Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 08 Mai 2021

Tocantins disponibiliza R$ 60 milhões para empreendedores em programa de startups inovadoras

Os interessados devem inscrever suas propostas até 14 de dezembro de 2020.

Startup em Manaus facilita logística de transporte fluvial

Empresa propõe modernizar a forma de compra e venda para os usuários do transporte fluvial na região.

Jogo feito por aprendizes Senac é selecionado para Startup Amazonas do Sebrae

Aprendiz Story participará de programa de qualificação da Darwin Aceleradora, considerada a maior aceleradora do país

Polo Digital de Manaus forma rede de profissionais voluntários para criar soluções de combate ao Coronavírus

O GT já desenvolve projetos que vão desde apoio psicológico aos profissionais de saúde até a criação de válvulas para respiradores.

Startups amazonenses podem minimizar impactos durante isolamento causado pelo coronavírus; conheça

Entre os serviços digitais estão a Triagem Virtual para o Coronavírus.

Governo anuncia que divulgará edital de seleção do 'Startup Pará' ainda em janeiro

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet) deve divulgar, até 31 de janeiro, o edital de seleção do Programa Startup Pará, iniciativa para promover criação e desenvolvimento de atividades inovadoras em diversas áreas. Pela política pública, coordenada ainda pela Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) e pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), o Estado investirá cerca de R$ 3,5 milhões na seleção de até 20 projetos.
Foto:Divulgação/Agência Pará


Na fase inicial, serão acolhidas 15 propostas, em fase de pesquisa, na modalidade “Novos Negócios”, que contempla a abertura de empreendimentos inovadores em fase pré-operacional, e 15 na modalidade “Aceleração”, voltada para atividades promissoras já existentes no mercado.


As iniciativas selecionadas terão capacitação, mentoria e acompanhamento do negócio, promovidas por uma empresa aceleradora, de atuação nacional, que também será escolhida por meio de edital. Após essa etapa, um comitê avaliador, formado por profissionais e técnicos do mercado indicados pela aceleradora, vão escolher 10 propostas de cada modalidade para assinatura de contrato e investimento financeiro.


Apresentação pública


As propostas em “Novos negócios” podem receber até R$ 80 mil por projeto, enquanto a modalidade “Aceleração” oferece até R$ 200 mil para cada iniciativa selecionada. O titular da Sectet, Carlos Maneschy, antecipa que a apresentação dos 20 projetos deve ocorrer em um evento público, uma espécie de feira de inovação, com a presença de investidores convidados de todo o Brasil, em data e local a serem definidos.


"Serão duas etapas, que durarão cerca de um mês e meio cada uma, e de uma para outra o total de projetos selecionados será de, no máximo, 20. A ideia é estimular, por exemplo, o interesse dos 'investidores-anjos', que não são necessariamente sócios, mas que investem para ver o negócio deslanchar. Seria algo inédito do Estado", explica o secretário. "A gente espera e trabalha pelo efeito multiplicador, por um Estado com ambiente amigável para novos negócios, um hub, um ponto de convergência de vários investidores", reitera.


Ainda de acordo com o secretário, embora os valores máximos por projeto selecionado estejam definidos, somente após a aprovação dos planos de negócios será possível determinar o tempo de execução de cada um. "Admitimos que há riscos, já que se trata de inovação. Não tem como dizer o que é que pode dar certo ou não - e aí entra a aceleradora, para delimitar critérios de confiabilidade. Vejo o Starup Pará com vocação ao sucesso, porque essa demanda existe, há pessoas precisando desse apoio, e é isso o que o Governo do Estado quer garantir", reforça Maneschy.



Retrospectiva 2019: as conquistas do ecossistema de inovação do Amazonas

O ano de 2019 foi intenso para o ecossistema de inovação da região. Para o Amazonas, entre as grandes novidades, o anúncio da Campus Party Manaus, que acontecerá em março de 2020, além do fortalecimento dos atores, das empresas e do cenário de startups. Grandes eventos foram realizados, como a II Feira do Polo Digital de Manaus, o NASA Space Apps Challenge e a consolidação de outros, como o Techstars Startup Weekend, Meetups e os Hackathons.

II Feira do Polo Digital de Manaus | Foto: Nathalie Brasil/Prefeitura de Manaus



Feira do Polo Digital de Manaus


Promovida pelo segundo ano, a Feira do Polo Digital de Manaus reuniu os atores do ecossistema de pesquisa e desenvolvimento digital na região, como Institutos Públicos e Privados de TICs, Empresas de TI, Startups, Universidades, Incubadoras, Aceleradoras, Instituições, Agências e Associações. A feira trouxe temas como Indústria 4.0, Jogos Digitais, e-Gov, Tecnologia Verde, e outros, que foram debatidos e apresentados nos três dias de evento.


"O maior destaque de eventos de 2019 foi a Feira do Polo Digital, onde teve muita participação de startups. Destaco também o retorno do Jaraqui Graúdo, que premia os agentes do ecossistema, é relevante. Neste ano, queremos levá-lo ao Teatro Amazonas, a um nível bem alto de espetáculo, e aguardamos a Campus Party Manaus", ressalta o líder da comunidade Jaraqui Valley, Marcelino Macêdo.


Leis de amparo à startups


O ecossistema de inovação do Amazonas avançou também na aprovação de leis. A Lei nº 4.985 de 31 de outubro de 2019 institui o estímulo, incentivo e promoção ao desenvolvimento local de startups, com alguns objetivos, dentre eles, a desburocratização de entradas das startups no mercado, facilitação de linhas de crédito e incentivos fiscais, bem como apoiar e promover eventos de empreendedorismo e ambientes de negócios.

