Literatura em Roraima

O curso de Letras da UFRR ofertou aos estudantes a disciplina Literatura em Roraima, pela primeira vez, no ano de 2010. A iniciativa só aconteceu 20 anos após a criação do Curso.

O curso de Letras da Universidade Federal de Roraima (UFRR) ofertou aos estudantes a disciplina Literatura em Roraima, pela primeira vez, no ano de 2010. A iniciativa só aconteceu 20 anos após a criação do Curso. A estreia da disciplina, mesmo que optativa, encurtou finalmente a distância entre o Curso de Letras e a literatura local e seus escritores.

Quando a Universidade foi inaugurada, em 1990, quase a totalidade dos professores concursados e contratados veio de outros Estados brasileiros. Os professores do curso de Letras começam então a buscar por conta própria os escritores locais. E encontram. A professora doutora Cátia Wankler é uma das pioneiras nessa pesquisa sobre as letras locais.

Desde quando o curso de Letras foi criado, me tornei um colaborador dos professores e professoras interessados em saber mais sobre a produção literária na terra de Makunaima. Sou escritor, lancei meu primeiro livro de poemas, Pássaros Ariscos, em 1984, seis anos antes da criação da Universidade, tenho uma estante com livros de escritores locais na minha biblioteca e sempre acompanhei de perto o fazer literário local.

No final de 2009, o professor doutor Roberto Mibielli, do curso de Letras da UFRR, é quem toma a iniciativa de criar a disciplina Literatura em Roraima. Uma disciplina voltada para o estudo e pesquisa da produção literária local. Partiu dele a ideia de me convidar para ser o primeiro professor dessa disciplina. Aceitei de imediato. Eu era professor de Filosofia na UFRR, lotado na Escola de Aplicação e fui emprestado para o curso de Letras após a aprovação do meu nome pelo conjunto dos seus professores.

Durante quatro anos, entre 2010 e 2013, lecionei para oito turmas. Depois que saí, por motivo de aposentadoria, a professora mestra Sony Ferseck deu continuidade e lecionou Literatura em Roraima por mais dois anos. Recentemente soube que a disciplina não existe mais. A semente foi plantada. Tenho certeza que aqueles estudantes de Literatura em Roraima, hoje, como professores, estão levando para sala de aula essa literatura brasileira que é feita aqui no norte do país. 

Sobre o autor

Eliakin Rufino é poeta, compositor, professor e filósofo. Nasceu e reside em Boa Vista, Roraima.

*O conteúdo é de responsabilidade do colunista

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Murucututu: “coruja de óculos” é considerada a maior espécie do gênero na Amazônia

A murucututu ocorre em todas florestas tropicais das américas, mas na Amazônia já se tornou até personagem de canção de ninar.

Leia também

Publicidade