Pacu, curimatã e matrinxã: conheça 19 peixes que estão sob risco de extinção na Amazônia

Mais de 80 espécies de peixe estão estão sob risco de extinção na Amazônia.

 
Mais de 80 espécies de peixe estão estão sob risco de extinção na Amazônia. O bioma tem 180 espécies, em geral, que correm o risco de desaparecem do ecossistema, conforme informações do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção 2018, divulgado na sexta-feira (25), pelo Instituto de Conservação da Biodiversidade Chico Mendes (ICMBio).

Livro Vermelho da Fauna: Amazônia tem 180 espécies sob risco de extinção

O estudo contou com a participação de 1.270 pesquisadores. Dentre as espécies de peixe que estão ameaçadas, constam o Pacu, o Curimatã e o Matrinxã, conhecidos entre os consumidores do Norte.

O Curimatã, de nome científico Prochilodus britskii, é conhecido apenas da série-tipo, coletado na bacia do rio Arinos, a montante da primeira corredeira antes da confluência com o rio Juruena, drenagem do rio Tapajós, estado de Mato Grosso. Sua classificação é Em Perigo de extinção.

A principal ameaça atual é a perda de qualidade de habitat devido a mudança no uso do solo para fins agropecuários e urbanos (J.A.S. Zuanon, obs. pess.). Há a previsão de construção de pelo menos uma usina hidrelétrica no rio Arinos, o que poderá comprometer severamente o habitat da espécie.

Já o Pacu, de nome científico Mylesinus paucisquamatus, sofre com a perda e fragmentação do habitat de corredeiras. Dentre as atividades que alteram o habitat de corredeiras, se destacam o represamento dos rios para construção de usinas hidrelétricas e atividades mineradoras. Na bacia do rio Tocantins seis usinas hidrelétricas encontram-se em funcionamento ou já com a Licença de Operação concedida e quatro estão planejadas.

O matrinxã, também conhecido como piabanha, de nome científico Brycon gouldingi, sofre com a pesca esportiva e comercial. A bacia do rio Tocantins, onde vive grande parte da população, está sendo progressivamente modificada por barragens hidrelétricas.

O Portal Amazônia levantou 19 espécies da região que também compõe a lista vermelha, confira:

Espécie: Curimatã (Prochilodus britskii)

Situação: Em Perigo

Encontrado no Mato Grosso

 

Pacu (Mylesinus paucisquamatus)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará, Tocantins e Goiás
 

Matrinxã (Brycon gouldingi)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará, Mato Grosso, Tocantins e Goias
 

 

Pirapema ou camurupim (Megalops atlanticus)

Situação: Vulnerável

Encontrada no Amapá e Pará
 

Aracu (Leporinus pitingai)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Amazonas
 

 

Aracu-boca-pra-cima (Sartor tucuruiense)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará e em Tocantins
 

 

Gurijuba ou bagre (Sciades parkeri)

Situação: Vulnerável

Encontrado na costa no Amapá e Pará
 

 

Bacuzinho (Rhynchodoras xingui)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Mato Grosso, Pará e Goias
 

Bagre (Aguarunichthys tocantinsensis)

Situação: Em Perigo

Encontrado no Pará, Tocantins, Mato Grosso e Goias
 

 

Acari ou cascudo (Baryancistrus longipinnis)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 

Acari (Baryancistrus niveatus)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará, Tocantins e Goias
 

Acari-Cachimbo (Harttia depressa)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Amazonas
 

 

Alicate ou Cari-de-Unha (Hopliancistrus tricornis)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará
 

 
Cascudo-zebra-imperial, acari-zebra, zebrinha, cascudo-zebra (Hypancistrus zebra)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará
 

Acari-Vampiro (Leporacanthicus joselimai)

Situação: Vulnerável

Encontrada no Pará
 

 

Cascudo-Tigre-Ouro (Peckoltia compta)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará
 

Garoupa-São-Tomé (Epinephelus morio)

Situação: Vulnerável

Encontrada na costa do Amapá até Santa Catarina
 

Joana (Crenicichla cyclostoma)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 

 

Joaninha-da-Pedra ou Jacundá (Teleocichla cinderella)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 

Veja a lista completa de peixes do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Camu-camu é usado para enriquecer farinha de mandioca

Desidratados sob diferentes métodos tecnológicos, os resíduos agroindustriais de frutos de camu-camu, adicionados à farinha de mandioca, incrementaram significativamente os produtos finais.

Leia também

Publicidade