uma forma única. Fico emocionada, pois, o meu livro está saindo com o selo centenário da Acadêmia de Letras”, afirmou.

Já a pesquisadora, Carmen Novoa Silva, apresentou ao público, a obra 'Álvaro Maia: Canção de Fé e Esperança', que mostra a faceta poética do amazonense Álvaro Botelho Maia.  “O livro é direcionado apenas ao perfil de seu poetismo. É uma edição comemorativa do discurso inesquecível que ele fez no Teatro Amazonas. Durante a minha pesquisa, percebi que muitas publicações não abordavam esse momento”, explicou Carmen. 

Qualidade de vida é o foco do livro escrito pelo médico Euler Ribeiro e a geneticista Ivana Mânica da Cruz. Em 'Envelhecer é um privilégio', a dupla aponta os caminhos para a longevidade por meio da educação e informação. A linguagem direta do texto traduz os termos científicos, tornando pleno o entendimento pelo público leitor.   
Fechando as apresentações, o historiador Abrahim Baze falou sobre a importância da pesquisa para a literatura amazônida. Na ocasião, ele mostrou ao público sua obra 'Amazônia – fragmentos da história', que visualiza aspectos interessantes da vida cultural, social, econômica, política e empresarial do Amazonas e de Manaus.


Centenário da AAL

De acordo com o presidente da AAL, Robério Braga, outros títulos serão publicados ao lango do ano, todos em comemoração ao centenário da entidade. Inclusive, para massificar o marco, a sede do AAL, localizado na Rua Ramos Ferreira, 1009, Centro, receberá uma programação especial com performances artísticas, grupos de poesia, visitas guiadas, entre outros.

“O publico busca conhecer mais sobre a produção literária amazonense. As pessoas perguntam pelas redes sociais sobre as nossas atividades, e isso é gratificante. Perceber  que a população aprova este trabalho, e também o cobra, é de uma felicidade imensa, só podemos ficar gratos” , destacou  Braga.


Público


O CEO da Rede Amazônica Phelippe Daou Júnior esteve presente para pegar os autógrafos dos 'imortais'. Ele destacou o trabalho feito pelo historiador Abrahim Baze e a jornalista Mazé Mourão. "Fico muito feliz, pois, estamos cumprindo a nossa função como empresa de comunicação voltado para a Amazônia, ou seja, trabalhando de acordo da nossa essência. São dois profissionais excepcionais  que agregam valor e conteúdo ao grupo. Tenho certeza que o Amazonas está bem representado por eles. Espero que a sociedade veja esse exemplo de garra e amor pela região", disse.

Todos os presentes na apresentação garantiram uma cópia de cada livro. A universitária Tayanne Farias não perdeu tempo e pediu para os autores autografarem seus livros. "Eu acho muito importante que as pessoas compareçam a esse tipo de evento, afinal, são rastros da história do nosso Estado. Ainda mais com a programação que o espaço receberá nos próximos meses", comentou.  

TAG manausamazonasacademia amazonense de letraslancamentolivro