Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Domingo, 09 Mai 2021

Universidade Federal do Acre

 O Centro Universitário do Acre transformou-se em Universidade do Acre no dia 22 de janeiro de 1971

Estudante da Ufac publica artigo sobre estradas do Acre em revista internacional

Segundo a pesquisa, em torno de 92% das estradas mapeadas no estado são ramais não oficiais

Ufac entrega donativos para vítimas de enchentes no interior do estado

Donativos foram recebidos nos municípios de Sena Madureira, Santa Rosa do Purus e Cruzeiro do Sul

Pesquisador da Ufac desenvolve tacacá em pó para exportação

O produto já despertou interesse de empresas da Ásia, América do Norte e Europa.

Mestrando da Ufac produz vídeos sobre fenômenos naturais na Amazônia

O aluno produziu dois documentários sobre fenômenos naturais importantes que ocorrem na Amazônia

Ufac abre Processo Seletivo para o Curso de Doutorado em Enfermagem

Das 20 vagas oferecidas, no mínimo 12 serão destinadas à UFAC

Após indígena sofrer preconceito, MPF pede à Ufac lista de ações contra o racismo e discriminação

Indígena acadêmica de mestrado da Ufac teria sido ofendida e discriminada por outros alunos e funcionário durante 1º Acampamento Terra Livre, em 2019

Pesquisadores descobrem 15 espécies de fungos na APA Lago do Amapá em Rio Branco

Essa lista de espécies de macrofungos da APA é a primeira a ser produzida para uma unidade de conservação do estado

Pesquisadores descobrem verme em inseto comum na Amazônia que pode causar cegueira

Pesquisadores encontraram um tipo de verme no mosquito Catuqui, que pode causar cegueira. Estudo foi iniciado em 2013 na cidade de Xapuri, no interior do Acre, onde foram coletados 30 mil exemplares de insetos.

Com mais de 7 mil alunos matriculados, Ufac inicia ensino remoto emergencial

Número de alunos representa quase 80% dos matriculados em período regular. Adesão ao ensino remoto emergencial é facultativa tanto para professores quanto para acadêmicos.

Ufac abre 450 vagas para auxílio alimentação a alunos em vulnerabilidade socioeconômica

O valor do auxílio é de R$ 200, pagos com recursos do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES). O Auxílio Alimentação Emergencial será pago pelo período de 5 meses

Cursos de licenciatura em Matemática e Física estão com processo seletivo aberto no Acre

Estão disponíveis 200 vagas para os candidatos ingressarem no primeiro semestre letivo de 2020

Ufac vai oferecer 1,2 mil bolsas de R$ 200 a alunos em vulnerabilidade social

Medida foi anunciada reitora nesta segunda-feira (6). Auxílio emergencial é de 3 meses, podendo ser prorrogado

Ufac abre inscrições para curso a distância sobre infectados com covid-19

O curso é gratuito e organizado por professores e profissionais da Escola de Enfermagem, Faculdade de Medicina da UFMG, Ufac e Fiocruz.

Universidade Federal do Acre abre concurso com seis vagas para técnico administrativo

A Universidade Federal do Acre (Ufac) abriu concurso público com seis vagas para cargo de técnico-administrativo em educação de nível médio e superior. Os salários vão de R$ 2.446,96 a R$ 4.180,66.



As inscrições devem ser feitas de 20 de janeiro a 7 de fevereiro pelo site da universidade. As taxas vão de R$ 80 a R$ 130. O concurso tem validade de dois anos e pode ser prorrogado por mais dois.


Foto: Divulgação

Para o cargo de assistente em administração são três vagas, sendo que o candidato precisa ter ensino médio profissionalizante ou médio completo, mais experiência de 12 meses.




Além disso, tem um vaga para o cargo de médico veterinário, uma vaga para assistente social e uma para técnico em assuntos educacionais. O último cargo é para nível superior em pedagogia ou licenciaturas.

Conforme o edital, aos salários serão adicionados o auxílio alimentação, auxílio transporte, o auxílio pré-escolar (a quem possuir dependente de até cinco anos de idade) e o incentivo à qualificação.




As provas objetivas vão ter duração de quatro horas e estão marcadas para serem aplicadas no dia 29 de março deste ano em Rio Branco. Ainda segundo o edital, o resultado final do concurso deve ser divulgado dia 1 de junho.

Aos 70 anos, dona Ivete realiza sonho e conclui curso superior no Acre: 'nunca é tarde'

Ivete de Souza tem 70 anos. Nasceu no seringal, e aos 16 anos mudou de cidade para estudar. Concluiu o Ensino Médio aos 50 anos, e aos 65 entrou na faculdades de Artes Cênicas, da Universidade Federal do Acre.


