União Europeia pede que Venezuela libere opositores políticos

Representante da UE para a Política Exterior, Federica Mogherini. Foto: Reprodução/Site oficial-federicamogherini.net

Os ministros do Exterior da União Europeia (UE) pediram nesta segunda-feira (15) que a Venezuela “investigue todos os incidentes violentos”, libere os opositores políticos e respeite os direitos constitucionais. “A violência e o uso da força não resolverão a crise do país. Devem ser respeitados os direitos fundamentais do povo venezuelano, incluindo o direito a se manifestar pacificamente”, disseram os ministros da UE, em conclusões que aprovaram nesta segunda em um conselho em Bruxelas, na Bélgica.

No primeiro texto, os países da União Européia, quando abordaram a situação da Venezuela, pediram a “todos os agentes políticos e às instituições” do país para trabalharem “de forma construtiva em prol de uma solução” que respeite plenamente o Estado de Direito e os direitos humanos, bem como as instituições democráticas e a separação de poderes.

Os ministros expressaram sua “preocupação” com os mais de 600 mil cidadãos europeus que vivem na Venezuela e se ofereceram para “cooperar com as autoridades venezuelanas” para que garantam sua assistência, proteção e segurança.

As conclusões vieram precedidas por um discurso da alta representante da UE para a Política Exterior, Federica Mogherini, no qual externou a preocupação com os cidadãos e considerou a situação na Venezuela “desestabilizadora para a região”, segundo fontes diplomáticas. As informações são da Agência Brasil com notícias da EFE.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Camu-camu é usado para enriquecer farinha de mandioca

Pesquisadores brasileiros constataram que a adição de camu-camu à farinha de mandioca amarela é capaz de enriquecê-la nutricionalmente, torná-la...

Leia também

Publicidade