Foto:Arquivo Pessoal/Marcelino Macêdo


Em nível de município, o ecossistema também avançou. Foi aprovada a Lei nº 2565 de 26 de dezembro de 2019, que institui o Programa de Incentivos Fiscais e Extrafiscais (Proinfe) para criação e fomento de Polo Digital de Manaus, destinado à instalação de startups, e da Lei Nº 2.566 DE 26/12/2019, Concede benefício fiscal do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) a Institutos de Pesquisa e Desenvolvimento sem fins lucrativos, estabelecidos no Município, que atuam com startups vinculadas a programa de incentivos.


"Conquistamos, por força de lei, o estímulo ao desenvolvimento de startups dentro do nosso Estado e Município. Então, pela primeira vez conseguimos avançar no sentido de legislação, referente a questão das startups, e isso é um marco pra gente, enquanto comunidade e empreendedores da área digital", ressalta Marcelino.


Instituições Parceiras


Para Luís Braga, diretor executivo da Fundação Paulo Feitoza (FPF Tech) - instituição focada na geração de soluções inovadoras -, o ano de 2019 foi um marco em mudanças, desafios e oportunidades.


"Finalmente e felizmente está se tornando comum termos eventos de grande relevância tratando de temas como empreendedorismo, inovação, indústria 4.0, sustentabilidade e alternativas complementares ao excelente modelo do Polo Industrial de Manaus, vemos assuntos como a criação do Polo Digital de Manaus sendo debatido pelas organizações da sociedade civil e em seguida sendo apresentado à classe política, a exemplo do modelo de sucesso adotado em cidades como Maringá-PR e Florianópolis-SC", conta.

FabLab | Foto:Divulgação/FPF Tech


A FPF Tech é uma das precursoras e grandes incentivadoras de inovação na região. Em 2019, lançou o primeiro laboratório de Indústria 4.0 da Amazônia, o FabLab powered by EcoStruxure, que terá a missão de capacitação técnica e suporte no desenvolvimento de soluções especializadas, visando ganhos expressivos de produtividade e competitividade global, além de inaugurar um novo estúdio de games para suporte ao ecossistema de jogos local.


Ainda segundo Braga, as iniciativas pensadas e realizadas na região, demonstram um aumento significativo e o reposicionamento da região no mundo, quando ao cenário de empreendedorismo e inovação.


"Como fruto das iniciativas que estão acontecendo na Amazônia, estamos conseguindo nos posicionar como uma forte região do empreendedorismo, pois de 2009 para 2019 tivemos um aumento de 850% (isso mesmo) em termos de novas startups, conforme os dados da Associação Brasileira de Startups (Abstartus). Isso representa novos produtos e serviços, novos empregos e movimentação positiva na economia da região", pontua.

Foto:Acervo Pessoal/Luís Braga


Um outro passo importante conquistado e ressaltado por Braga, é o fortalecimento das grades de disciplinas em faculdades que oferecem cursos voltados para área de tecnologia.


"Chegamos aqui hoje graças a iniciativas como a criação das primeiras incubadoras para recepcionar as startups, melhoras nas grades das faculdades colocando disciplinas de inovação e empreendedorismo em seus cursos. Outra força que temos são os Institutos de Ciência e Tecnologia Públicos e Privados (ICT´s), que possuem o papel complementar às universidades, lugares em que temos condições de oferecer aos formandos, graduados, mestres e doutores um ambiente propício à pesquisa e a inovação, a fim de não os perdemos para outros estados e países", disse.


O Grupo Rede Amazônica (GRAM) através da Fundação Rede Amazônia (FRAM) inaugurou em setembro de 2019, o Espaço Acelera Amazônia, no Manaus Plaza Shopping, para estimular o empreendedorismo de inovação e gerar novos negócios. Ações de capacitação, como palestras, oficinas e workshops, além de eventos de networking, como debates, exposições e encontros podem ser realizados no espaço.

Foto:Diego Oliveira/Portal Amazônia


O coordenador de inovação da Fram, Alessandro Dias, ressalta que o Espaço Acelera Amazônia é importante para apoiar o ecossistema no Amazonas. “Sentimos que faltava um espaço para conectar as pessoas, algo que falasse sobre inovação, então, fechamos essa parceria com o Manaus Plaza e estamos disponibilizando a sala para a comunidade", disse.


Além do Espaço Acelera Amazônia, a FRAM, que tem a missão de capacitar pessoas, articular parcerias e contribuir para o desenvolvimento social, ambiental e científico-tecnológico da região amazônica, conquistou ainda em 2019, o canal de televisão Amazon Sat e o Portal Amazônia como seus veículos oficiais de comunicação, dando suporte e divulgando as ações desenvolvidas pela Fundação.


Entre as novidades dessa parceria, a reformulação de programas da grande do Amazon Sat, e criação de novos, como o Acelera Amazônia que traz temas de Inovação, Tecnologia, Empreendedorismo, Indústria 4.0 e Negócios para as telinhas do canal.

Foto:Acervo Pessoal/Alessandro Dias

O Portal Amazônia também segmentou o seu conteúdo jornalístico e além de dar visibilidade aos povos e particularidades que existem na Amazônia Legal e Internacional, agora também trabalha com três pilares principais: Sustentabilidade, Educação e Empreendedorismo, produzindo matérias ainda mais aprofundadas, além de conhecimento e oportunidades, alinhado à missão da FRAM.


