Manaus 30º • Nublado
Quinta, 21 Outubro 2021

Dia da Árvore: Identifique cinco espécies que são encontradas somente na Amazônia

Essenciais para manter o equilíbrio do planeta, as árvores desempenham várias funções como manutenção da temperatura, melhora na qualidade do ar, controle de chuvas e conservação da biodiversidade. Por isso, o Dia da Árvore foi criado com o intuito de conscientizar a população para a preservação e incentivo à proteção do meio ambiente.

Você sabia que tem espécies de árvores que só existem na Amazônia? Com uma das maiores biodiversidades do planeta, a floresta amazônica abriga espécies que são nativas da região e são encontradas somente aqui! O Portal Amazônia mostra 5 dessas árvores. Confira a seguir:

1. Parapará (Jacaranda Copaia) 

Foto: Divulgação/BioDiversity4All

O gênero Jacaranda tem cerca de 50 espécies, todas neotropicais. A maioria delas é encontrada principalmente nos cerrados e outros ambientes mais secos ao redor da Amazônia. Jacaranda copaia é a única espécie deste gênero amplamente distribuída na Amazônia.

Jacaranda copaiaé a única espécie conhecida pelo nome de parapará na Amazônia.  A árvore cresce muito rápidamente, o que é importante para a regeneração de matas de capoeira. Por isso, esta espécie é bastante indicada para uso em reflorestamento. Quando floresce, é uma linda árvore, ótima para arborização urbana.

2. Cajuaçu (Anacardium Giganteum)

Foto: Divulgação

O Cajuaçu é encontrado em floresta de terra firme e também em áreas de cultivo. São geralmente árvores de copa muito densa e de grande porte, chegando a atingir cerca de 40 m de altura e diâmetro superior a 1 m.

Além do nome cajuaçu, em algumas regiões do Estado do Pará, a árvore também é chamada de caju-bravo, caju-da-mata, cajueiro-da-mata, cajuí, cajuí-da-mata. Os pseudofrutos contêm suco agridoce e sabor agradável, sendo muito apreciados e comercializados na região Amazônica. O suco de cajuaçu tem reputação de ser tão saboroso quanto o do próprio caju.

A castanha (verdadeiro fruto do caju) contém uma amêndoa que pode ser consumida da mesma forma que o caju, necessitando ser assada para desentoxicar. As flores são polinizadas por abelhas.

A madeira tem bom rendimento em celulose, e é apropriada para a obtenção de lâminas faqueadas, miolo de compensados, confecção de embalagens leves e caixotaria em geral. A casca é boa para o curtume. 

3. Andiroba (Carapa Guianensis)

Foto: Divulgação

A árvore de andiroba pode atingir até 30 m de altura, de copa densa, geralmente com sapopemas baixas. É amplamente distribuída em toda Amazônia e ocorre em alta freqüência em floresta de terra firme e na várzea. Na várzea, atinge uma altura maior e ocorre em maior densidade.

O nome andiroba é amplamente usado no Brasil, às vezes, também com variações como andiroba-branca, andiroba-de-igapó, andiroba-lisa, andiroba-vermelha.

O óleo das sementes é um dos produtos medicinais da floresta amazônica mais vendidos. Na medicina popular, é usado para aliviar contusões edemas, reumatismo, para auxiliar na cicatrização e recuperar a pele. O chá da casca é muito amargo e utilizado na cura da febre. É também muito utilizado como repelente de insetos e na fabricação de vela, sabão e xampu. A madeira é resistente contra ataque de insetos. A casca transformada em pó trata feridas e vermes. Devido a sua importância como fonte de produtos extrativos, seu corte tem sido restringido ou proibido ao longo do tempo.

4. Tatajuba (Bagassa Guianensis)

Foto: Divulgação

 A Tatajuba é uma arvore de grande porte, que chega a atingir 50 metros de altura. Uma das características da árvore é que quando esta arvore é cortada ela solta um látex de coloração esbranquiçada.

Ela é uma arvore que apresenta folhas opostas.  A polinização da Tatajuba é feita pelo vento e por pequenos insetos. Seu fruto é comestível e possui um sabor levemente adocicado, e vários animais se alimentam desses frutos.

A madeira é de cor amarelada, e quando passa pelo acabamento industrial ela se torna dourada. A madeira se caracteriza por ser pesada e de qualidade, sendo resistente ao ataque de insetos e vermes marinhos, por isso, é usada em construções externas 

5. Maçaranduba (Manikara Huberi)

Foto: Divulgação

A Maçaranduba é uma árvore grande e perene (que se caracteriza pela durabilidade da sua folhagem) com uma copa arredondada e aberta. A árvore pode chegar a ter 4 a 26 metros de altura com um tronco que pode chegar a 30-60cm de diâmetro de diâmetro.

A fruta comestível é muito apreciada e muitas vezes é colhida na natureza para uso local. A árvore também produz um látex que pode ser bebido da mesma forma que o leite e uma excelente madeira, que é usada localmente e também comercializada. A árvore às vezes é cultivada por seus frutos, que são vendidos localmente nos mercados

Veja mais notícias sobre Amazônia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 21 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/