Olimpíada de Língua Portuguesa: Acre, Pará e Rondônia conquistam medalhas de ouro

Na noite desta segunda-feira (9), em cerimônia realizada na Sala São Paulo, na capital paulista, foram anunciados os 28 estudantes vencedores e seus professores da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa. Foram reconhecidas 20 produções de todas as regiões do país, quatro em cada categoria: poema (5º ano do Ensino Fundamental), memórias literárias (6º e 7º anos), crônica (8º e 9º anos), documentário (1º ano do Ensino Médio) e artigo de opinião (3º ano do Ensino Médio).

Foto:Bianca Pimenta/Itaú Social

A edição deste ano da Olimpíada se iniciou em fevereiro, com a abertura das inscrições para professores e alunos da rede pública. O concurso recebeu 171.037 inscrições de todos os estados e teve adesão de 87,5% dos municípios brasileiros – total de 4.876 cidades. A principal novidade foi a inclusão do gênero documentário para alunos do 1º e 2º anos do Ensino Médio.
 
 
A Olimpíada de Língua Portuguesa é realizada pelo Itaú Social e pelo Ministério da Educação (MEC), com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). O objetivo é apoiar os professores da rede pública no aprimoramento das práticas de ensino de leitura e escrita. A partir da metodologia do Programa Escrevendo o Futuro, os professores realizam as oficinas de produção de texto com seus alunos.

Os professores também concorreram na categoria Relato de Prática, na qual registram suas experiências com a realização das oficinas, descrevendo aprendizagens, descobertas, desafios e reflexões. A premiação dessa categoria ocorreu durante a etapa de semifinais.
 

Houve novidades também entre as premiações, que passaram a incluir imersão pedagógica internacional para os professores e viagem cultural em território brasileiro para os estudantes. As escolas dos alunos vencedores receberão como prêmio acervo para reforço da biblioteca.
 

O concurso conta com a parceria da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura. Nesta edição foram 4.876 municípios participantes, com 42.086 escolas inscritas, 85.908 professores inscritos, 171.037 inscrições nas categorias, e mais de 5 milhões de alunos participantes das oficinas de leitura e escrita realizadas para a produção dos textos.

Foto:Bianca Pimenta/Itaú Social

Confira os vencedores da Amazônia, por categoria:

  • Poema

   Mayra Lourrana de Souza Silva
   Professor: Edio Wilson Soares da Silva
   Escola Municipal Daniel Berg
   Vitória do Xingu – PA

  • Memórias Literárias

   Karoline Vitória de Souza
   Professor: Alan Francisco Gonçalves Souza
   Escola Estadual Jerris Adriani Turatti
   Espigão do Oeste – RO

   Victor Augusto de Alencar Menezes
   Professor: Paulo Reinaldo Almeida Barbosa
   Colégio Militar de Belém
   Belém – PA

  • Documentário

   Eloís Eduardo Martins/Raele Brito da Costa/Thomaz Bezerra de Menezes  
   Professora: Ynaiara Moura da Silva  
   Escola Estadual Humberto Soares da Costa  
   Rio Branco – AC

A professora de Língua Portuguesa, na escola estadual Humberto Soares da Costa, em Rio Branco, no Acre, que junto com os alunos Eloís Eduardo do Santos, Raele Brito e Thomaz Oliveira foram ganhadores da categoria documentário com a produção Nordestinos no Acre, ressalta que ter o trabalho reconhecido é um orgulho.

“É uma satisfação, um orgulho e um sentimento de gratidão porque a gente sabe o quanto foi difícil chegar até a última etapa e graças a Deus deu certo. Voltamos com a medalha de ouro para o Acre”, comemorou Ynaiara.

Confira o documentário “Nordestinos no Acre“, produzido pelos alunos da escola Humberto Costa:

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Lei determina governo de Rondônia ‘priorizar’ café robusta para consumo na administração pública

Lei publicada em junho já está em vigor. Em caso de descumprimento à norma, decisão deve ser fundamentada, aponta Seagri.

Leia também

Publicidade