Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Domingo, 27 Setembro 2020

A biblioteca como um espaço dinâmico

A biblioteca como um espaço dinâmico

Você sabia que desde 2010 existe uma lei que estipula que todas as instituições de ensino públicas e privadas tenham uma biblioteca até 2020? Trata-se da Lei 12.244/2010. Ela torna obrigatório um acervo de, no mínimo, um título para cada aluno matriculado. Mas em dezembro de 2018, dados do Inep apresentados em audiência pública na Câmara dos Deputados, em Brasília, mostraram que 55% das escolas brasileiras ainda não tinham biblioteca escolar ou sala de leitura. 

Penso que precisamos desconstruir alguns mitos sobre a leitura e a biblioteca. Um deles é que a biblioteca é um lugar para se frequentar apenas durante a vida escolar. Após essa fase, em geral, as pessoas deixam de frequentá-la. E quando frequentam, é apenas para procurar algum livro e não para utilizá-la como um espaço de convivência também. Outros mitos são que as pessoas não têm tempo para ler, que livro é chato, que não é interativo, que não é um brinquedo e que, por isso, não serve de presente, ou ainda que livro é caro e que é para poucos. São muitos os mitos que precisam ser desconstruídos ou ressignificados para se criar um novo valor simbólico para ele e, ao mesmo tempo, para a biblioteca. Portanto, a escola deve ser um espaço de incentivo ao uso dinâmico da biblioteca, investindo em ações que garantam que esta atue com todo o seu potencial.

Foto: Pixabay

Para isso, precisamos mostrar que os espaços da biblioteca devem dar acesso aos livros e também promover a leitura nos seus diferentes suportes, nas diferentes linguagens e possibilidades de conexões, através de diálogos e reflexões sobre temáticas e acontecimentos locais e globais. Ela é um espaço de conhecimento, informação, ficção, fantasia, encontros, promoção cultural e inclusão, e por isso, precisa extrapolar seu espaço físico, dialogando com sua comunidade. Ela precisa ser viva, dinâmica e atraente para inspirar, despertar a vontade de nela se passar um tempo e se sentir prazer nisso. Precisamos ressignificar o uso da biblioteca para toda a comunidade escolar, incluindo as famílias.

O professor, mediador e animador da leitura, precisa buscar um constante envolvimento com o universo dos livros e da biblioteca, mas antes, precisa gostar de ler e gostar de livros. Ele precisa incentivar a ida à biblioteca e torná-la atrativa. É importante que ele esteja junto dos seus alunos, desenvolvendo atividades, projetos e ações prazerosas associadas a esse espaço.

Portanto, destaco a importância da lei que normatiza a instalação desses espaços nas escolas. Espero que ela seja efetivamente cumprida e não fique apenas no papel, afinal, ler é uma ação dialógica com o mundo e com tudo que o cerca.

Veja mais notícias sobre Ana Cecília Marques.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 28 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/