Manaus 30º • Nublado
Sábado, 24 Fevereiro 2024

Incentivo à empreendimentos amazônicos geram inovação em áreas cada vez mais diversas

O segmento empresarial passou por muitas inovações no decorrer das eras. Desde a célebre frase muito utilizada por Henry Ford, criador da marca de veículos Ford, "o cliente pode ter um carro da cor que quiser, desde que seja preto", os empreendimentos passaram por diversos processos de modernização, inovação tecnológica e, claro, personalização de produtos conforme às necessidades e os anseios do consumidor (uma afronta direta ao criador do fordismo).

E, pensando cada vez mais nesses anseios e nas 'dores' dos consumidores, surgem empresas com maior capacidade inovadora, com o poder de revolucionar e trazer novas tecnologias que impactam diretamente na vida das pessoas.

Nesse contexto, a Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) da cidade de Manaus, possui diversos projetos para apoiar e favorecer empreendedores que visem a especialização pessoal ou a criação de startups que levem essa força da inovação em sua proposta de realização.

"Fomentamos, principalmente as startups que são empresas inovadoras que desenvolvem soluções aplicadas a diversos segmentos econômicos. O PROINFE é uma legislação que concede incentivos fiscais que favorecem a criação e o fomento do Polo Digital de Manaus (PDM), destinado à instalação de startups, preferencialmente, no centro histórico de Manaus", 

destaca Leonardo Rodrigo da Silva, diretor do departamento de planejamento e apoio ao empreendedor da Semtepi.
Foto: Reprodução/ Prefeitura de Manaus

Ideias e ideais 

Manaus, cidade com o maior polo industrial da América Latina, é lar de empresas tradicionais e startups que dividem espaço em busca de soluções que possam entender e resolver problemáticas, das mais gerais, como a locomoção, às mais específicas, como o mercado do entretenimento digital independente.

Comprovando o potencial dos empreendimentos na capital do Amazonas, um dos grandes exemplos é a cidade ter sido escolhida para abrigar a Campus Party Amazônia - realizada em outubro deste ano -, evento que gerou diversos cases de empreendedorismo atrelado a inovações tecnológicas em suas inúmeras palestras.

Dentre estes, dois despertaram bastante curiosidade: um barco voador e uma plataforma de streaming que trabalha com produções independentes na Amazônia. Ambos os empreendimentos demonstram a capacidade tecnológica que pode ser desenvolvida a partir da necessidade de adaptação.

'Volitan', o barco voador da Amazônia 

Um barco voador produzido no coração da Amazônia. Este é o projeto da empresa Aero River, que mais parece saído dos livros de ficção científica. Mas ele é real e já tem até um protótipo funcional.

Segundo Tulio Condé Duarte, cofundador da Aero River, o empreendimento surgiu com o objetivo de solucionar um grande problema da realidade amazônida: o da locomoção fluvial.

Volitan, o barco voador da Aero River. Foto: Reprodução/Aero River
Com municípios de difícil acesso em toda a Bacia Amazônica, o propósito do barco voador é oferecer uma solução de tecnologia de ponta que pode, além de facilitar a travessia de passageiros dentre os rios da Amazônia Legal, transportar mercadoria e matéria prima com maior velocidade.

"As grandes dificuldades logísticas da região amazônica são por conta do território muito distante e ausência de estrada, de infraestrutura. Hoje o que nós temos são os rios como estrutura, mas os transportes nos rios são muito lentos, principalmente por causa da resistência da água. Então temos, por exemplo, um barco regional que navega a 15 quilômetros por hora e uma lancha a jato que navega a uns 50 quilômetros por hora", explica o cofundador da Aero River, sobre o que inspirou a criação do projeto.

 Streaming para produtores independentes 

Empresas de streaming voltadas para entretenimento são cada vez mais comuns. Aplicativos por assinatura que proporcionam acesso à uma infinidade de filmes, músicas, documentários, podcasts e tudo mais que se possa condensar. A gama de variedade deste mercado parece ser infinita. Visando utilizar esse mercado em ascensão como forma de fomento cultural de produção independente foi criado o 'SonoraPlay'.

