Situação crítica do hospital de Sorriso leva moradores a bloquear BR-163

Moradores de Sorriso, em Mato Grosso, bloquearam de forma pacífica a BR-163, no perímetro urbano da cidade, nessa quinta-feira (25). O bloqueio foi um protesto pela situação do Hospital Regional do município.

De acordo com os organizadores, cerca de 3 mil pessoas participaram do ato. A Polícia Militar não fez estimativa de participantes.

Os manifestantes deram um abraço na unidade hospitalar e seguiram para a rodovia, onde ficaram por cerca de uma hora e meia, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Muitos vestiram roupas pretas para simbolizar o luto pela situação da saúde em Sorriso.

Com repasses atrasados, o hospital acumula dívidas com os fornecedores.

Nessa quinta-feira (25), a enfermeira Luciele Benin, que assumiu há três dias a direção do hospital, disse estar tomando pé da situação e que, por enquanto, não é possível fazer um diagnóstico. Mas afirmou que o hospital não corre risco de desabastecimento.

A situação levou o Ministério Público Estadual a pedir, na Justiça, o bloqueio de R$ 9,2 milhões para ser investido na unidade.

A situação é recorrente. O primeiro pedido de bloqueio de verbas públicas foi feito em outubro de 2016. O Judiciário acolheu parcialmente e bloqueou pouco mais de R$ 3 milhões, condicionando a liberação do montante ao trânsito em julgado da decisão.

Apenas no início de março deste ano é que, efetivamente, os valores penhorados puderam ser utilizados para pagamento dos credores.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, nessa quinta-feira foi feito um repasse de cerca de R$ 3,8 milhões a unidade hospitalar em Sorriso.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Censo Demográfico: quilombolas rondonienses tem idade mediana um ano a mais que população total

Na região norte, o maior índice de envelhecimento dos quilombolas foi apresentado por Mato Grosso (76,93) e os menores foram no Amazonas (23,4) e Amapá (28,96).

Leia também

Publicidade