Manaus 30º • Nublado
Terça, 06 Dezembro 2022

Pelo menos quatro presos são mortos em nova rebelião em Manaus

Pelo menos quatro presos são mortos em nova rebelião em Manaus
Pelo menos quatro pessoas morreram em uma rebelião na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no centro de Manaus, na madrugada deste domingo (8). Segundo nota da Secretária de Estado de Comunicação do Amazonas (Secom-AM), os detentos iniciaram uma briga por motivo desconhecido e três foram decapitados e um mortos por asfixia. A situação neste momento é considerada estável e com policiamento reforçado pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar. As mortes serão investigadas.

"Eu confesso que não tenho explicação para o que aconteceu aqui, pois os presos que estão aqui são aqueles separados da massa carcerária", disse o secretário de administração penitenciária do Amazonas, Pedro Florêncio, em entrevista ao portal Radar 10. "Eles são todos iguais", completou.

O secretário também não soube explicar como os objetos usados para matar os presos entraram na cadeia. "Isso é uma pergunta de vestibular", disse. Segundo ele, há relatos de que os presos que já estiveram na cadeia, que foi desativada no último mês de outubro, encontraram 'tocas' onde estoques e facões estavam escondidos.

A alteração começou por volta das 3h do horário local (5h de Brasília). Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), para identificação. Do lado de fora da Cadeia Pública, familiares iniciaram um tumulto em busca de informações sobre os detentos. O Batalhão de Choque interveio com spray de pimenta.

Na sexta-feira (6), os detentos haviam provocado tumulto no local, protestando por mais espaço e melhores condições de infraestrutura. A cadeia pública Vidal Pessoa estava desativada desde outubro de 2016 após recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mas cerca de 280 detentos foram transferidos para o presídio após a chacina no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), ocorrida no dia 1° e que resultou na morte de pelo menos 56 presos.

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, disse na sexta-feira que os detentos devem permanecer na cadeia pública, que está em obras, por cerca de três meses. O policiamento no local já havia sido reforçado e as visitas na unidade estavam suspensas.

Veja mais notícias sobre Cidades.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 06 Dezembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/