Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Domingo, 09 Mai 2021

Covid-19: MPAM abre canal exclusivo de denúncias sobre coronavírus

As mensagens serão recebidas diretamente pelo CAO-PDC, que é a coordenação das promotorias que atuam nas áreas de proteção e defesa dos direitos constitucionais do cidadão

No Mato Grosso, falso curandeiro chantageia crianças e adolescentes pelo whatsapp

Um falso curandeiro está utilizando o aplicativo de mensagens “WhatsApp” para fazer com que crianças e adolescentes em Mato Grosso enviem fotos e vídeos íntimos com a ameaça de serem amaldiçoados.

Segundo a Polícia Civil do Estado, já foram registrados dez boletins de ocorrência no município de Várzea Grande e há registros similares em outros locais da Baixada Cuiabana.

O delegado Cláudio Alvares Sant'Ana explica como a pessoa age. “O suspeito entra em contato com as vítimas, geralmente do sexo feminino, crianças e adolescentes, e afirma que foi contratado para fazer um trabalho espiritual para que a vítima fique paraplégica, na cadeira de rodas, ou perca todo o cabelo. No sentido de não fazer esse trabalho espiritual, o suspeito solicita que a vítima encaminhe fotos da sua pessoa nua. Como as vítimas tem pouca idade, tende a acreditar no suspeito e a realizar o que ele está pedindo," disse.

O delegado informou que as investigações do caso estão avançadas e que não pode dar outras informações para não atrapalhar o andamento.

Depois de identificado e preso, o suspeito deve responder pelos crimes de constrangimento ilegal e ainda por “receber e ter armazenado fotos e vídeos de crianças e adolescentes em situação de nudez”, previsto no Estatuto da Criança e Adolescente.

A Polícia Civil também orienta os pais e responsáveis a conversarem com os filhos para que nunca forneçam documentos a estranhos, nomes e endereços e que jamais atendam a exigências ou chantagens feitas por telefone ou mensagem.

Além disso, é importante monitorar o acesso das crianças às redes sociais e saber com quem elas estão se relacionando.

Whatsapp cria alternativa para combater fake news

O aplicativo de mensagens WhatsApp vai passar a ter um limite de destinatários para o encaminhamento de mensagens. Segundo a empresa, de propriedade do Facebook, o objetivo com isso é reduzir a disseminação de notícias falsas. A novidade foi anunciada na última semana pela empresa por meio de seu blog institucional. 

O Whatsapp é a segunda maior rede social do planeta, com 1,5 bilhão de usuários. A plataforma perde apenas para o Facebook, com 2,2 bilhões de pessoas inscritas. No Brasil, são mais de 100 milhões de pessoas com o aplicativo.


Foto: Divulgação

Até antes da mudança, uma mensagem poderia ser repassada a até 250 chats (conversas, que podem ocorrer com pessoas ou grupos) de uma vez. Com a limitação, o número será de 20 chats quando alguém desejar encaminhar um texto recebido.

Na Índia, a restrição será maior, com o encaminhamento sendo permitido somente cinco chats. Também haverá uma alteração na ferramenta de repasse, retirando a opção de perto das mensagens. O país registrou casos de linchamentos e assassinatos a partir de boatos disseminados pelo WhatsApp, o que colocou o aplicativo em questão e gerou debates em diversos países.

“Nós acreditamos que essas mudanças, que nós vamos continuar avaliando, vão ajudar a manter o WhatsaApp no sentido do que ele foi desenvolvido para ser: um aplicativo de mensagens privadas”, afirmou a empresa em seu blog.

O app vem sendo apontado por especialistas e autoridades como um dos canais mais potentes de difusão de notícias falsas. Entre os fatores que abririam espaço para esse tipo de prática estariam a facilidade de repassar as mensagens e a ausência de identificação desse tipo de procedimento, o que favoreceria uma lógica de mensagens sem autoria.

Para lidar com o segundo problema, na semana passada o WhatsApp já havia anunciado que as mensagens repassadas passariam a ser identificadas enquanto tal. “Esta indicação extra tornará conversas individuais e em grupo mais fáceis de serem seguidas”, argumentou a empresa em seu blog institucional.

Whindersson Nunes revela primeira coisa que comprou com o dinheiro da web

Neste domingo (20), o youtuber Whindersson Nunes participou do programa Tamanho Família, que é comandado por Marcio Garcia. Ele foi acompanhado dos pais, Hidelbrando e Valdenice, e da esposa Luísa Sonza. No palco, o comediante se emocionou com a homenagem dos familiares e ao falar das dificuldades que já enfrentou antes da fama.
Foto:Reprodução/iBahia
No programa, Whindersson relembrou a origem humilde, falou sobre momentos do início de sua carreira e o que fez com o primeiro dinheiro que conquistou com seu trabalho na web. "Era Dia dos Pais, e eu falei: 'Mãe, vamos dar uma televisão para o pai?'. A gente tinha uma tv pequenininha, há 14 anos a mesma televisão em casa... Era aquela que quando quebra o botão tem que apertar com o lápis", contou.

