Manaus 30º • Nublado
Sexta, 28 Janeiro 2022

Rebojo: conheça o fenômeno natural que assusta os navegantes da Amazônia

WhatsApp-Image-2021-04-24-at-20.27.58

No dicionário, a palavra rebojo significa "remoinho de água que se forma no rio e leva coisas para o fundo". Esse termo é um velho conhecido dos capitães e marinheiros que desafiam as misteriosas águas da Amazônia. Afinal, o rebojo é responsável por muitos acidentes, ainda mais quando quem comanda a embarcação não conhece os perigos das estradas aquáticas da região.

De acordo com as lendas, o rebojo é causado pelos movimentos da Cobra Grande, que está adormecida nas profundezas dos rios. Porém, na realidade, o fenômeno é menos emocionante.

O rebojo é um redemoinho causado pela densidade da água e de uma formação geomorfológica, ou seja, um tipo de relevo que existe no fundo do rio. Quando a correnteza desce para o fundo, acaba encontrando essa resistência (rochas, seixo, areia e detritos) e, desse atrito, se forma uma espécie de movimento circular que vem até a superfície, fazendo o rebojo.

Perigo

No fundo do rio, a correnteza pode alcançar até 7 km por hora, por esse motivo, o rebojo apresenta um perigo, porque quando a embarcação adentra o funil o risco dele ser puxado é grande.

Segundo o professor da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), José Camilo, o rebojo está distante do lugar da ocorrência. "Por causa da velocidade da correnteza, o rebojo é transportado, então, esse movimento é muito perigoso para a navegação", explicou.


Mas, quais são as áreas em que mais acontecem os rebojos? Existem locais mais propícios para o surgimento deste fenômeno como, por exemplo, no Rio Amazonas, que é um rio em formação. Nessa região, a presença do rebojo é tão forte que os comandantes conseguem sentir o balançar das embarcações em decorrência da força ocasionada pelo fenômeno. Já no Rio Negro, o rebojo acontece pouco, porque a velocidade da água é de apenas 3 km por hora.

O professor José Camilo teve a oportunidade de navegar por vários rios da região. Ele destaque que, realmente, nunca observou o rebojo nas águas escuras do Rio Negro. "O rebojo acontece mais em águas barrentas, ou seja, rios em formação. Entre os rios com maiores chances de registro do rebojo estão: Rio Juruá, Rio Purus, Rio Madeira e Rio Japurá.", contou o educador.

Salvação?

No desespero, quando a pessoa é sugada pelo rebojo, ela acaba se afogando. Para Camilo, a única forma de escapar do rebojo é relaxar. "Eu sei que algo contraditório, entretanto, a calma é primordial para a sobrevivência, porque a pessoa precisa saber para onde a força está o puxando. Nunca tentar subir de primeira, mas sair do funil e ir à tona em outro lugar fora do movimento da água", revelou. 

Veja mais notícias sobre AmazôniaCidades.

Veja também:

 

Comentários: 3

J.Lucena em Quinta, 27 Mai 2021 07:05

O rebojo mais conhecido é o rebojo do Bota Fogo que fica entre Codajás e Coari no rio Solimões ,responsável por virar muitas embarcações nos anos 80 e 90.Porém o excesso de cargas e passageiros contribuem para os desastres com alto índice de afogamentos nos rios.

O rebojo mais conhecido é o rebojo do Bota Fogo que fica entre Codajás e Coari no rio Solimões ,responsável por virar muitas embarcações nos anos 80 e 90.Porém o excesso de cargas e passageiros contribuem para os desastres com alto índice de afogamentos nos rios.
Eu em Segunda, 08 Novembro 2021 17:11

Eu perdi um filho num rebojo do rio Madeira. DEUS tenha meu filho na paz eterna. Maldito rebojo!

Eu perdi um filho num rebojo do rio Madeira. DEUS tenha meu filho na paz eterna. Maldito rebojo!
Robson em Sexta, 21 Janeiro 2022 22:00

No baixo São Francisco (rio) é conhecido como panela d'água !

No baixo São Francisco (rio) é conhecido como panela d'água !
Visitante
Sexta, 28 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/