Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 29 Outubro 2020

Empreender: uma jornada de autoconhecimento

Empreender: uma jornada de autoconhecimento

Autoconhecimento ainda é um tema muito distante da timeline de muitas pessoas. Para alguns ainda é taxado como “frescura”, acreditam firmemente no determinismo e que as coisas acontecem porquê deveriam acontecer. 

Alguns poucos, hoje, já levam mais a sério a importância do desenvolvimento pessoal, da inteligência emocional e da luta contra os sabotadores. 

Uma das principais ferramentas de Planejamento Estratégico é a busca pelas respostas sobre a missão, visão e valores do negócio. As razões pelas quais a empresa existe, o que ela busca alcançar e como pretende chegar nesse resultado. 

Não podemos esquecer que por trás de todo negócio existe uma pessoa que, na maioria das vezes, deverá vencer inúmeras provações e desafios para fazer com que o negócio prospere. 

Para mim, empreender é uma jornada de autoconhecimento. Empreender demanda um esforço enorme em manter a motivação, a criatividade, a resiliência e a visão de longo prazo em funcionamento. 

Empreender se encaixa no Monomito, ou na “Jornada do Herói”. Para ficar simples, esse é um conceito criado por Joseph Campbell que criou uma forma de narrativa. Um jeito de contar histórias que tem sido replicado incansavelmente pela industria cinematográfica. Inclusive, esses conceitos se tornaram um memorando na Disney para construção de novas estórias. 

A Jornada do Herói começa com um desejo/necessidade de fazer algo diferente para mudar o mundo, salvar a terra e outros objetivos (o famoso chamado da aventura). Na maioria das vezes existe uma recusa (por falta de tempo, falta de capacidade, outras prioridades) e surge a figura do mentor (geralmente uma pessoa mais velha que serve de guia e reforça a importância de aceitar a missão). 

Então, surgem os inúmeros desafios, a dúvida sobre a real importância da missão, a decepção, a descoberta de algo nas “entrelinhas” e as primeiras derrotas. E, sempre (ou quase sempre) a redenção e a volta para casa. 

Consegue enxergar como isso se aplica na hora de empreender e ter um negócio?

Particularmente, gosto muito desses paralelos. Você não precisa inventar nada, já existem muitos direcionamentos dos quais são possíveis identificar formas de adaptação. 

Você só se torna herói vencendo as adversidades e potencializando habilidades. E, para começar, algumas ferramentas podem ser colocadas em prática:

1. Análise SWOT: uma diagrama onde você escreve os seus pontos fortes, pontos fracos, as ameaças e oportunidades. Sugiro ter atenção especial as fraquezas, elas podem se tornar grandes obstáculos se não forem tratados e desenvolvidos. 

2. Teste de Personalidade: pela internet é possível encontrar diferentes tipos de testes. Gosto do Eneagrama. Algo interessante é poder comparar sua personalidade com as características de outros personagens históricos. 

3. Teste de Valores: saber quais são os valores mais importantes para você possibilita uma tomada de decisão mais sustentável e assertiva. 

Vamos colocar isso em prática? A sua jornada em busca da vitória começa aprendendo mais sobre você mesmo. Esse é o jeito baré de empreender.

Veja mais notícias sobre André Torbey.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 29 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/