Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 13 Mai 2021

Projeto de manejo de abelhas sem ferrão beneficia seis comunidades e mantém a floresta em pé no Amazonas

O Mel da Amazônia gera renda, conserva a floresta amazônica e gera renda a 40 famílias no interior do estado

Ipaam autoriza produção de mel de abelha-sem-ferrão para escala comercial

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) autorizou, nesta quarta-feira (24/1), 40 Cadastros de Criadores de Abelha-Sem-Ferrão para manejo e produção de mel da espécie silvestre nativa social no município de Itapiranga (distante 339 quilômetros de Manaus). Ao todo, são 60 colmeias cultivadas nas comunidades rurais de Paraguai, Santa Maria do Madrubá, São José da Enseada, Ilha Grande, Terra Nova e na sede da cidade.

De acordo com o presidente do Ipaam e secretário de Estado do Meio Ambiente (Sema), Marcelo Dutra, a partir de agora, com a autorização do órgão ambiental, Itapiranga passa a concentrar o maior polo de meliponicultura de manejo sustentável de abelhas nativas e produção de mel para escala comercial no entorno de Unidade de Conservação (UC) no Estado, aliado a geração de emprego e renda naquela cidade.

Dutra informou que os Cadastros de Criadores são a garantia concedida pelo Governo do Estado aos produtores de mel de abelha para o manejo adequado da atividade. “Isso proporciona a preservação da espécie, a conservação do meio ambiente, por meio da polenização, e a geração do trabalho e da renda para os moradores de Itapiranga. Essa é a nova política implantada pelo Governo Amazonino Mendes”, destacou.
Foto: Divulgação
ProduçãoO coordenador de projeto do Instituto Araquara, que coordena a Associação dos Promotores da Atividade de Meliponicultura do Estado, Antonilson Rodrigues, informou que a atividade deve gerar 40 empregos diretos e mais de 90 indiretos, além da produção média de mais de 1,1 tonelada de mel por ano. “Cada colmeia produz de 3 a 4 litros de mel e a expetativa é aumentar essa produção”, disse.Ele explicou que, atualmente, os produtores começaram a comercializar o produto para São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e, também, para a Inglaterra. Rodrigues lembrou que, além do Ipaam, a atividade conta com a parceria da Prefeitura de Itapiranga, da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), Instituto de Desenvolvimento do Amazonas (Idam) e da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal (Adaf).
  

Duas fábricas de produção de asfalto são interditadas no Amazonas

Fiscais do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) interditaram as atividades de duas fábricas de produção de asfalto no bairro Terra Nova, em Itapiranga, no Amazonas. As fábricas funcionavam no mesmo lugar sem Licença de Operação Ambiental e a menos de 300 metros de uma escola municipal e do Hospital Miguel Batista. As empresas tem o prazo de 20 dias para se regularizarem junto ao órgão.

Itapiranga: diamantes em lapidação

A escola Maria Rosalina de Oliveira Pinho, em Itapiranga, é um exemplo de como detalhes podem melhorar, ou piorar uma situação. Até este ano a escola era quase inteiramente pintada de vermelho e a camisa do uniforme dos alunos também é vermelha. Há mais de século estudos indicam que essa cor ativa a energia, a revolta, o barbarismo, a violência, a agressividade, entre outros sentimentos.

Resultado, “a escola tinha má fama, principalmente no quesito violência. Os alunos brigavam tanto fora quanto dentro dos limites da escola”, falou Rebeca Maciel Paes Félix, pedagoga da Maria Rosalina. O vermelho era uma alusão ao piranga (do tupi, vermelho) do nome da cidade.

Com a mudança da pintura vermelha para o azul, e o esforço do gestor Raimundo Orivan Monteiro da Costa e professores, as coisas melhoraram. O azul ativa o afeto, a intelectualidade, a paz, a serenidade, a confiança, a amizade, o amor, a fidelidade. Como a mudança foi posterior à realização do Ideb, a pontuação da Maria Rosalina não foi das melhores, ficando com 3,4 pontos em 2015.

“Fizemos com que os alunos proporcionassem essa mudança, pois eles próprios, apoiados pelos professores, pintaram as paredes da escola. Com isso passaram a respeitar o prédio que eles mesmos ajudaram a melhorar a aparência”, explicou o gestor.

Orgulho da escola

A escola Maria Rosalina de Oliveira Pinho foi inaugurada em 2007, e homenageia a professora homônima. Antes se chamava Antonio de Almeida Santos, que fora prefeito do município. Atualmente reúne 750 alunos entre manhã, tarde e noite.

“Desde que assumi a gestão da escola, comecei um plano de revitalização”, falou o gestor. “Criamos um projeto ambiental.

Em Itapiranga é comum as pessoas queimarem lixo e folhas, nas suas casas, fazendo com que a cidade fique cheia de fumaça. Fizemos passeatas pelas ruas alertando para essa situação e os alunos começaram a instruir as pessoas para não fazer aquilo quando as viam realizando queimadas”, falou.

“Também começamos um projeto de leitura, o ‘aprendendo a ler e ver diferente’. A biblioteca foi revitalizada e os alunos podem emprestar livros, levar para casa e depois devolver. No turno da manhã e da tarde temos o ‘aluno monitor’. Eles são responsáveis em cuidar da biblioteca, arrumar os livros, controlar os empréstimos.

São dois de manhã e dois à tarde, escolhidos entre aqueles que se destacam nos estudos. E eles ganham pontos pela participação”, falou Rebeca. Aliás, um dos monitores, Rodrigo Santos, 13, é o orgulho da escola desde o ano passado.

Rodrigo participou da Obmep 2015 (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) e ganhou a medalha de bronze, primeiro em Itapiranga e depois no Amazonas.

“Além da matemática, também precisamos saber português, senão como vamos interpretar as questões?”, ensinou. Filho de Deusdete Costa dos Santos, pedagoga da mesma escola onde estuda, e de Francinei Fonseca Gama, técnico em medicina, Rodrigo tem uma irmã mais velha. “Quando tinha uns 10 anos, notei que tinha facilidade com a matemática, e desde então não parei mais. As provas que fiz em Itapiranga eram apenas para marcar, mas competindo pelo Estado, tinha que resolver vários problemas”, lembrou. 

Itapiranga

Fundação: 1908 (elevada à condição de cidade)
Distância de Manaus: 339 km
População em 2016: 9.040 pessoas (estimada)
Quem nasce lá é: Itapiranguense
Secretário de Educação: José Melquias dos Santos
Escolas: 20 no município
Alunos: 1.908
Ideb 2015: 5,0 (Ideb da escola Maria Rosalina de Oliveira Pinho: 3,4)