Manaus 30º • Nublado
Sexta, 09 Dezembro 2022

10 lugares para conhecer a história de Manaus

palacio-04

Na margem esquerda do Rio Negro está a cidade de Manaus. A capital amazonense foi criada no século XVII para demonstrar a presença lusitana e fixar domínio português na região amazônica. De lá para cá, muita coisa aconteceu e Manaus se consolidou como uma das maiores cidades da Amazônia e completa 353 anos neste 24 de outubro de 2022.

Mas não pense que a história da construção de Manaus se perdeu com o tempo. Ela está presente em vários prédios e atrativos turísticos. Por isso, o Portal Amazônia preparou uma lista especial com lugares que guardam a história da cidade e que valem a pena uma visita. Confira:

Teatro Amazonas 

Considerado o principal símbolo cultural e arquitetônico do Amazonas, o Teatro Amazonas guarda parte da história do ciclo da borracha na Amazônia. Manaus vivenciou a fase áurea desse período econômico que marcou a região. O Teatro Amazonas foi inaugurado no dia 31 de dezembro de 1896. No ano de 1966 foi tombado como Patrimônio Histórico Nacional.

Serviço

Endereço: Avenida Eduardo Ribeiro, 659 - Centro
Funcionamento: de terça a sábado, das 9h às 17h; aos domingos, das 9h às 13h
Valor: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Informações: (92) 3622-1880 / 3622-2420 

Museu da Amazônia 

O Museu da Amazônia (Musa) ocupa 100 hectares (1 km2) da Reserva Florestal Adolpho Ducke, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), em Manaus. Uma área de floresta de terra firme, nativa, que há mais de 60 anos vem sendo estudada e conservada. Os resultados dessas pesquisas, reunidos em catálogos sobre temas como plantas, pássaros e rãs, revelam fragmentos da riqueza natural amazônica. 

Serviço

Endereço: Avenida Margarita, 6305 (antiga Avenida Uirapuru), Jorge Teixeira
Funcionamento: de segunda a domingo (excerto quarta/manutenção), das 8h30 às 17h
Valor: R$ 30 (visita sem guia) e R$ 50 (visita guiada)
Informações: (92) 99280-9059

Museu do Seringal 

O Museu do Seringal Vila Paraíso é uma réplica do seringal que existiu em Humaitá, município localizado a 675 km de Manaus. Seus ambientes reproduzem espaços familiares ao chamado 'ciclo da borracha', modelo econômico da região amazônica cujo auge se deu entre 1879 e 1912. O passeio pela casa da família do barão, o armazém dos empregados e o barracão dos seringueiros desnudam o abismo social daquela época. 

Os visitantes podem conhecer o processo de extração do látex da seringueira e da fabricação da borracha. O museu foi cenário do longa metragem 'A Selva' (2002), filme inspirado no livro do escritor português Ferreira de Castro. 

Serviço

Endereço: Museu do Seringal Vila Paraíso Igarapé São João – afluente do Igarapé Tarumã Mirim (Zona Rural) pegar uma canoa-taxi na Marina do David (final da Estrada da Ponta Negra)
Funcionamento: de terça a domingo, das 09h às 16h
Valor: R$ 10
Informações: (92) 3658-6159

Palácio Rio Negro 

O atual Centro Cultural Palácio Rio Negro também foi conhecido como Palacete Scholz, pois, quando foi construído, em 1903, foi residência de um rico exportador de borracha, o alemão Karl Waldemar Scholz. O prédio é um marco do período em que o Amazonas era um dos Estados mais prósperos. O comerciante alemão teve de hipotecar o imóvel, que em seguida foi arrematado em leilão pelo rico seringalista Luiz da Silva Gomes. O prédio foi primeiramente alugado ao Estado do Amazonas.

Em 1918, o Governador Pedro Bacellar adquiriu o imóvel, que passou a denominar-se Palácio Rio Negro. O Palácio serviu de sede do Governo e de residência dos governadores até 1959. Foi utilizado apenas como sede do Governo em 1995.

Tombado como Patrimônio Histórico e Estadual em 1980. Aberto a visitação pública, também é usado para audiências e recepções do Governador do Estado do Amazonas a Chefes de Estado, Embaixadores e demais personalidades. O prédio representa parte da história do período áureo da Belle Epóque. 