"O Sonoraplay é um projeto em constante evolução. A gente começou focando em música e com o tempo percebemos que ele podia abraçar também outras áreas do audiovisual e assim, passamos a trabalhar para criar uma plataforma de streaming voltada especialmente para incentivar, preservar e divulgar as riquezas audiovisuais da Amazônia", relata Raquel Omena, CEO do SonoraPlay.

A empreendedora destaca que o projeto surgiu após a percepção da necessidade de projeção que o cenário artístico Amazônico possui, principalmente quando se considera a relevância da região na percepção mundial. Para ter relevância nacional e "furar a bolha", os artistas precisavam primeiro buscar notoriedade no eixo sul-sudeste, em especial no Rio de Janeiro e em São Paulo. E é justamente esse processo que a plataforma visa encurtar.

"Por que estamos há tanto tempo agindo dessa mesma forma, buscando através do eixo Rio-São Paulo esse reconhecimento, em vez de reunir nossas produções da Região Norte e colocá-las em visibilidade a apenas um clique de pessoas interessadas na Amazônia, não só no Brasil como no mundo? Já ficou claro que essa 'cultura' de ser visto primeiro pelo Sudeste para que o Brasil nos veja ou nos escute, além de nunca ter funcionado, nunca projeta nossos artistas", 

destaca Raquel.
Segundo a CEO, o "mundo está de olho na Amazônia" e por isso suas produções não devem depender da visibilidade de outras regiões.

O projeto que começou analógico ganhou escopo mais tecnológico por conta das necessidades, tanto do público quanto do próprio negócio. Trabalhando com gravação de shows, fomento de filmes, vídeos e documentários independentes, a necessidade de adaptação é constante. Atualmente a empresa está investindo na implementação de uma nova plataforma inteligente, com funcionalidades que podem ajudar os produtores que utilizam a plataforma, como o implemento de uma loja interativa e integrada. "Com essa função, artistas e produtores poderão gerar links e interações no próprio vídeo da produção", explica Raquel.
Página inicial do serviço de Streaming SonoraPlay. Imagem: Reprodução/SonoraPlay

Empreendedorismo e inovação em Manaus

É com base em exemplos de empreendimentos cada vez mais ambiciosos como estes, que a cidade de Manaus é apoiada pelos projetos da Semtepi. Focada em inovação, empreendedorismo e trabalho, a secretaria oferece capacitação de empreendedores e trabalhadores, fomenta a criação de novas startups, organiza eventos que projetam a economia criativa da cidade e oferta empregos.

Qualquer um que queira se especializar pode aproveitar as mais variadas atividades ofertadas, segundo Leonardo Rodrigo da Silva, diretor do departamento de planejamento e apoio ao empreender.

Mais um exemplo desse incentivo é a 'Inovathon', realizada por meio da Semtepi e do Fundo Municipal de Empreendedorismo e Inovação (Fumipeq). Trata-se de uma competição de ideias, parte do edital 'Mais Inovação'.

O evento realizado em meados de novembro foi executado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com o propósito de criar um espaço propício para o desenvolvimento de soluções inovadoras, visando identificar problemas e construir soluções de interesse social por meio da inovação.

"Uma competição de ideias é um terreno fértil para a criatividade e a inovação florescer, além de proporcionar aos participantes um espaço público como o Casarão da Inovação Cassina, para compartilhar suas visões, desafiar os limites e transformar conceitos em soluções tangíveis. Eu não tenho dúvidas de que esses eventos podem fornecer uma plataforma de soluções para os desafios enfrentados em nossa cidade", 

salientou o secretário da Semtepi, Radyr Júnior.

Durante três dias de imersão, os participantes tem acesso à mentores especialistas em soluções públicas para obter o melhor acompanhamento das atividades.

Sobre a Semtepi

A Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) implementa políticas públicas que ofertam qualificação e capacitação profissional aos trabalhadores da área urbana e rural de Manaus, visando emprego e renda. A partir desse princípio, a Secretaria busca realizar ações voltadas para o segmento do Empreendedorismo, Economia Solidária e Criativa e Apoio ao Artesanato.

Veja mais notícias sobre Especial Publicitário.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 24 Fevereiro 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/