“Nunca é tarde para as pessoas estudarem. Comecei com 65 anos, estou com 70 e com espírito de 20 anos e ainda fui convidada pelo reitor para fazer o mestrado”, conta a atriz Ivete de Souza, recém graduada pela Ufac, em entrevista ao G1 Acre.
Foto: Arquivo Pessoal


Na turma de Artes Cênicas eram 45 alunos no início, e apenas 6 se formaram, entre eles, Ivete, que recebeu uma uma homenagem especial dos colegas, professores e também da reitora da universidade.


Ivete conta que nasceu em um seringal, no interior do Estado, e na adolescência pediu aos pais para ir para cidade estudar. “Tinha entrado pelos 16 anos quando pedi para ele [pai] para voltar para cidade. Eu dizia que iria trabalhar nem que fosse de doméstica, mas que não ia ficar no seringal. Agora lá vou me casar com seringueiro, meu futuro não era esse não. Eu queria era continuar a estudar”, contou.


Na lida da vida, Ivete foi auxiliar de enfermagem, faxineira, serviços gerais, na saúde e educação, e continuava sonhando com os estudos. Quando teve oportunidade, no fim da década de 90, conseguiu terminar o ensino médio, aos 50 anos.


“Eu continuei com meus estudos, fiz o ensino médio, aí quando terminei e parei de novo. Uma amiga minha que formou-se no dia 20 de março em letras me convidou para fazer o Enem. Aí eu falei: ‘rapaz, faz tempo que eu não estudo, não tenho mais condições de estudar’. Ela disse: ‘que nada, a senhora é jovem, tem capacidade de fazer’. Até que eu falei para ela fazer minha matrícula e resolver tudo. Fiz a prova, em janeiro quando deram o resultado, ela soube que eu tinha passado e me ligou contando. Entrei nessa faculdade através dela”, lembra.


Foto: Arquivo Pessoal


O desejo pelo teatro veio nos anos 80 através de um convite de um amigo, e se profissionalizar era necessário. “História, geografia, não sei o que, eu não queria nada disso. Até que chegou em teatro, aí eu disse: ‘caiu a sopa no mel’ e coloquei esse daí. Passei de cheio em artes cênicas”, disse.


Sobre a jornada na universidade, Ivete lembra dos colegas de turma.  “Eu tinha ajuda da moçada jovem e também ajudava eles. Ontem eles falaram que estavam muito felizes porque eu era a inspiração deles. Agradeceram muito a Deus e a mim por terem continuado, muitos viviam nas drogas e pararam ou deram um tempo até se formar. Eu chorei de felicidade”, contou emocionada.

Acreano fã de quadrinhos tatua quase 30 super-heróis nas costas

Na prateleira, 3 mil gibis; e nas costas, 29 super-heróis tatuados. Estas são as provas do amor que o professor universitário Antônio Pontes, de 37 anos, da Universidade Federal do Acre (Ufac) nutre, desde os 9 anos, pelos personagens da Marvel e DC.
Foto:Reprodução/Rede Amazônica
De acordo com reportagem do G1 Acre, em dezembro do ano passado o professor aproveitou que estava em viagem de férias em São Paulo e resolveu marcar na pele sua paixão pelos heróis.

O desenho escolhido levou nove sessões e mais de 60 horas para ser concluído e inclui Os Vingadores e A Liga da Justiça. A obra de arte foi assinada pelo desenhista George Pérez.

Foto:Reprodução/Rede Amazônica
Ao G1 Pontes garante que, apesar de muitos fãs alimentarem a rivalidade entre as duas produtoras, gosta tanto da Marvel como da DC Comics.

“Sou fã de quadrinhos e super-heróis desde criança, sou colecionador, tenho mais de 3 mil gibis. Eu já conhecia essa imagem, que representa uma época muito boa dos super-heróis. Comecei em dezembro e terminei em abril – que aproveitei férias e recesso que tivemos”, conta.

Foto:Reprodução/Rede Amazônica
Além dos 29 super-heróis, ele também tem uma do Batman no braço e do X-Men na perna. Ele conta que, apesar de ser considerado louco por alguns, a evolução da tattoo repercutiu positivamente nas redes sociais.

“Quando a gente pensa em fazer algo assim, não pensa no tamanho que é. As pessoas diziam que eu era louco, mas fui fazendo e postando no Facebook e Instagram e as pessoas começaram a gostar”, relembra.

Foto:Reprodução/Rede Amazônica
O desenho com os 29 super-heróis foi concluído no último mês de abril, mas Antônio não para por aí. Segundo o professor, novos rabiscos já estão sendo planejados e confirma um mito bastante comum entre os amantes das tatuagens.