Manaus Tech Hub


No mês de setembro de 2019, um novo espaço foi inaugurado na capital amazonense, o Manaus Tech Hub, que tem como principal objetivo conectar Startups, centros de PD&I e médias e grandes empresas com potencial de investimento, gerar negócios sólidos e facilitar a captação de recursos. Contribuindo fortalecimento da cultura empreendedora e conectando as diferentes partes do ecossistema.


Fórum da internet no Brasil


Pela primeira vez, Manaus recebeu o Fórum da Internet no Brasil, promovido anualmente pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) desde 2011, o evento consiste em atividade preparatória para o Fórum de Governança da Internet (IGF), que é global e promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU).


Flávio Wagner, coordenador do programação do evento, lembra que um dos princípios do Fórum é circular por várias cidades e tratar pautas regionais importantes, que naturalmente a sociedade propõe.


"Na edição de Manaus, a questão da conectividade, inclusão digital das populações do interior do Estado foi uma das pautas em destaque. E daqui saíram recomendações que possam convergir em entendimentos de problemas relevantes, e repercutir no governo, sociedade e empresas", ressalta.

Foto:William Costa/Portal Amazônia


Editais de fomento


Entre os editais que foram abertos durante 2019 para atender o ecossistema no Amazonas, o Programa Centelha, que é realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), buscou estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora no Estado, oferecendo capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso. Com investimento de R$ 1.8 mi, o Programa Centelha Amazonas disponibilizará o recurso para até 28 projetos de inovação do Estado.


Outro edital aberto foi o do Conecta Startup Brasil, realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), da Softex e executado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) tem o objetivo de capacitar empreendedores e os conectar a diferentes atores do ecossistema.


O edital do Conecta seleciona 100 equipes empreendedoras e startups em estágio inicial (early stage) que podem receber até R$ 200 mil em aportes. Para a região Norte foram 20 vagas.


Reconhecimento e premiação



No mês de dezembro de 2019, o cenário de inovação do Amazonas teve seus destaques apresentados durante a premiação da 4ª edição do Jaraqui Graúdo. Organizado pela comunidade Jaraqui Valley, a indicação dos entes do ecossistema vem por meio dos próprios agentes e a votação é aberta ao público.

Foto:Diego Oliveira/Portal Amazônia

O Portal Amazônia foi finalista na Categoria 'Veículo de Comunicação Apoiador', que também elegeu Startup do Ano, Melhor Negócio de Impacto Social, Universidade Inovadora, Mentor Local, Reportagem com Temática de Empreendedorismo, Investidor do ano, Melhor Evento do Ano, Melhor Espaço de Inovação, Empreendedor do Ano e também, Assessoria e Consultoria.


Startup Premiada


Além dos eventos e laboratórios, Manaus fortaleceu seu ecossistema com startups que se destacaram, entre elas, o aplicativo Trocados, que atua como ferramenta de troco digital para consumidores e recebeu o prêmio de Startup do Ano, do Jaraqui Graúdo. Silvestre Paiva, co-fundador, ressalta que 2019 foi de muitas realizações e conquistas.


"Tivemos um ano maravilhoso, de muitas realizações e conquistas, amadurecimento das nossas operações e do nosso modelo de negócios, além de percebermos o impacto que podemos causar na vida das pessoas, então, a gente fecha com quase 1 milhão de transição feitas, mais de 200 mil pessoas atingidas em 3 cidades do Amazonas, e movimentamos mais de meio milhão de reais, então, são números que mostram que a gente está no caminho certo", disse Silvestre.

Foto:Valdo Leão/Governo do Amazonas


Outra startup que ganhou destaque durante 2019 foi a DriveOn, ela nasceu no Amazonas e foi classificada como a 10ª mais inovadora da América Latina em 2019, pelo Innovation Awards Latam, prêmio que faz anualmente o ranking das 100 startups mais inovadoras do mundo. A lista destaca as melhores soluções com foco na inovação que trazem para o mercado.


Interior do Amazonas


Em 2020, a atuação de inovação no interior do Amazonas vai se acentuar. A Trocados pretende investir em outros municípios.


"Ressalto que neste ano, a gente quer ser mais forte no interior do Amazonas, e dar mais acesso à nossa tecnologia em outros municípios. Além de Manaus, já estamos em Itacoatiara e Parintins, e queremos avançar", ressalta Silvestre.


A Comunidade Jaraqui Valley também intensificará as ações no interior do Estado. "Em Parintins, já articulamos alguns eventos na área de economia criativa, digital e games. E estamos prevendo outras ações em parceria com o Sebrae, e nos municípios de atuação do órgão para fomentarmos a inovação também no interior, onde estão os grandes artistas desse Estado", disse Marcelino.


Fortalecimento do ecossistema


O Amazonas caminha no fortalecimento de seu ecossistema de inovação, e são 5, os pilares necessários: talento, densidade de negócios, cultura, capital e a legislação.


"Em nossa realidade, nas universidades estão nossos talentos, sobre a densidade ainda estamos baixo pelo volume que temos, precisamos melhorar em negócios A cultura é um trabalho que fazemos com a imprensa, para que a sociedade entenda a importância dessa nova economia. Sobre o capital, avançamos em leis de incentivo, fomento e fundos de investimentos e por fim, em função da chegada de grandes startups em Manaus, como Uber, Cabify, Ifood, entre outras, se fez necessário legislar sobre o assunto. Uma vez que esses pontos sejam consolidados, a gente consegue ter um bom andamento e fortalecimento das startups na região", finaliza Marcelino.