Serviço

Endereço:  Av. Sete de Setembro, 1546 - Centro
Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 9h às 17h 
Valor: Entrada franca
Informações: (92) 3131-2450

Palacete Provincial 

O Palacete Provincial está localizado no Centro Histórico da cidade. É um imóvel centenário impregnado de importantes fatos ligados à vida social e política do povo amazonense. Inaugurado oficialmente em 1875, o prédio já foi sede do governo e residência dos presidentes da Província do Amazonas até 1888. Funcionou como Quartel da Polícia Militar do Amazonas por mais de 100 anos e, atualmente, a Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas (SEC) é a responsável pela utilização do espaço.

Em 2005, o Palacete Provincial passou por obras de restauro, sendo reaberto em 2009 com um espaço voltado à visitação pública e gratuita, recebendo visitantes interessados em conhecer os acervos e coleções de artes dos museus, e que também participam dos eventos culturais que acontecem no local.

Situado na Praça Heliodoro Balbi, mais conhecida como Praça da Polícia, o prédio recebe cerca de 145 mil visitantes por ano. Atualmente o prédio abriga um conjunto de cinco museus, sendo eles de diferentes linguagens: Museu de Arqueologia, Museu da Imagem e do Som (MISAM), Museu de Numismática do Amazonas, Museu Tiradentes e a Pinacoteca do Estado do Amazonas.

Serviço


Endereço: Praça Heliodoro Balbi, S/N - Centro
Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 9h às 17h
Valor: Entrada franca
Informações: (92) 3631-3632 

Museu da Cidade de Manaus 

O Museu da Cidade de Manaus, localizado no Paço da Liberdade, Centro Histórico, que durante décadas foi usado como sede do governo municipal, tornou-se a casa que conta a história do povo manauara. Reunindo beleza arquitetônica, exposições tecnológicas, peças arqueológicas e artigos regionais.

Oito salas do Museu da Cidade retratam a vida cotidiana, a identidade e a cultura de gerações passadas, por meio de exposições de longa e curta duração, utilizando-se da interatividade para contar a história da cidade de Manaus a partir de textos, sons e imagens, com caráter educativo, lúdico e dinâmico e atraindo a atenção, o olhar e a sensibilidade até dos visitantes mais novos.

Serviço

Endereço: R. Gabriel Salgado - Centro
Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 9h às 16h30
Valor: Entrada franca
Informações: (92) 3622-4991 

Museu da Casa Eduardo Ribeiro 

Inaugurado em 18 de março de 2010, o Museu Casa Eduardo Ribeiro, recupera a história pessoal, militar e administrativa do maranhense, considerado o grande transformador da capital amazonense. Foi adquirido por particulares depois de sua morte e pelo Governo da União Federal, em 1961 e em 2002 foi cedido ao Estado por meio de comodato, através da Secretaria de Estado de Cultura, para os fins específicos de recuperação da memória da cidade e da história da medicina. Está localizado no Centro Histórico de Manaus.

Possui uma exposição permanente de mobiliário residencial de época, objetos de uso pessoal e de arte que procuram recriar o modo de vida do final do século XIX e início do século XX, época em que viveu Eduardo Gonçalves Ribeiro. As salas e aposentos tomam o nome de fatos e personagens considerados relevantes na vida do ex-governador e seus antigos proprietários.

Na mesma casa considerando o uso posterior do imóvel, está instalada a sede da Academia Amazonense de Medicina, fundada em 1980, na qual podem ser encontradas informações sobre a história da medicina no Amazonas, disponibilizadas em linguagem digital.

Serviço

Endereço: R. José Clemente, 322 - Centro
Funcionamento: Fechado temporariamente
Valor: Entrada franca
Informações: (92) 3631-2938 

Centro Cultural Palácio da Justiça 

Obra centenária, foi concluída no início do século XX para abrigar o Poder Judiciário. Sua inauguração foi realizada em 21 de abril de 1900. É um dos principais exemplares da arquitetura clássica do período áureo da economia da borracha e suas linhas estruturais seguem o estilo renascentista. O prédio foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico do Amazonas em 1980. Os nomes dados às salas que o compõe homenageiam personalidades ligadas à sua implantação e ao Poder Judiciário.