"Aí, o primeiro dinheiro que eu ganhei com a internet, eu mandei a mãe comprar uma tv para o pai. Não era um sonho dele ganhar uma televisão, mas só de você presentear uma pessoa que você gosta é gratificante", completou Whindersson.

O canal no YouTube de Whindersson já conta com mais de 29 milhões de seguidores. Em seus vídeos, o comediante faz piadas sobre cenas do seu cotidiano e paródias de clipes musicais.

Jovem de Boa Vista é presa após compartilhar foto de blitz pelo Whatsapp

Após compartilhar foto de uma blitz realizada pelo Departamento Estadual de Trânsito de Roraima (Detran-RR) em um grupo de Whatsapp, uma jovem de 21 anos foi presa pela Polícia Militar nesta quinta-feira (18), no bairro Santa Teresa, zona Oeste de Boa Vista.
Foto:Reprodução/Rede Amazônica
De acordo com reportagem publicada no G1 Roraima, a jovem conduzia uma motocicleta sem habilitação quando foi parada pelos agentes de trânsito na rua Tambaqui. Enquanto aguardava a autuação, a motorista registrou a ação do Detran por meio de fotos, que foram compartilhadas em um grupo e também no status do aplicativo de troca de mensagens.

Para o azar da infratora, um dos agentes do Detran que participava da blitz fazia parte do grupo e avisou aos colegas imediatamente. "Pela posição da foto conseguimos identificar ela", explicou ao G1 o agente de trânsito Elson Gomes.

Policiais Militares que auxiliavam a operação foram acionados e prenderam a jovem. De acordo com o Detran compartilhar informações sobre blitzes por meio de redes sociais ou aplicativos de mensagens atenta contra a segurança de serviço de utilidade pública, o que pode render pena de um a cinco anos de reclusão e multa.

"Essa foi a primeira que um condutor foi flagrado na blitz divulgando na internet", afirmou o agente do Detran.

A jovem foi conduzida para a Central de Flagrantes do 5º Distrito Policial, onde o caso foi registrado. Ela confessou que tinha enviado a foto e disse que não sabia que o ato era crime.

Foto de padre com arma no WhatsApp gera polêmica em Mato Grosso

Um padre da igreja de São José dos Quatro Marcos, município do Mato Grosso, causou polêmica nesta terça-feira (2) após publicar uma foto no WhatsApp Status, onde está segurando um revólver.
Foto:Reprodução/ANSA
Na imagem, o sacerdote Thiago Bruno aparece deitado em uma cama apontando uma arma com a mensagem "#2018" escrita. A foto foi compartilhada em diversas redes sociais e recebeu críticas e comentários a favor. "Não importa se a arma é de brinquedo ou não! O que importa é a mensagem que ele passa, que não é nenhuma mensagem de paz", diz um comentário.

Em contrapartida, um usuário defendeu a atitude. "Que mal tem isso? Uma pessoa de bem com uma arma? Ele também pode ter carro, faca, moto, etc", diz o comentário.

Segundo um suposto amigo do padre, a arma é um artigo de decoração e foi comprado na Espanha. A foto teria sido tirada na própria casa de Bruno no dia 1º de janeiro.

"São armas de decoração, que não dão tiro. São apenas armas do estilo faroeste daqueles filmes que comprei para fazer decoração", explicou o homem no vídeo.

Até o momento, Bruno não se pronunciou sobre a polêmica foto.

Look de Ivete na final do The Voice Brasil vira meme

Ivete Sangalo tem usado roupas que valorizam seu barrigão de quem espera gêmeas e na noite da quinta-feira (21) não foi diferente. Para a final do "The Voice Brasil", a baiana usou um vestido roxo, feito com exclusividade para ela pela Le Lis Blanc, com styling de Leandro Porto, bem coladinho. A cor o estilo da roupa rapidamente geraram uma comparação inusitada: Ivete ficou a cara do emoji de mulher grávida.
Foto:Reprodução/iBahia
"Não acredito que a Ivete Sangalo inventou o emoji de grávida", disse uma internauta. Barney, teletubies e até o emoji de berinjela foram outras comparações que tomaram conta da rede. A própria Ivete entrou na brincadeira e postou uma imagem que compara fotos suas de ontem com vários emojis - inclusive a grávida.Para saber mais acesse o iBahia.

"Não acredito que a Ivete Sangalo inventou o emoji de grávida", disse uma internauta. Barney, teletubies e até o emoji de berinjela foram outras comparações que tomaram conta da rede. A própria Ivete entrou na brincadeira e postou uma imagem que compara fotos suas de ontem com vários emojis - inclusive a grávida.

Para saber mais acesse o iBahia.

