Arte indígena: Identifique elementos da cultura que ultrapassa gerações

Repassada por gerações, a arte indígena conta a história de seu povo e representam simbologias, tradições e rituais

No Brasil, há uma diversidade de povos indígenas e cada um possui suas tradições, lendas e aspectos culturais. A cultura indígena, muita das vezes representada através da arte, faz parte da história do país, desde antes da colonização. Um dos aspectos dessa arte, é que ela é repassada através das gerações,  o que marca a importância da tradição para os povos indígenas.

Máscaras, cerâmicas, pinturas corporais, plumas e cestarias fazem parte do dia a dia desses povos. Objetos feitos através de elementos encontrados na natureza como sementes, cipó, palha, penas, fibras de plantas, dentre outras coisas, reforçam a conexão e preservam a proximidade dos povos com a natureza.

O Portal Amazônia traz alguns destes elementos, seus significados e uso. Confira a seguir:

1. Cerâmica indígena

Com diversas funcionalidades, a cerâmica é um dos elementos mais utilizados justamente por sua versatilidade: pode ser utilizada tanto para decoração quanto para utensílios domésticos, como jarros, panelas e vasilhas para armazenar coisas. Geralmente, é produzida pelas mulheres e não utilizam a roda de oleiro. Para deixá-las mais artísticas, criam padrões gráficos próprios da tribo.

Uma das cerâmicas mais conhecidas é a marajoara. Criada na Ilha de Marajó, no Pará, é considerada uma das produções de cerâmicas mais antigas do Brasil e até hoje, os indígenas mantém a produção.

Foto: Reprodução/Ubá Brasil

 2. Pintura corporal

A pintura corporal pode estar relacionada às funções sociais dos indivíduos na tribo, ao gênero, idade e até à família. Muito utilizada em rituais de passagem,  celebrações e outros momentos específicos daquela tribo.

As tintas utilizadas são obtidas através da extração de óleos de sementes de flores e outros elementos encontrados na natureza.


Foto: Reprodução/Terravista

3. Plumas

Como a pintura corporal, a arte da plumagem também identifica grupos sociais dentro das tribos indígenas e é utilizada em rituais. Geralmante produzidos por homens, a confecção passa por um ritual: primeiro tem a caça, depois passa pela tapiragem (que é a colorização das plumas), pelo corte e por fim pela amarração.

Servem também para ornamentar máscaras, colares, braçadeiras, brincos, pulseiras e cocares, que são feitos de penas e de caudas de aves.

Foto: Divulgação

4. Cestarias

Assim como a cerâmica, a confecção de cestas serve também para o armazenamento e transporte de alimentos e recentemente, passaram a ser utilizadas como itens de decoração. Feito, principalmente por mulheres, e a partir de folhas de árvore, palhas, junco e folhas de palmeiras, existem alguns tipos de formatos de cestas, os mais comuns são: 


  • Cestos-coadores – para coar líquidos;
  • Cestos-tamises – para peneirar farinha;
  • Cestos-recipientes – para guardar diferentes materiais;
  • Cestos-cargueiros – para transportar cargas.


Foto: Reprodução/Coletivo Cultural – Cidade e Cultura

 5. Máscaras

Em geral o uso de máscaras nas etnias indígenas é carregado com simbologias de seres sobrenaturais como antepassados e espíritos da floresta. Algumas etnias utilizam as máscaras em seus rituais como uma maneira de levar alegria e bons sentimentos às entidades espirituais que tiveram conflitos com os indígenas em tempos passados.

Foto: Reprodução/Acervo do Museu de Arte Indígena

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

Saiba quais são as 9 construções mais antigas da Amazônia

Em cada cidade da Amazônia Legal existe ao menos uma construção que exala a história local a partir da colonização.

Leia também

Publicidade