Plataforma ‘Amazônia Que Eu Quero’ lança série lúdica com temas de interesse social

Todo mês, um episódio com temas diferentes será lançado.

Até o fim deste ano, a Fundação Rede Amazônica (FRAM), através da plataforma ‘Amazônia que eu quero‘, apresentará séries informativas sobre temas pouco discutidos na sociedade de uma forma leve, ilustrativa e rápida. O material vai ser exibido nas redes sociais do projeto, nos intervalos da programação da Rede Amazônica – afiliada à Rede Globo – e na programação do Amazon Sat.

O primeiro tema abordado é ‘Zona Franca de Manaus’. O vídeo faz um balanço com a definição, números atualizados, objetivo e benefícios do polo industrial que representa o segundo maior setor econômico da região. 

O próximo tema a ser abordado será mineração, que terá o mesmo formato e será divulgado a partir de junho.

Sobre a plataforma ‘Amazônia que eu quero’

Em setembro de 2021, a Fundação Rede Amazônica (FRAM) lançou a plataforma ‘Amazônia Que Eu Quero’, com objetivo de promover debates sobre assuntos fundamentais no dia a dia de quem vive na região norte, ampliar a capacidade de análise da população, levantar informações da gestão pública e apontar caminhos a partir da discussão entre especialistas com a sociedade civil. O projeto promove fóruns, ações on-line e presenciais para o engajamento da população em torno de câmaras temáticas. Para a edição do ano de 2021, o tema abordado foi ‘Caminhos da Democracia’, que discute pautas voltadas à infraestrutura, acesso à saúde, energia limpa, empreendedorismo, inovação e florestas.

A transmissão dos fóruns ocorre pelo canal da Fundação Rede Amazônica no Youtube e ainda, através da Amazon Sat. O CEO do Grupo Rede Amazônica (GRAM), Phelippe Daou Júnior, explica o objetivo da iniciativa.

“Amazônia Que Eu Quero” é um projeto de cidadania. Um projeto que visa, por um lado, ter um nível de cobrança importante da maneira mais construtiva possível, com relação aos nossos representantes, dizendo o que fazem, quais seus projetos e suas ações. Por outro lado, o que eu diria o mais importante, é conscientizar a população do que efetivamente é viver numa democracia”, declarou.

A diretora institucional da FRAM, Mariane Cavalcante, afirma que as ações serão realizadas em todos os estados onde o GRAM está presente – Amazonas, Amapá, Acre, Rondônia, Roraima e Pará.

“Cada fórum vai debater um tema específico, que são: infraestrutura, energia limpa, acesso à saúde, empreendedorismo e inovação e florestas. Os fóruns serão compostos por um time de especialistas, um comitê, que junto com a população vai propor dez ações concretas que vão fazer a diferença dentro desses temas”, explicou.

Já em 2022, a plataforma lançou outros dois fóruns, com temas voltados a energia limpa e a Zona Franca de Manaus, com base no cenário econômico do estado, principalmente após as últimas decisões do governo federal. E palestras em universidades de vários Estados com tema ‘Políticas Públicas’.

Até o mês de junho, o projeto deve realizar outros dois fóruns e três ações palestras para universitários de jornalismo.

Publicidade
Publicidade

Relacionadas:

Mais acessadas:

‘Aurora Luzitana’: livro revela história dos portugueses maçônicos no Amazonas

Em mais de 400 páginas, com um exclusivo acervo de imagens, Abrahim Baze revela grande parte da história dos maçons lusitanos no Amazonas.

Leia também

Publicidade