Manaus 30º • Nublado
Sexta, 17 Setembro 2021

Com orgulho: estudante bomba nas redes sociais mostrando a realidade do acreano

djdjdj_20210908-131819_1

Com simplicidade e mostrando a rotina do dia a dia, o estudante de enfermagem Luiz Felipe Albuquerque, de 25 anos, tem expandido seu alcance nas redes sociais. Morador de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, Luiz aparece sempre com expressões regionais com o sotaque acreano arrastado e carregado de muito humor.


Estudante de enfermagem, ele conta que nunca teve muito tempo para se dedicar à criação de conteúdo na página que já mantém há muitos anos, mas, durante a pandemia e a suspensão das aulas presenciais, ele pôde focar mais no entretenimento. O primeiro vídeo que viralizou foi ele falando sobre as expressões acreanas.

Desde o início da pandemia e com o isolamento social, ele já alcançou quase 18 mil seguidores em sua página - que reúne sua rotina como estudante, body piercer, como morador da Amazônia e também como autor de vídeos divertidos ao lado da mãe.

Longe dos luxos e grandes cenários instagramáveis, Luiz faz a simplicidade prender a atenção de milhares de internautas.

"De vez em quando algum vídeo meu viraliza, mas só consegui investir nisso de verdade quando começou a pandemia, porque minhas aulas presenciais foram suspensas e pude focar mais nisso, porque antes não tinha muito tempo", conta. 

Foto: Reprodução/Instagram

Amor pelo Acre

Acreano raiz, o estudante faz questão de mostrar as gírias, as peculiaridades e o amor pelo estado - que virou marca na pele ao fazer uma tatuagem com o nome Acre. Aliás, duas, porque no pescoço ele também tem outra que faz referência ao estado, escrita a 'Made In Acre'.

Figurinha carimbada, a mãe de Luiz demorou para entender que o Instagram poderia ser uma fonte de renda. O estudante diz que precisou explicar para ela como funcionava essa ferramenta e como poderia ganhar algo com isso.

Agora, ela participa e é uma das maiores parceiras do estudante. As piadas genuinamente acreanas saem de forma muito natural, resultado de um sangue cruzeirense descendente de nordestinos.

"No interior do estado a gente ainda tem muito das nossas raízes nordestinas - o jeito de falar, sotaque, então são insights que tenho durante o dia de achar que alguém se identifica e acabo fazendo os vídeos", conta. 

Um dos vídeos mais acessados é a paródia que ele faz do governador Gladson Cameli lendo um decreto fake sobre o calor no Acre. Foi também sobre friagem que ele fez um vídeo no mesmo estilo que fez sucesso. Confira:


Mas, sobre o vídeo do calor, publicado no último 25, quando o estado registrou altas temperaturas, foram 104 mil visualizações e superou as expectativas. "Nego véi não tá dando mais não; de noite 42ºC na sombra da lua é demais. Vou ter que soltar outro decreto", diz imitando a voz do governador.

Ele fala em medidas drásticas e brinca dizendo que quem sair sem desodorante vai ser multado em um saco de farinha - produto típico produzido em Cruzeiro do Sul.

Além disso, para engajar o vídeo, ele fez um desafio apostando que, caso o vídeo viralizasse, a mãe dele cumpriria um desafio, que era descer em um tobogã. Esse reels já foi visto mais de 15 mil vezes. 

'Orgulho'

Mais do que humor, Luiz quer mostrar o Acre para outros estados, mas também fazer com que as pessoas que moram aqui se orgulhem.

"Meu objetivo sempre foi mostrar o Acre para o resto do Brasil, porque aqui tem coisa bonita, vem muita gente de fora ver o que temos aqui e às vezes não damos valor. Eu sou uma pessoa que dá muito valor para nosso estado, que lutou para fazer parte do país. Quero levar conhecimento do Acre para o Brasil, mas também para que as pessoas que moram aqui se orgulhem", diz.

Atualmente, ele já consegue ganhar dinheiro com o Instagram e, inclusive, consegue ajudar algumas pessoas. Para o futuro, ele pensa em melhorar ainda mais o conteúdo da sua página e em dar conforto para sua família, principalmente realizar os desejos da mãe.

Para além dos algoritmos, a rede social para o estudante é mudança de vida; uma ferramenta para crescer, ter voz e também conseguir ajudar outras pessoas.

"Já consegui algumas ações, como reunir dinheiro e comprar um celular para uma menina que precisava de um para estudar e consigo dar coisas para minha mãe que ela não conseguia me dar. Eu sempre costumo dizer que o único lugar que o pobre consegue ser famoso é na internet. Todos os dias, falo para 5 mil a 6 mil pessoas e isso muda demais a gente. A gente cria uma perspectiva que nem tinha", finaliza.

Veja mais notícias sobre CidadesAcre.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 17 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/