Startup Pará incentiva empreendedorismo e inovação na região; 3 milhões serão investidos

Estimular empreendimentos que usem inovação como base de suas atividades e, assim, criar um centro de referência na área para atrair e formar negócios em toda a região. Esse é o principal objetivo do programa Startup Pará, elaborado pelo governo do Estado e lançado nesta quinta-feira (19), em Belém. A iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), pela Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) e pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).
Foto:Jader Paes/Agência Pará


O programa busca incentivar, através de políticas públicas, a criação e o desenvolvimento de atividades inovadoras em áreas como educação, energia, mineração, saúde e qualidade de vida do cidadão, biotecnologia, administração pública e logística. O projeto prevê o investimento inicial de cerca de R$ 3 milhões.


Para o governador, investir em ciência e tecnologia é pensar no futuro da região. “Com o Startup Pará devemos ofertar para a sociedade condições de transformar o talento em produtos e serviços e, para isso, vamos investir em políticas públicas que intensifiquem essas oportunidades”, ressaltou Helder Barbalho, afirmando que o projeto observa o potencial do Pará em ser uma referência em empreendedorismo na Amazônia, e afirmou ainda que, no próximo mês, deve encaminhar para apreciação da Assembleia Legislativa do Estado (Alepa) uma proposta de encaminhar 20% dos royalties arrecadados pelo Estado para a área de Ciência e Tecnologia.


De acordo com o titular da Sectec, Carlos Maneschy, o investimento em inovação é essencial para colocar o Pará em um novo tempo de desenvolvimento. “Somos um Estado de imenso potencial econômico e natural. Mas ainda não conseguimos aproveitar essa riqueza de maneira produtiva. Com o projeto Startup Pará, vamos incentivar ações para mudar essa realidade e, a longo prazo, formar pessoas para contribuírem com as virtudes da nossa região”, reforçou Maneschy.


O secretário destacou ainda que o compromisso com a preservação do meio ambiente é um dos pilares que norteiam o projeto. “O programa busca incentivar, de maneira diferenciada, as empresas e empreendedores que promovam o estabelecimentos de novos serviços ambientais, observando a linha de sustentabilidade estabelecida pelo governo”.


A oportunidade de investir na própria região é um dos atrativos que a pesquisadora Márcia Souza observou no iniciativa. "Faço parte de uma startup que trabalha com biotecnologia a partir de matérias-primas locais. Mesmo com nosso material, foi mais fácil abrir um empresa em outro estado do que aqui. Com o projeto Startup Pará, vamos ter incentivo para pesquisar, trabalhar e render no cenário amazônico”, notou Márcia.


Aceleração e novos negócios


Com o lançamento do projeto, serão acolhidas na fase inicial 15 propostas em fase de pesquisa na modalidade “Novos Negócios”, que contempla a abertura de empreendimentos inovadores em fase pré-operacional, e 15 na modalidade “Aceleração”, voltada para atividades promissoras já existentes no mercado. As iniciativas selecionadas terão capacitação, mentoria e acompanhamento do negócio. Após essa etapa, um comitê avaliador, formado por profissionais e técnicos do mercado, vão escolher 10 propostas de cada modalidade para assinatura de contrato e investimento financeiro. As propostas em “Novos negócios” podem receber até R$ 80 mil por projeto, enquanto a modalidade “Aceleração” oferece o fomento de até R$ 200 mil por cada iniciativa selecionada.



Startupês: saiba o significado de 19 palavras utilizadas no ecossistema de startups

O termo em inglês startup passou a ganhar visibilidade com a emergência de diversas empresas de tecnologia com exemplos de crescimento e transformação em grandes negócios. Em diversos casos, essas firmas começaram como startup e obtiveram alcance global, deixando esta designação, como é o caso de grandes plataformas digitais como Facebook, Google e Uber. O termo designa empresas com uma forte base tecnológica, que inovam, seja em seus modelos de negócio ou no serviço que ofertam a consumidores.


Com o avanço das startups, os empresários precisam se transformar e conhecer os termos que fazem parte deste universo. Entre as nomenclaturas mais conhecidas estão: incubadora, aceleradora, aporte, love-money, meetup, entre outros.
Foto: Shutterstock/Reprodução 



Segundo a administradora e publicitária, Gláucia Campos, todos os termos relacionados as startups vêm do Vale do Silício, nos Estados Unidos. “Todas as nomenclaturas são do Vale do Silício, ou seja, estão em inglês. Por esse motivo, os profissionais precisam ficar de olho para saber os termos que integram esse universo”, explicou.




Confira os principais termos utilizados em startups:

Aceleradora: Como diz o nome, uma aceleradora tem o objetivo de acelerar o crescimento de uma startup. Geralmente, ela torna-se sócia minoritária da startup e realiza um “investimento semente” ou ajuda de custo.
Aporte: Aporte é uma outra denominação para o investimento/aplicação feito na empresa.


Bootstrapping: É um processo no qual o próprio empreendedor financia o projeto criado por ele, sem a adição de capital externo. A única entrada sem ser a do empreendedor é a dos primeiros clientes.



Burn Rate: É um sinônimo de fluxo de caixa negativo. É uma conta que apresenta a velocidade que uma empresa “queima” seus recursos financeiros.



Business model: Geralmente, o termo é utilizado na fase mais básica do planejamento de negócio. Serve para definir o modelo de negócio a ser seguido durante todo o projeto. O business mode apresenta as técnicas de interação que a startup irá utilizar para se comunicar com: Principais Parceiros, Principais atividades, recursos chave, valor proposição, relacionamento com clientes, canais de mercado, segmentos de clientes, estrutura de custos e receitas.



