Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 31 Outubro 2020

Os Cantores do Rádio da Manaus de Outrora

No traçar desta evolução histórica do rádio e seus cantores, apresentadores, destacamos esse período rico desta fase do rádio no Amazonas.

Clóvis Amaral Machado: o Aranha Negra

"Clóvis Amaral Machado é considerado um dos melhores goleiros que surgiu no Amazonas".

Comendador José Azevedo e a Rádio Baré

"O Comendador José Azevedo comentava que o aumento do interesse da população pelo rádio, as barreiras para com o público foram sendo removidas até chegar aos programas de auditório, que permitiam uma maior aproximação entre a população e seus ídolos".

Joaquim Esteves Soares Carvalho: um empreendedor na Amazônia

Homem de espírito empreendedor, construiu junto a então "Saboaria Amazônia", uma moderna indústria de óleos vegetais, considerada a época uma das melhores do Brasil.

José Cláudio de Mesquita: o apóstolo da Heveicultura

Um Português na História do Amazonas

Manaus de Ontem e de Hoje com Lágrima dos Boêmios

"Na verdade, a nossa arquitetura mais antiga exprime uma atitude emocional e consequentemente estética de um período da burguesia enriquecida pela exportação do látex".

Manoel Urbano da Encarnação: o explorador do Rio Purus

Manoel Urbano da Encarnação faleceu aos 92 anos de idade, no dia 12 de junho de 1897, na cidade de Manaus, vítima de varíola.

José Manoel de Macedo e a Casa Mesquita

Macedo nasceu na Vila de "Ferreiros/Amares-Braga, em Portugal", no dia 12 de abril de 1890. Emigrou para o Brasil com destino a cidade de Manaus, em 1901, na companhia do dono do "Armazéns Colombo".

Jornalista Phelippe Daou: um homem além de seu tempo

"Surgia na década de 70, o que seria depois de muitas lutas a TV Amazonas, hoje Grupo Rede Amazônica, a semente que coloriu a Amazônia, tempos de coragem."

Manaus da Minha Infância

"Eu vi nascer as Casas do Óleo, do Sr. Mário Assayag, hoje, grande rede de Supermercados".

Celebração da vida e da esperança: o poeta das rosas

"Mesmo trabalhando muito, foi aprendendo a ler com a ajuda dos filhos e cuja leitura que apreciava com frequência, era os ensinamentos bíblicos e naturalmente transcrevia para o papel suas poesias, que recitava com a alma".

Fieam, 60 anos dedicados ao crescimento do Amazonas

Desde sua instalação administra importante sistema de assistência social e de ensino profissional por intermédio do Serviço Social da Indústria (Sesi) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), fundados no Amazonas, respectivamente, em 1949 e 1957. 

A Manaus que Maria das Graças Meninéa Silveiro deixou para trás

De família tradicional, cujo, o pai era Arthur Meninéa e a mãe Aida Augusta Meninéa com uma prole de nove filhos, Maria Adelaide Yunes, Alípio Meninéa Neto, Maria de Lourdes Meninéa, Sebastião Augusto Meninéa, Thereza Meninéa, esta também imigrou para o Rio de Janeiro, Raymundo Meninéa, Luiz Phelipe Meninéa, Maria Emília Gouvêa e Maria das Graças Meninéa Silveiro.

Athlético Rio Negro Clube: o apogeu de uma época

Quatro anos depois do início da construção, em 1942, o clube saia do Palacete dos Epaminondas, situado na Rua Barroso, onde hoje é a Casa do Estudante, pertencente à Universidade Federal do Amazonas, e passou a ocupar, definitivamente, sua sede própria, o Palácio dos Espelhos, localizado na Av. Epaminondas.

Marius Bell – o artista que coloriu o Amazonas

A história de Marius Bell está ligada à do cinema manauara, ele pintava os grandes painéis de chamada dos filmes, que ficavam em frente aos principais cinemas da cidade.

Abílio Farias: uma voz que marcou o Amazonas

O cantor amazonense Abílio Farias nasceu na cidade de Itacoatiara. Participou do programa "Buzina do Chacrinha", como cantor mascarado, e no programa "Clarice Amaral, Show da Viola".

Flávio de Carvalho Souza: uma história a ser contada

"Flávio de Souza, como é conhecido, representa um amazônida observador das letras, das noites de luar ou escuras de sua juventude, em Cruzeiro do Sul, no Estado do Acre".

Abrahim Farhat Neto: a saga de um humanista de sangue libanês

"Já instalado no Acre, como camelô, com a mercadoria em cima de um tabuleiro, onde ficou conhecido como 'Abrahim do tec tec', pois usava dois pedaços de madeira que, batendo um no outro, chamava atenção dos clientes."

Vittorio Giuseppe Figliuolo: um homem além do seu tempo

"Homem de notável erudição científica, havendo se portado durante toda sua vida como um exemplo a ser seguido."

Grupo Rede Amazônica: uma memória preservada em Museu e Biblioteca

O Grupo Rede Amazônica construiu seu acervo para ser referência e atender a um público alvo importante.