“A do Batman, tenho uma ideia para deixá-la mais elaborada. Mas, desse tamanho nem tem mais espaço. Penso ainda em fazer Homem-Aranha um pouco maior, mas ainda não sei onde. Tatuagem vicia”, finaliza.

Estudante é estuprada dentro de área de universidade no Acre

Uma estudante de pedagogia na Universidade Federal do Acre (Ufac) teria sido atacada e estuprada por homens que estavam em um carro preto nas proximidades do Centro de Convenções do campus, em Rio Branco. Caso aconteceu na segunda-feira (14), mas ganhou repercussão nas redes sociais. A estudante foi socorrida por colegas, que pedem por mais segurança.

PM acreano consegue aprovação em duas universidades de medicina

O Policial Militar do Acre Marcos Paulo de Carvalho, de 27 anos, faz parte da banda da PM e, mesmo com o pouco tempo para estudo, foi aprovado em dois vestibulares: o da Universidade Federal do Acre (Ufac) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam). As informações são do G1 Acre.

Nota mil na redação do Enem, o PM se diz surpreso e considera que a redação foi indispensável para conseguir a vaga no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os resultados foram divulgados nesta segunda-feira (29).

“Em 2016, consegui uma média relativamente boa e deu para passar em direito, mas sempre quis fazer medicina. Pensei que, como consegui passar sem me dedicar, se eu estudasse, talvez conseguisse a medicina. Resolvi estudar em 2017. Foi bem puxado porque trabalho e não tenho como ter uma rotina fixa de estudos, mas o tempo que eu tinha era para estudar e deu certo”, comemora.
Foto: Divulgação
Marcos dá uma dica aos estudantes que pretendem se dar bem no próximo Enem.

“A pessoa tem que se esforçar o máximo possível, tentar esquecer os problemas e a pressão familiar, principalmente, no caso dos mais novos que estão saindo do ensino médio. Não tive muito essa pressão por já ter um emprego. Acho que isso conta muito na prova. Estudar, confiar em você mesmo e ir sem pressão e com apoio dos familiares”, concluiu.

Artesãos acreanos apresentam criações no Espaço Bambu

Artesãos acreanos expõem, até esta quinta-feira (26) peças criadas a partir do bambu. A mostra é apresentada no Espaço Bambu, no hall do Teatro da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco até esta quinta-feira (26) e faz parte do Seminário Internacional sobre Bambu: integrando saberes, potencializando parcerias. A mostra foi elaborada pela Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (Sepn).
Foto:Reprodução/Agência Acre
No ambiente, os artesãos Socorro Souza, Cesarina Pereira, José Carlos Chalub e Francisco Rafael de Melo, o França, apresentam uma linha de produtos como objetos de decoração, móveis e utensílios.
Apaixonado pelo bambu, o artesão França, há mais de dez anos vem trabalhando com a matéria-prima. Como agricultor familiar foi incentivado pela Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) a cultivar a matéria-prima em sua propriedade. Do plantio, a produção gerou matéria para construção de parte de sua residência e o transformou num exímio artesão. França desenvolve uma linha de móveis e objetos de decoração para comercialização em sua oficina.
“Hoje me sinto um ‘bambuzeiro’. Acredito no potencial do bambu e esse encontro é muito importante para sabermos que caminhos temos que seguir”, disse.
Oficinas de capacitação
O governo do Estado tem desenvolvido ações de promoção da cadeia produtiva do bambu. Uma delas é dirigida para as comunidades e cooperativas buscando agregar valor e promover a matéria-prima nas suas mais variadas formas de uso sustentável.
A artesã Socorro Souza trabalha com vários tipos de matéria-prima no Espaço Encanto da Floresta, em Porto Acre. Há um ano, após participar de uma oficina de produção de pequenos objetos em bambu promovida pelo Sebrae, em parceria com Funtac, Sepn e Embrapa, ela conta que descobriu o potencial da matéria-prima. Cachepot, vasos, porta-pratos, porta-vinho, adega e outras peças compõem sua mais nova coleção.
Foto:Reprodução/Agência Acre
“Temos seis pessoas trabalhando no espaço. Utilizamos outro tipo de material, mas queremos seguir a linha do bambu. Estamos nos ajustes e sabemos que é preciso ter foco. Trabalhar com bambu requer conhecimento e pesquisa. A procura é boa, o mercado é amplo e todo mundo quer porque é sustentável, é do Acre e da Amazônia”, comenta.
Na mostra, painéis de projetos da construção civil e arquitetura desenvolvidos pelo governo do Estado, apresentam a bambuzeria, Instituto Chico Mendes (ICMBio), paradas de ônibus e o Quiosque do Tucumã.
O seminário é uma realização da Embrapa, governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (Sect) outros órgãos da esfera estadual, Universidade Federal do Acre (Ufac) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).