Business Plan: É basicamente o plano de negócio da empresa. É nesse plano que será delimitado o modelo de negócio a ser seguido. Esse documento deve conter também dados da empresa e de seus integrantes, como por exemplo, a descrição do produto/serviço que a empresa oferece, análises de mercado feita pela empresa, sua estratégias de vendas, marketing e etc. O business plan também pode ser usado para apresentar sua empresa para os investidores.



Business Angel: Os anjos são investidores privados  que investem financeiramente em startups. Investidores anjos investem de 5% a 10 % de seu patrimônio em novas empresas. Além de oferecem apoio financeiro, também proporcionam experiência de mercado e conselhos.



Buy Back: É quando uma empresa é recomprada pelo fundador.



Cap table: A tabela de capitalização tende a mostrar a participação acionaria em uma empresa.



Capital Social: É a parcela que os acionistas possuem de uma empresa.



Coworking: É o local compartilhado por profissionais de áreas e negócios distintos. Nesses locais se incentiva a troca de ideias e experiências entre os presentes.



Customer development: Conjunto de estratégias para  uma startup chegar a seu Product Market Fit.



Deal Breaker: Fator ou problema que impede ou acaba com uma negociação em estágio avançado.



Due Diligence: É a fase onde as startups e seus projetos são analisados pelas aceleradoras que determinarão se vale a pena o investimento.



Drag Along: É uma cláusula que exige que os sócios minoritários vendam suas ações quando o sócio majoritário o faz. O objetivo e fazer com que o comprador adquira 100% da empresa.



Early Stage Financing: É o primeiro financiamento que uma empresa recebe, antes mesmo de possuir clientes ou produto.



Elevator pitch: É o que gera a imagem inicial de uma empresa. É um pitch encurtado com 30 segundos que apresenta a empresa para outras pessoas e organizações.



Growth Capital: Investimento feito quando a empresa já atingiu um estágio mais maduro, onde ela já ingressou no mercado e, já possui uma reputação frente aos consumidores. Esse investimento serve para apoiar o crescimento da empresas que já ingressaram no mercado.



Hurdle Rate: É a taxa mínima de retorno que o investidor espera.



Incubadora: São locais com infraestrutura dotada para que novas startups consigam desenvolver suas ideias e projetos. Em geral, essas incubadoras estão presentes nas universidades.



IPO: É quando uma empresa abre seu capital e ingressa na bolsa de valores.



Love Capital: É o investimento financeiro feito por familiares, amigos e etc.



Mash Up: É o aperfeiçoamento de um serviço/produto pela junção de dois ou mais produtos.



Mentor: Em geral são (ex)empreendedores/empresários que tem muita experiência de mercado e passam para novos empreendedores e startupers.



MVP ( Minimum Viable Product):  É basicamente um produto que é lançado no mercado em Alfa ou beta. Ao invés de serem lançados no estágio final, eles são lançados em fases mais jovens para a geração de feedback e o aperfeiçoamento do produto final.



NDA (Non-Disclosure Agreement): É um acordo de confidencialidade. São contratos que as startups fazem seus credores/parceiros assinarem para o sigilo da negociação/ideia que está sendo desenvolvida.



Outsourcing:  É a terceirização de um trabalho. Em geral, os motivos para essa  terceirização são: economia de custos, confiar a tarefa para pessoas mais especializadas e porque permite uma flexibilidade já que é On Demand.



Open Source: Software de código aberto que pode ser usado por qualquer um na criação de outro programa.



Private Equity: É um modelo de investimento parecido com o venture capital, porém nesse modelo a quantidade de dinheiro envolvido é muito maior. O investimento é feito em empresas de capital fechado e realizado por fundos.



Pitch: É uma apresentação breve para os investidores para convencê-los de que vale a pena o investimento em sua empresa.



Pivot: É uma mudança no modelo de negócios que visa melhorar o desempenho das startups.



Round: É como uma empresa denomina uma etapa de investimento recebido por ela. O primeiro investimento é o “Round A”, o segundo é o “Round B” e etc.



Seed Capital/Investimento Semente: É o investimento que é feito durante os primórdios da criação de uma empresa. Os valores investidos são menores e o risco nesse estágio tende a ser bem maior.



Shareholder: É como se denomina alguém que possua ações da sua empresa.



Stakeholders: Qualquer entidade que interfira diretamente (ou indiretamente) em uma empresa.



Spin-off: Parte de uma empresa que se separa da empresa mãe e ingressa no mercado.


Startup:  É empresa em fase inicial que visa o ingresso/crescimento no mercado e que está a procura de investidores para que esse crescimento seja possível. Startups apesar de apresentarem prosperidade estão sempre em um cenário de risco.



Term Sheet: Documento que contem termos combinados entre os investidores e os empreendedores, geralmente feito antes do investimento.


Valor de Mercado: Valor de uma empresa. Esse valor, geralmente, é atribuído pelos investidores.



Venture Capital: É o famoso capital de risco. O venture capital é o nome que se da para o investimento feito em empresas muito jovens que apresentam alto potencial de crescimento. Os investidores tornam-se sócios das empresas que não precisam mais depender do fluxo de caixa ( quando existe )  para se sustentar.


Pará lança programa de incentivo a iniciativas empreendedoras e inovadoras

O governo do Pará lança, nesta quinta-feira (19), o Programa "Startup Pará", uma estratégia estadual para o incentivo ao empreendedorismo tecnológico. O lançamento do programa será realizado no Teatro Estação Gasômetro, às 9h, com a presença do governador Helder Barbalho. O Startup Pará é desenvolvido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad) e Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa).


