No AM, homicídio de pessoas de ‘terreiro’ preocupa, diz sacerdote do camdoblé

  MANAUS – Movimentos sociais apontam que 15 pessoas de terreiro foram assassinadas no intervalo de  dez anos no Amazonas. De 2014 para cá, um pai de santo foi morto e outro sofreu tentativa de assassinato no estado. A informação é do psicólogo clínico e sacerdote Afro-Candomblé Alberto Jorge, que concedeu entrevista à Rádio Amazonas FM, na quinta-feira (19). Ele também destacou a história dos negros no estado, em alusão ao Dia da Consciência Negra, comemorado nesta sexta-feira (20).

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Nova atração para aventureiros: Parque do Utinga, no Pará, oferece passeio de canoagem

Cada grupo de visitantes é acompanhado por pelo menos dois condutores habilitados e a capacidade máxima é de 12 pessoas por grupo.

Leia também

Publicidade