Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 07 Agosto 2020

Ao som de Anitta, enfermeira e grávida viralizam com dança para aliviar dores antes de parto

Ao som de Anitta, enfermeira e grávida viralizam com dança para aliviar dores antes de parto

Quem trabalha em maternidade tem o dever de assistir as grávidas desde o início da gestação, até o acompanhamento pós-parto. Para elevar o nível do programa de humanização do parto feito na maternidade Azilda da Silva Marreiro, em Manaus, é imprescindível a participação enfermeiros humanizados, que abraçam a tarefa de levar conforto às mães. Esse é o caso da enfermeira Rebeca Motter, que viralizou nas redes sociais ao surgir dançando Anitta com uma grávida nos corredores do hospital.



No vídeo a enfermeira aparece com a dona de casa Gerliane Sousa, de 23 anos. Ela já estava prestes a ter o filho quando, em um dia de atendimento com Rebeca, a música e a dança entraram em ação. Ao som de 'Paradinha', da cantora Anitta, a enfermeira dançou até o chão com a paciente. Confira o vídeo:






"Foi um momento em que ela estava passando por uma explosão de sentimentos, totalmente vulnerável. Nós sempre estamos preocupados com a questão da humanização, dos exercícios para ajudar. Fiquei surpresa e feliz com a repercussão", conta a enfermeira.

Gerliane sousa lembrou que foi para a maternidade Azilda Marreiro e se surpreendeu ao conhecer o trabalho feito pela unidade. Em especial, pela enfermeira Rebeca. Ela, que morria de medo do procedimento para dar à luz, logo perdeu ao conhecer o trabalho da equipe que Rebeca faz parte.


"Quando soube do vídeo que estava viralizando, eu já estava aguardando para ir para a sala do leito. O maqueiro me falou e eu fiquei surpresa. Quando entrei nas redes sociais, vi muita gente compartilhando. Eu amei quando a Rebeca me tratou bem. Ela sempre tratou todos bem aqui. Amei demais essa mulher", contou a nova mãe, com lágrimas nos olhos e o bebê já a tiracolo.

Foto: Reprodução/Internet


Segundo a diretora da maternidade Azilda Marreiro, Juliana Evangelista, a unidade começou um trabalho de humanização do parto no início de 2019, com a instalação de uma sala de parto humanizado.


"Das mães que eram mandadas embora para serem reavaliadas depois de duas horas, tivemos uma redução de 15% para que agora aconteça o parto normal. Isso em relação a 2018. As pacientes que são internadas hoje fazem um trabalho para que possam evoluir melhor a dilatação e conseguirem ter um parto normal e também saudável". explicou a diretora.


Para ela, ter enfermeiras como Rebeca faz com as mães sintam confiança ao entender que o parto é um momento único e muito especial. Um momento que pede carinho e parceria.



"Quem transforma o parto normal em um momento especial é o profissional que consegue tranquilizar a mãe e mostrar que é um momento mágico para ela", finaliza a médica.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 07 Agosto 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

No Internet Connection