“As startups são as grandes novidades do modelo de desenvolvimento que vivemos hoje. Partem de ideias inovadoras e empreendedoras para mudar uma realidade e promover negócios utilizando as novas tecnologias. Com este programa, o governo vai incentivar o empreendedorismo e a inovação que são características da nossa população”, ressalta o titular da Sectet e presidente da Fapespa, Carlos Maneschy.
Foto:Divulgação


Editais


Está prevista para a primeira quinzena de janeiro/2020 a publicação dos editais que irão selecionar iniciativas novas e startups já consolidadas que receberão aporte financeiro, apoio técnico e acompanhamento para que se fortaleçam no mercado.


Na modalidade "Novos Negócios", serão selecionados 20 projetos e na modalidade "Aceleração", 10 startups que já se encontrem em andamento e com possibilidade promissora no mercado. As iniciativas selecionadas terão, além do investimento financeiro, capacitação, mentoria e acompanhamento do negócio.


O Startup Pará já está desenvolvendo o "Ecossistema Pará", uma base de dados que irá mapear as empresas de base tecnológica, startups e incubadoras, fomentando a circulação de informações ente elas para criar uma rede de desenvolvimento do empreendedorismo tecnológico.


Jaraqui Valley reconhece as melhores iniciativas para o ecossistema digital do Amazonas

Não é de hoje que prêmios e reconhecimentos acontecem, como um prática saudável de falar que você fez bem feito. O destaque para quem deu bons resultados é também uma prática para o ecossistema de empreendedorismo digital de Manaus. Uma vez ao ano são eleitos as iniciativas que tiveram mais destaque e as startups com melhor performance de mercado.

Hospital de Manaus seleciona estudantes de Saúde e TIC para desenvolvimento de soluções tecnológicas

Em uma parceria inédita, a escola de robótica Manaós Tech for Kids e a Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) lançam o projeto FHAJ Lab que irá selecionar universitários das áreas de Saúde (Medicina, Enfermagem, Psicologia, entre outros) e de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para desenvolverem projetos de soluções tecnológicas para a área da Saúde.


Foto:Divulgação


As inscrições são gratuitas. Para participar da seleção, os candidatos deverão se inscrever no site www.manaostech.com/fhajlab no período de 11 até 17 de novembro de 2019, quando serão pré-selecionados 40 estudantes. No dia 19 de novembro será divulgada a lista com os selecionados na primeira fase. Esses passarão para a etapa de entrevistas que acontece nos dias 21 e 22 de Novembro de 2019. A lista final com os nomes dos 20 universitários selecionados será divulgada no dia 23 de Novembro de 2019.


“Os estudantes selecionados receberão cursos e mentorias em seus respectivos projetos voltados para a tecnologia e inovação, como, por exemplo, na criação de aplicativos (APP) e desenvolvimento em Internet das Coisas (IoT). Em seguida, eles participarão de uma competição durante a III Mostra Tecnológica da Manaós Tech, que ocorrerá no dia 14 de dezembro. Nossa ideia é fazer com que os universitários em Saúde e de TIC possam receber capacitação em tecnologia e inovação e criem sinergia para desenvolverem soluções inovadoras.”, destaca o CEO da Manaós Tech, Glauco Aguiar.


O FHAJ Lab é um projeto fruto da parceria inédita entre a escola de robótica Manaós Tech for Kids, FHAJ e conta com o aporte da Fundação de Amparo à Pesquisa no Amazonas (Fapeam).


O professor e pesquisador, Juliano Monteiro de Oliveira, que faz parte da Diretoria de Ensino e Pesquisa da FHAJ, ressalta que o projeto servirá como protótipo para um programa maior que está em andamento no Hospital Adriano Jorge, além de poder desenvolver tecnologias que auxiliarão no serviço da Saúde pública.


“O FHAJ Lab é um projeto muito importante onde a Fundação Hospital Adriano Jorge abre as portas para a empresa Manaós Tech que vem nos ajudando a iniciar um programa maior que é o “Inova Saúde 4.0”. Nosso objetivo é fazer com que o Hospital Adriano Jorge possa se tornar uma referência em tecnologias em Saúde e, para isso, contamos com o suporte da Manaós Tech que irá nos ajudar com a capacitação voltada para Internet das Coisas (IOT), arduino, criação de apps, entre outras tecnologias. Isso irá agregar o conhecimento da área da Saúde com conhecimento da tecnologia e propor soluções práticas para uma necessidade real. Esse é o propósito do FHAJ.”, esclarece o pesquisador.

Foto:Divulgação
Soluções para a Saúde


De acordo com o professor Juliano Oliveira, o experimento com o FHAJ Lab poderá ampliar o projeto para os servidores do Hospital Adriano Jorge, além de abrir caminho para novas startups que possam desenvolver soluções para a área da Saúde.

“Planejamos ampliar e incrementar o projeto para a criação de novas startups voltadas para soluções tecnológicas na área da Saúde, contribuindo, também para o Polo Digital de Manaus. Nosso intuito com o FHAJ Lab é transformar a Fundação Hospital Adriano Jorge em um grande laboratório tecnológico, onde profissionais da Saúde serão capacitados para promover soluções tecnológicas para as nossas demandas reais”, enfatiza o pesquisador.

Neste ano, a Manaós Tech for Kids foi escolhida pelo programa “Brazil Accelerate 2030” - uma iniciativa do Impact Hub e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), para impulsionar negócios de impacto socioambientais  e também recebeu reconhecimento da Google como uma das 15 iniciativas de maior destaque do Brasil. A escola trabalha com a metodologia STEAM (Science, Technology, Engineering, Art and Mathematics) e vem ampliando parcerias no ensino tecnológico.
 

