Manaus 30º • Nublado
Sexta, 20 Mai 2022

Número de homicídios de mulheres na Região Norte cresce 112% em 10 anos

MANAUS - Milhares de pessoas morrem todos os anos no Brasil pelo simples fato de serem do gênero feminino. O Brasil é o país com a quinta maior taxa de homicídios de mulheres. Mais alarmante são os dados sobre a Região Norte. Só em 2013, na região, foram mortas 503 mulheres por discriminação, menosprezo ou violência doméstica.
Esses são números do relatório Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil lançado pela pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso). O estudo é de autoria do sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, que já faz essa pesquisa a mais de dez anos no Brasil. A pesquisa analisa dados oficiais nacionais, estaduais e municipais sobre óbitos de mulheres entre 1980 e 2013, incluindo registros médicos.
Graças ao relatório, é possível estimar o aumento no número de homicídios de mulheres ao longo dos anos. Os estados da Norte, por exemplo, tiveram em dez anos a quantidade de homicídios duplicado. Um dos fatores desse aumento foram os números do estado de Roraima. São, ao todo, pouco mais de 15 mortes a cada 100 mil mulheres; a maior taxa de homícidios do país. 
Roraima
Mas por que o estado de Roraima tem uma taxa de homicídios de mulheres tão alta? A Secretária Técnica da Coordenação Especial de Políticas para Mulheres do Estado de Roraima, Aina Vasconcelos, disse que um dos fatores pra essa índice tão alarmante é que até março desse ano não existia qualquer órgão de políticas publicas específico para mulher. "É muito recente a abertura da Coordenação, que foi em Março de 2015. Desde então começamos a implantar outras medidas mais específicas contra a violência".
Desde a criação da Coordenação foram criadas algumas medidas como forma de deter o aumento no número de casos. Um exemplo disso é o projeto Ronda Maria da Penha, onde mulheres que já tem alguma passagem na delegacia por maus-tratos e violência tem visitas diárias de uma ronda da Polícia Militar.
Norte
De acordo com a ativista feminista, Michelle Andrews, o mundo está em processo de transformação. O crescimento do acesso a novas tecnologias e a conscientização da mídia vai fazer esse número na região crescer ainda mais. "Em 2013 o smartphone chega na periferia, no interior dos estados. Desde então a facilidade da tecnologia só cria mais espaços que antes não existiam. Imagina o alcance que um canal no whatsapp de proteção a mulher ou de denuncias pode ter. O lance é pensar a cultura local e a tecnologia juntos  pra criar políticas públicas mais diretas e uteis".
Ela salienta também que a mídia precisa ser mais consciente da relação que ela tem na construção de dialogos com a sociedade. "A mídia também precisa ser mais consciente e não culpar a mulher pela violência que sofre. Do contrário fica parecendo que a mulher é culpada pela violência e nada justifica a violência contra ela".
Número de homicídios de mulheres na região Norte cresce 112% em dez anos
Create column charts

Veja mais notícias sobre Cidades.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 20 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/