Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Segunda, 26 Outubro 2020

Faturamento do Polo Industrial de Manaus cai 8% em sete meses



MANAUS
- O Polo Industrial de Manaus (PIM) iniciou o segundo semestre com queda de 7% no faturamento em relação ao mesmo período de 2014. Segundo informações divulgadas da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), no mês de julho, o faturamento das indústrias incentivadas pelo modelo ZFM somou um total de R$ 6,051 bilhões (US$ 1.877 bilhão). Já na comparação em dólar a queda foi ainda maior: 35,81%.No acumulado dos sete primeiros meses de 2015, o faturamento do PIM foi de R$ 43,883 bilhões (US$ 14.675 bilhões), o que indica uma queda de 8,21% (29,81% nos valores em dólar) na comparação com o período de janeiro a julho de 2014.
De acordo com a autarquia, a queda no faturamento global do PIM está ligada principalmente ao desempenho do setor Eletroeletrônico (inclusive Bens de Informática), o qual responde, tradicionalmente, por cerca de 40% dos níveis de faturamento, investimento e empregos no Polo. Entre janeiro e julho de 2015, o segmento eletrônico registrou faturamento de R$ 20,146 bilhões, o que representa diminuição de 16,9% em relação ao mesmo período de 2014 (R$ 24,246 bilhões). Na comparação do acumulado dos sete primeiros meses deste ano com o mesmo período do ano passado, o Polo Eletroeletrônico também apresentou diminuição na produção de seus itens mais representativos, como tablets (queda de 74,42%), telefones celulares (queda de 32,72%) e televisores com tela de cristal líquido (queda de 28,14%). Para o presidente Sindicato da Indústria de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares de Manaus (Sinaees) e presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, o decréscimo nas vendas de eletrônicos no semestre já era esperado. A crise e a Copa do Mundo do ano passado seriam os motivos. “Não é novidade. (A queda) é reflexo da situação que o país atravessa, da falta de confiança do consumidor. Ninguém está comprando. Além disso, o comparativo também ajuda ainda mais a derrubar os números. Ano passado tivemos Copa do Mundo, quando boa parte das compras foi feita durante este período do ano. Por isso, a comparação com este ano, que não tivemos este advento, fica ainda mais dramática”, explicou.
Ainda segundo a Suframa, em 2014, como com R$ 42,8 bilhões (US$ 18.2 bilhões) em faturamento, o setor Eletroeletrônico (incluindo os Bens de Informática) representou quase metade (49,26%) do faturamento total do PIM em 2014, que foi de R$ 87,2 bilhões (US$ 37 bilhões). Isolado, o setor de Informática representou 16,51% do total faturado no Polo Industrial, desempenho nunca registrados nos Indicadores, superando inclusive o setor de Duas Rodas, que faturou R$ 13,6 bilhões (US$ 5.8 bilhões) ou 15,71% do total. Para o presidente do Sinaees a tendência de queda deverá se manter até o fim de 2015, derrubando o desempenho anual do setor em relação ao ano passado. “A expectativa para o ano é de queda. Teremos um 2015 pior que 2014. Não há nenhum indicativo que nos faça acreditar que haverá uma melhoria”, justificou Périco. Outros setores registram alta Outros setores representativos do PIM, no entanto, apresentaram resultados positivos no acumulado de janeiro a julho de 2015. Casos do Polo de Duas Rodas (faturamento de R$ 7,815 bilhões e crescimento de 0,85%), Relojoeiro (faturamento de R$ 714,758 milhões e crescimento de 4,93%) e Químico (faturamento de 5,88 bilhões e crescimento de 5,01%). Entre os principais produtos fabricados no PIM, o maior destaque no acumulado dos sete primeiros meses de 2015 foram os aparelhos condicionadores de ar. A produção de 1.991.404 unidades de condicionadores do tipo split system e de 463.468 unidades de condicionadores do tipo janela representou crescimentos de 6,95% e 33,84%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2014.
Empregos
De acordo com os números da Suframa, a mão de obra empregada do PIM totalizou, em julho, 101.593 trabalhadores, entre temporários, terceirizados e efetivos. O indicador apresenta queda de 2,76% em relação ao mês imediatamente anterior (104.473 trabalhadores) e de 15,26% em relação a julho de 2014 (119.891 trabalhadores). Com os resultados apurados em julho, a média mensal de mão de obra do PIM em 2015 ficou ajustada em 110.513 trabalhadores, o que representa queda de 10,79% em relação à média mensal de trabalhadores em igual período do ano passado (123.886 trabalhadores).

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 26 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/