Manaus 30º • Nublado
Segunda, 15 Abril 2024

MPF investigará empresa dona de aviões que caíram em Roraima

MPF investigará empresa dona de aviões que caíram em Roraima
Foto: Inaê Brandão/Rede Amazônica Roraima
Após dois acidentes aéreos em um curto período de tempo, o Ministério Público Federal em Roraima informou nesta terça-feira (4) que instaurou uma investigação para apurar as circunstâncias. As aeronaves envolvidas são da empresa Paramazônia Táxi Aéreo Ltda. Segundo o G1 Roraima, ao procurar o dono da empresa uma pessoa atendeu a ligação e informou que ele não podia atender as chamadas.

Em 20 dias dois aviões da Paramazônica caíram em Roraima. O primeiro foi dia 14 de junho, quando o monomotor pilotado por Elcides Rodrigues Pereira, de 64 anos, o 'Peninha', deu pane e teve um pouso forçado em um rio. Ele seguia acompanhado do técnico em enfermagem Ednilson Cardoso, de 28 anos, para uma missão na Terra Indígena Yanomami. Os dois sobreviveram ao pouso forçado, mas o piloto morreu quando a Paramazônia tentou resgatá-lo.

Já o segundo acidente aconteceu nesta segunda-feira (3), quando um monomotor da Paramzônia fretado pelo Exército caiu logo após a decolagem. Três servidores do Ibama e o piloto da aeronave morreram. Um outro servidor sobreviveu, mas teve metade do corpo queimado e segue em estado grave em hospital no Rio de Janeiro.

De acordo com o MPF-RR, a investigação é no âmbito cível. Na esfera criminal, o MPF-RR ainda aguarda o término das investigações pelos órgãos responsáveis para verificar se existe alguma providência a ser adotada dentro da competência de atuação do órgão.

O ministério deve verificar ainda eventuais outros acidentes recentes que envolveram prestação de serviços de táxi aéreo a órgãos e entidades federais. "A intenção do MPF-RR é apurar, dentro de sua atuação cível, a possível falta grave de segurança na prestação desses serviços, verificando supostas falhas na fiscalização de contratos administrativos de órgãos e entidades federais firmados com a empresa Paramazônia", informou.

O MPF-RR disse ainda em nota que "sob o aspecto da prevenção, surge a necessidade de atuação para verificar a qualidade da fiscalização, por servidores dos órgãos correspondentes, acerca dos contratos vigentes de prestação dos serviços de táxi aéreo na área federal em Roraima".

Veja mais notícias sobre Cidades.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 15 Abril 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/