Déficit no fornecimento de oxigênio no Amazonas reduz em mais de 60%

Problema tende a ser resolvido ate quinta-feira (21)

O governo federal, iniciativa privada, entes públicos e as forças armadas, conseguiu nas últimas 24 horas que a demanda excedente diária de Manaus por oxigênio caísse em 63,83%, e projeções indicam que o suprimento do gás será suprido entre quarta e quinta-feira.

A produção de oxigênio hospitalar no Amazonas em suas usinas é de 28 mil m3 diários, suficiente para as necessidades dos centros de saúde do estado até antes da chegada da Covid-19 ao Brasil.

(Foto Divulgação)

Com o agravamento da pandemia nos últimos dias, a rede de saúde pública e privada amazonenses passaram a necessitar de 75 mil m3 diários, ou seja, 47 mil a mais sobre o fornecimento do que os fornecedores poderiam suprir.

Contudo, entendimentos com produtores do gás, transportadores terrestres e aéreos, ativação de rotas fluviais atendidas por balsas para o envio de cilindros com o insumo permitiram que, de imediato, daqui para frente, ao menos 30 mil m3 cheguem todos os dias ao Amazonas. E esse volume equivale aos 63,83% que ultrapassaram a capacidade instalada.

Um total de 186 mil m3 de oxigênio vindos da Venezuela ajudarão a acabar com a carência do gás no Amazonas. Caminhões-tanque vindos do país vizinho entregarão 36 mil m3 comprados pela empresa White Martins de uma companhia privada daquela nação. E mais um carregamento com 150 mil m3 foi enviado pelo estado venezuelano de Bolívar à governação do Amazonas assegurará tranquilidade aos amazonenses. 

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Lei determina governo de Rondônia ‘priorizar’ café robusta para consumo na administração pública

Lei publicada em junho já está em vigor. Em caso de descumprimento à norma, decisão deve ser fundamentada, aponta Seagri.

Leia também

Publicidade