Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Segunda, 26 Outubro 2020

Evento busca promover imersão de mulheres no mundo das startups, em Manaus

Evento busca promover imersão de mulheres no mundo das startups, em Manaus
Nesta sexta-feira (23), sábado (24) e domingo (25), Manaus receberá o Techstars Startup Weekend Women (SW), um final de semana inteiro de imersão com aprendizados, desafios, mentorias e muito trabalho para criar e lançar uma nova startup. A iniciativa é da aceleradora Techstars e busca inserir as mulheres do Estado na área.
Foto:Divulgação/SW Manaus

Serão 54 horas em que as equipes estarão engajadas, a partir de metodologias para construção de um negócio inovador. O evento é uma franquia internacional da Techstars, e, em Manaus, um grupo de quadro voluntárias realiza a edição do SW, entre elas, a organizadora Glaucia Campos.


"O Startup Weekend está presente em várias cidades, e onde há voluntários para realizar os eventos. Este é o terceiro que estamos realizando em Manaus, e desde 2014 conseguimos construir os líderes de comunidades, que organizam outros eventos da área", conta Glaucia, ressaltando que os SW são eventos de formação de empreendedores.


A temática feminina surgiu ainda em 2017, com a primeira edição do SW em Manaus, e o objetivo é trazer as mulheres para um campo que ainda é masculinizado.


"A gente entende que nesse mercado de tecnologia e empreendedorismo, as mulheres ainda não tem tanta visibilidade, entrada e participação quanto o masculino, e isso não é um problema de empreender, mas de base, quando as engenharias formam poucas mulheres e isso reflete no mercado de trabalho. Hoje temos uma chamada para agregar as mulheres nesse cenário mais inovador, por que queremos esse publico como massa de trabalho, de pessoas agregando e pensando mais inovação na cidade", pontua.
Foto:Divulgação/SW Manaus

Segundo a professora doutora do Instituto de Computação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Tanara Lauschner, que também o coordena Programa Cunhantã Digital, que visa atrair meninas do ensino médio e fundamental para a computação, o cenário da presença de mulheres em áreas de tecnologia ainda é pequeno, mas já há avanços.


"No Amazonas, a realidade não é diferente do nacional. Você tem 20% de mulheres trabalhando na área tecnológica como desenvolvedoras, e os relatos que a gente recebe de forma geral são de problemas recorrentes, como a questão de interromper quando a mulher está falando, ou na apresentação de resultados de equipe que geralmente são homens que falam, além das questões de assédio moral e sexual. E eventos como o SW pois incentivam a maior participação de mulheres, fazendo com que elas tenham essas experiencias e mais portas de abram", conta Tanara.


Entre os projetos que estão preocupados com a inserção da mulher no mercado de trabalho, está o Cunhantã Digital, que atua em três frentes com o público manauara.


"O projeto tem uma frente de atuação no Ensino Médio, para dizer para meninas considerarem a área de computação como uma área profissional para elas. A segunda frente é dentro da Universidade, onde promovemos debates junto às meninas da gradução, entender os problemas e colocar as questões para os professores, e a terceira frente, é no mercado de trabalho, em que tentamos envolver as mulheres que trabalham nesse contexto, incentivando e servindo de modelo e inspiração para quem ainda está na universidade", lembra Tanara, que será uma das juradas do SW.
Foto:Divulgação/SW Manaus

Ao término do evento, segundo Glaucia, cerca de 20% das equipes de startups sobrevivem, e podem ser acolhidas por aceleradoras como a comunidade de Startups Jaraqui Valley, no entanto, todos os participantes terão a expertise para empreender a partir de suas vivências de imersão no SW.


O SW é organizado por Paulianne Campos, engenheira sênior em Qualidade de Software no Sidia, Ludymila Lobo, que é organizadora do GDG Manaus e Embaixadora Women Techmakers, por Glaucia Campos, Head Startups Ecossystem PPED INDT, Community Leader Jaraqui Valley e Teia Digital Amazônica, Embaixadora CASE 2019, Juliany Raiol, desenvolvedora de Software no INDT, e Carol Queiroz, CEO na Event, e acontece de 23 a 25 de agosto, na Faculdade Martha Falcão, e a expectativa de público  é de 120 pessoas entre participantes, organizadores, mentores e jurados.


Para saber mais sobre, clique aqui.

Veja mais notícias sobre Ciência e Tecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 26 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/