Whatsapp modifica botão para facilitar gravação de áudio

Foto:Reprodução/Shutterstock
Você é daqueles que adora mandar mensagem de áudio para os seus contatos, mas acha muito chato ter que ficar segurando o botão de captação de áudio? Então você vai curtir essa novidade. A partir de agora, o usuário não irá precisar fazer mais isto, pois o Whatsapp lançou uma função que é preciso apenas tocar o ícone e arrastá-lo para cinema para bloquear o cadeado e falar livremente. Assim, não será mais necessário ficar pressionando o display.

Depois de encerrada a fala, basta seguir para a seta de envio ou deslizar para esquerda para cancelar. O usuário também terá a opção de manter o botão como era anteriormente. A atualização faz parte da versão 2.17.81 do Whatsapp e vem sendo realizada aos poucos, ou seja, muita gente ainda não recebeu a mudança.

WhatsApp adia novamente fim do app em celulares antigos

Foto: Reprodução/Shutterstock
O anúncio do fim do funcionamento do aplicativo de mensagens WhatsApp em alguns aparelhos celulares com sistemas operacionais antigos deixou muitos usuários preocupados. Segundo reportagem do G1, o encerramento estava marcado para acontecer na sexta-feira (30), mas alguns foram programados para ocorrer apenas em 2020. Veja as novas datas:

BlackBerry OS e BlackBerry 10: 31 de dezembro de 2017
Nokia S40: 31 de dezembro de 2018
Nokia Symbian S60: 30 de junho de 2017
Windows Phone 8.0 e versões anteriores: 31 de dezembro de 2017
Android 2.3.7 e versões anteriores: 1º de fevereiro de 2020

Parada confirmada

O único modelo que deve parar de poder acessar o aplicativo é o iPhone 3GS, com sistema operacional iOS 6. O WhatsApp informou que, ainda que não vá encerrar imediatamente o suporte para esses sistemas, alguns recursos podem parar de funcionar “devido a não desenvolvermos ativamente para estar plataformas”.

Defesa do Consumidor

Essa é a segunda vez que o WhatsApp adia o fim do serviço nesses sistemas, marcado inicialmente para 2016. Em junho, a Proteste havia notificado o Facebook, dono do WhatsApp, e contestava a decisão, que classificou de “obsolescência programada”.

“É um desrespeito ao consumidor, especialmente por quem opta por utilizar um aparelho mais antigo, uma vez que o acesso ao serviço de telefonia é provido por todas as operadoras do país”, alegou. A oferta do serviço deveria ser feita, afirma a Proteste, enquanto o aparelho funcionar. 

Dirigentes de sindicato excluídos de grupos no WhatsApp têm recurso negado

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Estado de Rondônia (Sintra-Intra-RO) e demais membros da diretoria tiveram recurso, que pedia que dirigentes excluídos de grupos do WhatsApp fossem adicionados aos grupos, negado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região de Rondônia e Acre (TRT-RO/AC). De acordo com reportagem publicada no site G1 Rondônia, a decisão foi tomada pela 2ª Vara do Trabalho de Ji-Paraná (RO), na Região Central do estado.A juíza substituta, Carolina da Silva Carrilho Rosa, justificou a decisão alegando que não existe na lei qualquer obrigação que determine que uma pessoa reintegre outras em aplicativos de internet, tal como o WhatsApp ou demais redes sociais. Já os dirigentes do sindicato acreditam que  a exclusão dos membros foi violação à imagem e prática antissindical e decidiram entrar com o recurso no Tribunal do Trabalho.O TRT, no entanto, salientou que não foram localizadas provas com força suficiente para atestar as alegações dos dirigentes da prática antissindical.Ainda segundo o G1 Rondônia, a presidência do Sintra-Incra não quis comentar a decisão do TRT.

WhatsApp fica fora do ar e repercute na internet

As redes sociais ficaram cheias de reclamações dos manauaras na tarde desta quarta-feira (3). O motivo? Muitos internautas relataram dificuldade em utilizar o WhatsApp, um aplicativo de mensagens instantânea. Confira a repercussão:  

Cupons falsos da McDonald's enviados por WhatsApp, sao os novos ataques dos cibercriminosos

Realmente o WhatsApp é um prato cheio para pessoas mal intensionadas. Nesses últimos dias, muitos usuários da plataforma foram alvos de ataques através arquivos e links enviados a usuários específicos ou grupos.
 
Isso lembra aqueles ataques de cavalo de tróia, que virou até filme. Quando o Santo é grande, desconfie mesmo. A dica é, nunca aceite arquivos ou muito menos execute aplicativos dos quais você não conhece a procedência e principalmente não aceite aquilo que voce não pediu.
Nesse novo ataque, o usuário recebe a mensagem de um contato conhecido ou de um de seus grupos no aplicativo, que o convida a participar de uma promoção.
Ao clicar no link do falso cupom de R$ 500, a vítima é direcionada para uma página com a imagem do McDonald's, que solicita o compartilhamento do link com ao menos 10 amigos via WhatsApp.
Em seguida, o usuário é orientado a fazer o cadastro em sites maliciosos que efetuam cobranças indevidas e baixam apps que podem infectar o smartphone. Fique alerta.