“Roraima é parte do que sou hoje”: publicitária de Boa Vista trabalhou em animação que concorre ao Oscar 2024

Ina Carolina trabalhou como Lead Character Modeler no filme ‘Nimona’, da Netflix, que concorre ao Oscar de ‘Melhor animação’.

Roraimense no Oscar, a premiação mais prestigiada do universo cinematográfico? É isso mesmo! O feito é inédito e, para entender, é preciso conhecer a publicitária Ina Carolina, macuxi de nascimento que morou em Boa Vista até os 21 anos.

A relação de Ina com a grande premiação do cinema mundial se dá porque ela trabalhou como Lead Character Modeler (modelador de personagem princial) no filme ‘Nimona’, da Netflix. 

Nimona concorre ao Oscar de ‘Melhor animação’, junto com ‘O menino e a garça’, ‘Elementos’, ‘Homem-Aranha: Através do Aranhaverso’ e ‘Meu Amigo Robô’. A cerimônia do 2024 acontece no tradicional Dolby Theatre, em Los Angeles, nos Estados Unidos, neste domingo (10). 

Foto: Ina Carolina/Acervo pessoal

“Roraima é parte do que sou hoje”

Ao Portal Amazônia, Ina contou que nasceu e morou em Boa Vista até os 21 anos. Formou-se em Publicidade e Propaganda e foi morar em São Paulo, para estudar animação 3D e escultura.

Lá, ela trabalhou em vários estúdios e, durante a pandemia, começou a trabalhar na ‘Dneg’, um dos principais estúdios de efeitos visuais e animação para longas-metragens e televisão.

“Quando minha filha nasceu em 2016 eu saí do estúdio que estava trabalhando e pra poder passar mais tempo com ela eu comecei a trabalhar como freelancer, e isso me permitiu começar a trabalhar para estúdios de fora do Brasil e em outros tipos de projetos além de publicidade. Isso abriu um novo parque de possibilidades pra mim”, relembra.

A publicitária ressaltou que tem orgulho de ser nortista e leva essa referência para sua vida e seus trabalhos.

“Eu acho que Roraima é parte do que eu sou hoje, eu não sei separar o que é influenciado pelo fato de eu ser nortista, ou o que não é acho que tudo que eu vivi ajudou a formar e transformar minha visão do mundo e isso está em tudo que eu faço”,

diz Ina.

Relação Ina x Nimona

Além do orgulho e felicidade de trabalhar em um projeto reconhecido mundialmente, Ina conta que a relação com a animação ‘Nimona’ tem “um quê” mais pessoal. 

“A minha relação com Nimona começou quando eu tinha cerca de 20 anos e achei essa história em quadrinhos na internet e achei aquilo tão incrível que falei dela pra todo mundo que cruzou o meu caminho naquele ano. Como toda fã, eu vibrei quando soube, anos depois, que estavam produzindo um filme baseado naquela história e fiquei profundamente triste quando veio a notícia de que o estúdio que estava fazendo o filme seria fechado e o projeto cancelado”,

lembra.

 E complementa, destacando a reviravolta:

“Por isso quando, numa das reuniões da equipe, um dos diretores da ‘Dneg’ anunciou que eles haviam fechado um contrato e que iriam finalizar Nimona eu fiquei nas nuvens! Aquela menina de 20 anos encantada por uma webcomic jamais poderia imaginar que um dia trabalharia no filme”,

comemora.

Vale ressaltar que, antes da indicação ao Oscar, ‘Nimona’ foi indicado também a nove categorias da Annie Awards, Academia Exclusiva de Animação.

O filme é uma adaptação da graphic novel de mesmo nome, de N. D. Stevenson. Para quem não conhece Stevenson, ele foi o responsável pelo desenvolvimento de ‘She-Ra e as Princesas do Poder’, a versão da Netflix para o clássico da década de 1980,

Ele conta a história de um cavaleiro que é acusado de um crime que não cometeu e a única pessoa que pode ajudá-lo a provar sua inocência é Nimona, uma adolescente que muda de forma e que também pode ser um monstro que ele jurou matar.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Portal Amazônia responde: o que é comida ‘remosa’?

Um estudo buscou promover uma revisão bibliográfica sobre o tema e propor uma hipótese teórica para o fenômeno.

Leia também

Publicidade