Manaus 30º • Nublado
Quarta, 22 Setembro 2021

Se seu cliente é todo mundo, você está perdendo dinheiro!

Um dos principais pontos ao se abrir um negócio, definir estratégia, plano de negócio ou formatar produtos e serviços é definir quem é o público a ser direcionado, sei bem que com o avanço da tecnologia e marketing, muito do que sabíamos mudou de nome, de forma, mas ainda tem o mesmo sentido, definir para quem vamos vender nosso produto.

Soa tão básico isso, mas 90% dos empresários que tenho contato, clientes e prospects não definem para quem querem vender, a concepção generalizada é: Para todos que queiram comprar! Temos que concordar que está certo o pensamento, mas ao mesmo tempo não é estratégico e vou explicar os motivos.

Reprodução: Divulgação

A vida do empresário no Brasil não é fácil, existem diversas obrigações, riscos, leis inúteis, problemas trabalhistas, concorrência, mercado etc. Então, toda estratégia precisa ser pensada e com objetivo de otimizar os recursos, logo, esforço de marketing para QUALQUER UM comprar não é inteligente, não é prático, é perder dinheiro.

Existem diversas formas de definir o público-alvo, e nenhuma forma está mais certa ou mais errada, o que você não pode é ficar com essa mentalidade não estratégica de querer vender para qualquer um, o fato de definir seu melhor público pode ser otimizado para outros pontos, exemplo de uma loja de produtos para idosos pode ter assentos mais confortáveis ou bancos para descansarem.

Público-alvo é a forma mais básica de se definir para quem vender, são definições mais amplas que podemos separar em dados demográficos: Sexo, idade, classe social, localização e hábito de consumo, em um exemplo de uma loja física de roupas feminina, seu público-alvo pode ser somente feminino, entre 18 e 35 anos, em um raio de 7km do seu local, renda mensal entre R$ 2.000,00 e R$ 3.000,00, classe B e C, apaixonadas por moda e acessórios, mas com preço mais acessível.

Concorda que é possível imaginar o tipo de roupa que será vendido para esse público? Será uma moda gospel? Vestidos mais conservadores? Não! Algo mais da moda, mais descolado, mais jovem e leve, isso inclusive remete a outros pontos como música interna na loja, identidade visual, localização do ponto físico entre outros.

Creio que compreendeste a importância de identificar quem é seu público ideal e direcionar os esforços neles, não perder dinheiro investindo marketing em possíveis não compradores. Se quiser aprofundar mais nos detalhes de seu público atente-se às características pessoais, informações profissionais, estilo de vida, interesses e engajamento nas redes. Claro que vai diferenciar do tipo de seu negócio, serviço, produto, especificidade e o objetivo como por exemplo, campanhas de marketing em Google Ads ou Facebook Ads.

Nossa público-alvo ficará mais ou menos assim: CAMILA (sugestão de nome jovem), solteira, 30 anos, ganha R$2.400 como auxiliar administrativo em uma farmácia, divide seu dia entre o trabalho e a academia, nas horas livres viaja com os amigos e vai ao cinema, ama roupas e calçado e não gosta de repetir looks, acessa as redes sociais pelo menos 2 vezes ao dia e é muito ativa no instagram.

Pronto! Temos uma persona, basicamente com essas informações conseguimos montar uma ideia de persona, que é a definição de público-alvo mais específica, mais objetiva para uso em campanhas de marketing digital, campanhas de tráfego pago, mas como expliquei vai depender dos seus objetivos finais com a persona ou público-alvo. Lembrando que persona você pode ter diversas, como é muito específica, você pode definir 2, 5, 10 depende do objetivo e do que você oferta.

Então, definindo sua persona no início de seu planejamento do negócio é o ideal, caso não tenha ocorrido nesta ordem, tudo bem, o que não pode é viver sem definir para quem você direciona os esforços de marketing, lembrando que música interna, local para descanso, tomada para carregar celular, pagamento por aproximação, luz indireta, cores mais vivas, embalagens mais atrativas, brindes nas embalagens etc. Tudo é marketing se o esforço for tentar converter em vendas, são investimentos que você faz no intuito de agradar e ter retorno futuro.

Sabendo então da necessidade de entender para quem vender, colete informações de sua base de clientes, faça questionários, pergunte aos clientes, caixa de sugestões etc, formas de recolher informações existem diversas, monte sua persona ou público-alvo e defina suas estratégias com base nessa persona, analise depois os resultados como irão melhorar e suas decisões que serão mais assertivas. Lembre-se que o mercado não espera!



Aldo Melo

É Mercadólogo, Pós-graduado em Metodologia do Ensino Superior, MBA Executivo em Administração e Negócios, Esp. em Neuromarketing. Fundador da Agência Conectar - Comunicação e Marketing.

Veja mais notícias sobre O mercado não espera!.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 23 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/