Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 27 Novembro 2020

No Mato Grosso, projeto de ecoturismo indígena prevê visitação em aldeias

ecoturismo-1

Um dos eixos do programa Mais MT, o Turismo de Mato Grosso, terá adequações e investimentos em infraestrutura no valor total de R$ 339,2 milhões. O objetivo é facilitar o acesso e atrair mais turistas para o Estado e de dentro do Estado. Uma das novidades será o turismo étnico (turismo indígena).

Uma das novidades será o turismo étnico (turismo indígena). (Foto:Divulgação/GOV.MT)

O Pantanal mato-grossense, que recentemente vem se recuperando dos danos ambientais e econômicos causados pelos incêndios florestais, contará com ações específicas realizadas por meio do programa Pantanal-Tur, para auxiliar na divulgação do turismo de pesca esportiva e ecoturismo (observação de onças, de pássaros e trilhas). São R$ 46,7 milhões de investimentos para o Pantanal. A iniciativa contará com rodadas de negócios, fortalecimento da atividade pecuária e hotelaria.

Em Chapada dos Guimarães, haverá inicialmente investimentos em locais como o Portão do Inferno e Véu de Noiva. Além deles, também contarão com obras e ações municípios da Baixada Cuiabana. No total, serão investidos R$ 67,5 milhões.

O ecoturismo indígena está previsto em aldeias localizadas em Campo Novo do Parecis, Sapezal, Barra do Bugres, Canarana, Tangará da Serra e compreende a visitação, acompanhamento da rotina dos povos indígenas, danças e apresentações culturais.

"No Araguaia, por exemplo, há muito o que ser explorado na questão do turismo. Além de ser um lugar bonito, essa atividade contribuirá para o fortalecimento econômico na região, mas para isso, vamos trabalhar formas de melhorar o acesso terrestre e investir em pontos de conexão de internet", explicou o secretário adjunto de Turismo, Jefferson Moreno.

Banhista. (Foto:Divulgação/Secom-MT)

Os investimentos na melhoria da infraestrutura turística alcançam o montante de R$ 120 milhões. São previstas ações para conectividade em pontos de acesso à internet em áreas turísticas de todo o Estado, melhoria dos acessos aos pontos turísticos e da infraestrutura local.

O Governo prevê ainda construção de seis orlas turísticas, nos municípios de Barão de Melgaço, Santo Antônio de Leverger e Cáceres e em outros três locais a serem definidos, no valor de R$ 55 milhões; e outros R$ 50 milhões para financiamento de projetos em parceria com a Agência de Fomento do Estado de Mato Grosso (Desenvolve MT).

O programa Mais MT vai executar investimentos na ordem de R$ 9,5 bilhões até 2022. Os 12 eixos estruturantes são Segurança, Saúde, Educação, Social e Habitação, Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda, Infraestrutura, Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, Simplifica MT, Eficiência Pública, Meio Ambiente, Agricultura Familiar e Regularização Fundiária. 

Veja mais notícias sobre TurismoNotíciasCidadesMato Grosso.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 27 Novembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/