4 dicas para passar ou superar a crise econômica que atinge o Brasil

MANAUS – A criação de vagas temporárias de fim de ano deve reduzir em até 80%, conforme previsão do consultor de carreiras Flávio Guimarães. A queda é um dos efeitos da crise que atinge o Brasil. Guimarães e o economista Erivaldo Vale listaram dicas para que assalariados, empreendedores e profissionais liberais reduzam os impactos da crise; veja abaixo:Evite gastosAvalie a necessidade de compra;Fique atento ao seu comportamento enquanto consumidor para evitar gastos desnecessários;Insira sua família no contexto da crise. Todos devem conversar entre si para executar corte de supérfluos;Se possui mais de um veículo, utilize apenas um. Deixe os demais na garagem. Dê prioridade ao uso do transporte público ou pegue carona.Evite dívidas com o cartão de crédito.Reduza os custos fixosTome medidas para evitar o desperdício de energia, água e alimentação.Fique atento a decisões políticas e econômicashttp://redacao.portalamazonia.cworks.com.br/fileadmin/user_upload/acervo/Radar10/RADAR10-DECISOES-POLITICAS-FOTO_DIVULGACAO.jpgPondere o que o Governo faz e fique atento às decisões que impactam sua vida.Seja empreendedorhttp://redacao.portalamazonia.cworks.com.br/fileadmin/user_upload/acervo/Radar10/RADAR10-IDEIAS-EMPREENDEDORAS-FOTO_DIVULGACAO.jpgCrie a necessidade de mercado. Analise possibilidades de empreender no que você domina;Se você tem formação técnica, aproveite o fim de ano para executar trabalhos autônomos para o complemento da renda;Se você tem um negócio, passe a sensação de que está vendendo mais barato, reduza o tamanho do produto e diminua o preço;Evite muitos produtos em estoque.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Censo Demográfico: quilombolas rondonienses tem idade mediana um ano a mais que população total

Na região norte, o maior índice de envelhecimento dos quilombolas foi apresentado por Mato Grosso (76,93) e os menores foram no Amazonas (23,4) e Amapá (28,96).

Leia também

Publicidade