“Estamos muito felizes em poder participar dessa parceria com a Fundação Hospital Adriano Jorge e em contribuir para a formação desses futuros profissionais em Saúde e TIC que irão auxiliar das demandas da área da Saúde em Manaus. Projetos como o FHAJ Lab nos motiva ainda mais a difundir tecnologia como meio de transformação social e de melhoria da nossa cidade", enfatiza Glauco Aguiar ao revelar que em 2020, a Manaós Tech contará com ofertas de cursos de capacitação tecnológica para adultos.



Startup amazonense é selecionado para participar do Summit Êxito 2019

Na última quarta (30), ocorreu a seletiva "Missão Êxito", no espaço Acelera Amazônia. Uma startup foi a escolhida, dentre 8 finalistas, para participar do Summit Êxito 2019, que ocorrerá em São Paulo, nos dias 8, 9 e 10 de novembro. 

Fórum de competitividade e inovação é realizado este mês em Ji-Paraná

Um fórum de inovação e competitividade será realizado em Ji-Paraná (RO), na Região Central, nos dias 22 e 23 de outubro, no auditório do colégio José Francisco.

Foto: Reprodução/Shutterstock
O Meetup.RO vai abordar temas como criatividade, startups, indústria 4.0, design, o poder da ação e Lei de Proteção de Dados Pessoais. Segundo a organização do evento, o objetivo é criar uma cultura de inovação no estado.


O evento é gratuito e aberto ao público. Os interessados podem se inscrever no site do evento. A programação está prevista para iniciar às 19h no primeiro dia do fórum e às 14h no segundo dia.

Conecta Startup Brasil prorroga inscrições para startups e empreendedores

O Programa Conecta Startup Brasil prorrogou até 13 de outubro o prazo de inscrição para a chamada que selecionará 100 equipes empreendedoras e startups em estágio inicial (early stage) interessados em desenvolver o seu negócio por meio de uma ação integrada de capacitação, mentoria com profissionais de mercado, conexão com empresas e networking.


Os empreendedores interessados podem participar gratuitamente do programa de capacitação na plataforma de EAD do Conecta Startup Brasil no endereço www.cursos.conectastartupbrasil.org.br.
Foto: Divulgação

ara participar da chamada não é necessário ter CNPJ constituído e são aceitas equipes com um mínimo de dois empreendedores. Os projetos aprovados poderão receber até R$ 200 mil em aportes.O Conecta Startup Brasil é resultado de uma ação conjunta entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Softex e o parceiro executor, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A íntegra do edital da chamada para equipes empreendedoras e startups  está disponível para consulta no endereço https://conectastartupbrasil.org.br/

Manaus: abertas inscrições para o "MeetUp" sobre empreendedorismo

Estão abertas as inscrições gratuitas para a segunda edição do “MeetUp – Empreendendo e Inovando serviços”, que acontece na próxima quarta-feira, (25). O evento, que é uma espécie de encontro informal entre empreendedores para promover networking, é realizado pela Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), por meio do Fundo Municipal de Empreendedorismo e Inovação (Fumipeq) e Escritório do Empreendedor.

 
Esta edição terá a presença de Márcio André, CEO e fundador da RedMaxx Consultoria e Up Aceleradora; André Santi, gerente de Marketing do Amazonas Shopping, com mais de 15 anos trabalhando junto a marcas famosas como Vivo e Coca-Cola; e Rodrigo Silva, especialista em Gestão de inovação e proprietário do Salomé Bar. Todos eles vão compartilhar suas experiências durante a conversa e ainda tirar dúvidas do público.
Foto: Divulgação

 

Durante a discussão, os participantes podem fazer questionamentos e interagir com os convidados de acordo com o aval dos mediadores. Logo após, o momento se transforma em uma rodada de negócios, onde cada empreendedor vai apresentar seu negócio para todos.

 
Inscrições

 
Para participar do evento, basta se inscrever gratuitamente através da plataforma Sympla no link: https://bit.ly/MeetupRodadaDeNegócios. O “MeetUp – Empreendendo e Inovando serviços” será realizado na próxima quarta-feira, 25/9, a partir das 19h, no Salomé Bar, na praça de alimentação do Amazonas Shopping, localizado na avenida Djalma Batista, 482, Chapada.

Últimos dias para as inscrições do desafio Techstars Startup Weekend, em Manaus

Você toparia o desafio de criar e lançar uma startup em 54 horas? Em Manaus, os participantes do projeto Techstars Startup Weekend Industry passarão um final de semana intenso para construir sua startup. O evento acontece nos dias 27, 28 e 29 de setembro, a partir das 18h30, na Manaus Tech Hub, localizada na Avenida Autaz Mirim, 2211 - Armando Mendes. |


De acordo com um dos organizadores locais, Daniel Goettenauer, qualquer pessoa pode participar, basta gostar de inovar e saber trabalhar em equipe. "Só pedimos para que os participantes abram suas mentes. Antes de começarmos as atividades, o grupo participa de uma dinâmica onde são definidas todas as equipes, a partir deste momento, começa a disputa", contou.

Foto: Divulgação
 



Em 2019, o tema principal do Techstars Startup Weekend será a indústria. "São 10 edições de sucesso no Amazonas. Agora, vamos exaltar a indústria que é tão importante para a economia do Estado", destacou Goettenauer. Outro ponto para o sucesso do projeto é a união dos setores.  "Queremos também massificar a importância da cultura de startup para a sociedade, infelizmente, essas coisas passam despercebidos", disse.

