Polícia vai usar imagens feitas no Compaj para identificar autoria de massacre, no AM

MANAUS – A Polícia Civil deve usar imagens feitas dentro do Complexo Penitenciário Anísio Jombim (Compaj), durante o massacre que deixou mais de 50 mortos, para tentar identificar quem participou dos crimes. As informações são do delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, que concedeu entrevista à Amazonas FM, na manhã desta quarta-feira (4).

Mas, essas imagens precisam ser corroboradas, robustecidas pelos outros elementos de informação que a gente está colhendo no curso do investigatório. E isso se revela a partir dos depoimentos dos próprios presos que foram vítima de lesão corporal [por exemplo]”, disse.

O delegado informou que um único inquérito vai investigar o massacre. Segundo Ivo Martins, há várias frentes de investigações. Os principais objetivos da Polícia Civil são identificar a autoria intelectual do massacre e quem executou os crimes, entre eles assassinato e tortura.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Nova atração para aventureiros: Parque do Utinga, no Pará, oferece passeio de canoagem

Cada grupo de visitantes é acompanhado por pelo menos dois condutores habilitados e a capacidade máxima é de 12 pessoas por grupo.

Leia também

Publicidade