Agência da ONU para Refugiados doa 180 camas para hospital de campanha em Boa Vista

Doação reforça enfrentamento à COVID-19 entre pessoas refugiadas e a população de Roraima.

A Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) doou 180 camas para o hospital de campanha de Boa Vista, construído pela Força Tarefa Logística Humanitária da Operação Acolhida para atender pessoas refugiadas e migrantes da Venezuela, além de brasileiros vítimas da COVID-19 no estado fronteiriço de Roraima.

Leitos de UTI doados pelo ACNUR no hospital de campanha da Operação Acolhida em Boa Vista, Roraima. (Foto:Allana Ferreira/ACNUR)

A doação faz parte da estratégia do ACNUR para enfrentar a pandemia do novo coronavírus entre a população refugiada, beneficiando também as comunidades de acolhida dessas pessoas.

“Ter equipamentos médicos apropriados é fundamental para uma boa resposta à COVID-19. Por isso o ACNUR doou as camas de UTI, juntamente com colchões e travesseiros, que serão essenciais para o tratamento de casos mais graves. Isso reafirma nosso compromisso com a Operação Acolhida e a Área de Proteção e Cuidados (APC), que tem atendido refugiados, migrantes e brasileiros no contexto da pandemia do novo coronavírus em Roraima”, enfatiza Arturo de Nieves, Coordenador Sênior de Campo do ACNUR.

O ACNUR vem colaborando sistematicamente com a APC desde a elaboração do plano arquitetônico deste hospital de campanha. Além dessa assessoria técnica, a Agência da ONU para Refugiados doou 250 casas modulares (ou RHUs / Refugee Housing Units) usadas nos abrigos temporários da Operação Acolhida, possibilitando o atendimento de até mil pessoas na ala para isolamento de casos suspeitos e confirmados da APC. Também doou duas mil camas regulares e colchões para o hospital, permitindo um amplo atendimento à população de Boa Vista.

Além disso, o ACNUR colaborou com o desenvolvimento da ferramenta de gestão da informação que permite aos gestores da APC processar prontuários médicos e agilizar os atendimentos. Também articulou parcerias com o setor privado que levaram à doação de equipamentos de proteção individual, aparelhos hospitalares, medicamentos e outros insumos que estão contribuindo para o funcionamento efetivo do hospital.

“O ACNUR é um dos parceiros relevantes da Operação Acolhida, com pronta resposta à emergência humanitária causada pela COVID-19, que veio dentro de uma crise que já existia. As camas de UTI doadas vão melhorar a qualidade da Área de Proteção e Cuidados, tão necessária no nosso trabalho de salvar vidas”, disse o General Antonio Manuel de Barros, coordenador da Operação Acolhida para o estado de Roraima e o município de Manaus.

Para evitar a disseminação da COVID-19 junto a refugiados e migrantes da Venezuela, o ACNUR já distribuiu mais de nove mil kits de limpeza, higiene pessoal, colchões e redes, beneficiando cerca de 15 mil pessoas.

A Agência da ONU para Refugiados também tem reforçado o apoio financeiro para pessoas refugiadas em situação de maior vulnerabilidade, garantindo seus gastos emergenciais e essenciais durante a pandemia da COVID-19. Além disso, garante a distribuição de informações seguras sobre a prevenção da doença e de orientações sobre como a população refugiada pode acessar os auxílios pagos pelo governo federal.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Nova atração para aventureiros: Parque do Utinga, no Pará, oferece passeio de canoagem

Cada grupo de visitantes é acompanhado por pelo menos dois condutores habilitados e a capacidade máxima é de 12 pessoas por grupo.

Leia também

Publicidade