O Palácio está localizado em ponto privilegiado da principal avenida de Manaus, a Avenida Eduardo Ribeiro. Possui portões de ferro fundido importados de Glasgow, na Escócia, e calçada e escadarias em pedra de Liós, de Lisboa. O teto do hall é revestido em estuques com paredes em imitação de mármore. A imponente escada principal tem guarda-corpo metálico, com arcos dourados com seis hermas ou cariátides, importadas de Lisboa. O piso do hall é de ladrilhos hidráulicos. O segundo andar é decorado com balaustradas, óculos, tetos recobertos com estuques, colunas, cartelas e paredes marmorizadas, piso de madeira (acapu e pau-amarelo).

A mobília é centenária. Destaca-se o relógio do tipo carrilhão, da década de 1920, com estrutura de jacarandá baiano e maquinário suíço. Tem também mesa feita de mogno, conjunto de mesas, cadeiras e espelho que vieram da última restauração, em 2002, além de móveis modernos, do funcionamento do Poder Judiciário até 2006 e lustre original feito de bronze e cristais.

Serviço

Endereço: Av. Eduardo Ribeiro, 901 - Centro
Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h as 17h
Valor: Entrada franca

Informações: (92) 3248-1844 

Museu Amazônico 

O Museu Amazônico é um órgão suplementar da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e atua como apoio à pesquisa, ao ensino e à extensão em áreas fundamentais para o conhecimento da Amazônia e de suas culturas. Criado em 1975 e implementado somente no ano de 1989, encontra-se sediado na Rua Ramos Ferreira,1036, no centro histórico.

O Museu possui seis divisões: Antropologia; Arqueologia; Difusão Cultural; Museologia, Pesquisa e Documentação Histórica e Paleontologia e Mineralogia, além de uma Biblioteca Setorial especializada em assuntos relacionados à Amazônia.

Conta também com um vasto acervo documental, etnográfico e arqueológico que está disponibilizado para os pesquisadores. Dentre suas atividades o Museu organiza e promove exposições temporárias e de longa duração com vistas à divulgação de seu próprio acervo, bem como disponibiliza seu espaço para mostras individuais artísticas que de alguma maneira se identifiquem e traduzam o perfil do Museu Amazônico.

Serviço


Endereço: Av. Eduardo Ribeiro, 901 - Centro
Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h as 17h
Valor: Entrada franca
Informações: (92) 3248-1844

Foto: Divulgação

Centro Cultural dos Povos da Amazônia

O Centro Cultural dos Povos da Amazônia (CCPA) foi inaugurado em maio de 2007. É um espaço que visa valorizar, difundir e disseminar as informações geradas e produzidas sobre os países da Amazônia Continental, formada por Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela e a Guiana Francesa.

O CCPA dispõe de uma cúpula com cerca de 150 lugares e um auditório com capacidade para 70 pessoas, além de uma ampla arena de espetáculos com capacidade para 17 mil pessoas sentadas. Na parte superior externa do prédio são encontrados os registros de ícones rupestres representativos de diversos países amazônicos.

O complexo disponibiliza acesso à pesquisa, por meio dos acervos localizados no Memorial e Biblioteca Mário Ypiranga Monteiro, Biblioteca Arthur Reis, no Núcleo de Documentação Samuel Benchimol e na Biblioteca Infantil Emídio Vaz D´Oliveira. Também conta com espaços para visitação do público em geral, com exposições temporárias e permanentes, dentre as quais as representativas do cotidiano amazônico, como a Casa do Caboclo; Moenda de Cana-de-açúcar; Xapono Yanomami; Barracão do Guaraná e muito mais. 

Serviço

Endereço: Distrito Industrial I, Av. Silves, 2222 - Crespo
Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h as 15h
Valor: Entrada franca
Informações: (92) 3090-6800

Veja mais notícias sobre TurismoAmazonas.

Veja também:

 

Comentários: 1

Geraldo Elias do Amaral Pinto em Sábado, 29 Outubro 2022 14:35

Eu conheço alguns lugares da cidade de Manaus, cidade maravilhosa.

Eu conheço alguns lugares da cidade de Manaus, cidade maravilhosa.
Visitante
Sexta, 09 Dezembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/