Dinâmica


Ao todo, serão 54 horas de atividades e imersão.  Os participantes contarão com a ajuda de mentores para o desenvolvimento das startups, além de ter a presença de possíveis investidores.


No primeiro dia, os participantes vão apresentar suas ideias e formar as equipes. No segundo dia, os trabalhos começam de fato, cada equipe verificará na prática se a startup é viável para a produção. No último dia, acontecem as apresentações dos pitchs para a bancada. No encerramento, os jurados escolherão os melhores projetos.

Ingressos


As inscrições podem ser feitas até  sexta-feira (27). Os ingressos estão divididos em desenvolvedor, designer e negócios, e custam R$ 100. Informações no site oficial do evento.

Desempenho

O Techstars Startup Weekend Industry é uma rede global de lideres e empreendedores de alto impacto em uma missão para inspirar, educar e capacitar indivíduos, equipes e comunidades. Mais de oito mil startups foram criadas nos eventos em cerca de 100 países. No Amazonas, o evento promete desafiar os participantes que terão três dias para se destacar dos demais.

Conecta Startup: projetos empreendedores no Norte podem receber até R$ 200 mil

Se você tem uma ideia inovadora, está pensando em tirá-la do papel e desenvolvê-la a partir de uma ação integrada de capacitação, mentoria com especialistas e aporte do ecossistema de inovação, o Conecta Startup Brasil pode ser o ponta-pé inicial para o seu negócio. Com edital aberto para selecionar 100 equipes de empreendedores, o programa irá ofertar 20 vagas para o Norte.

O programa é realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), da Softex e executado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O objetivo é capacitar empreendedores e os conectar a diferentes atores do ecossistema.
Foto:Divulgação/FIEMS

Segundo Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, o Conecta dará aporte as startups no desenvolvimento de soluções para empresas.


“Existe uma grande demanda das empresas por soluções inovadoras e, com o Conecta Startup Brasil, as startups terão a oportunidade de desenvolver essas soluções. Assim, os empreendedores ampliam suas bases de negócios e se tornam cada vez mais preparados para os desafios do mercado. Já para as empresas, o programa é uma oportunidade para fortalecer a cultura de inovação aberta e participar do ecossistema de inovação”, destaca Paulo.



O edital do Conecta Startup Brasil está selecionando 100 equipes empreendedoras e startups em estágio inicial (early stage) que, uma vez aprovados, poderão receber até R$ 200 mil em aportes. Segundo o edital, para participar não é necessário ter CNPJ constituído e também são aceitas equipes com um mínimo de dois empreendedores.


Vagas para o Norte


O programa é nacional mas tem vagas direcionadas para Região Norte. Segundo Diônes Lima, vice-presidente Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex) e parceiros no programa Conecta, objetivos regionais também serão contemplados pelo programa.


"No Norte, temos 20 vagas disponíveis para projetos de empreendedorismo e inovação. A seleção é feita através do edital, que está aberto até o dia 27 de Setembro. Para mobilizar empreendedores e startups locais estamos fazendo a semana imersiva (dentro do Manaus Tech Hub), além de roadshows por toda a região Norte", conta.

Foto:Divulgação/Conecta Brasil

Capacitação



Os empreendedores interessados em se preparar para a chamada podem participar gratuitamente do programa de capacitação na plataforma de EAD do Conecta Startup Brasil que inclui, além de videoaulas, materiais complementares e exercícios de avaliação. Inscrições no endereço www.cursos.conectastartupbrasil.org.br.


Orientação


A próxima etapa do Conecta Startup Brasil envolve a mobilização de mentores, o cadastro de investidores e de aceleradoras parceiras. As inscrições para as equipes empreendedoras e startups prosseguem até o dia 27 de setembro.


Edital está disponível para consulta em https://conectastartupbrasil.org.br/.

Em Manaus, conferência que promove empreendedorismo e inovação começa nesta sexta-feira

Com a proposta de apresentar resultados do ecossistema em volta de soluções de inovação e empreendedorismo na Amazônia, Manaus receberá a 2ª edição do Confex Roda com a RAMI, um evento dentro do cenário das startups que terá como ponto o 'Encontro com Investidores - apresentando meu Pitch demolidor'.


Segundo a professora mestra Olinda Marinho, presidente da Rede de Inovação e Empreendedorismo na Amazônia, a 2ª Confex é a oportunidade que todo o ecossistema de inovação do Amazonas terá de dar visibilidade a ações que vem desenvolvendo.


"Na Confex, as incubadoras e ambientes de empreendedorismo, inovação e tecnologia terão a oportunidade de apresentar seus cases de sucesso, por meio dos empreendedores e startups, para investidores e convidados que fomentam o ecossistema de inovação, ou seja, a chance que terão de apresentar e convencer os investidores de que vale a pena investir em seu negócio", conta.

Foto: Divulgação
Foram 50 startups inscritas, mas apenas 5 terão a oportunidade de apresentar suas ideias à jurados reconhecidos da área de inovação.


"O 'Pitch demolidor' é baseado na apresentação de convencimento mesmo, de que as ideias precisam ser compradas pelos investidores. Nesta edição da Confex, serão cinco startups, que terão essa chance", lembra a professora.


Além do 'Encontro com Investidores', a programação trará palestras, oficinas de metodologias ágeis, rodadas de negócios com produtos da floresta e de produtores ribeirinhos, bio-jóias, espaço gastronômico, aula-show de culinária regional, além de  orientações para criação de startups e do networking em si.


Ainda segundo a professora Olinda, o evento segue um cronograma criado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese).


"Planejamos junto ao Codese, ações para os próximos dois anos, que envolvam todo o ecossistema de empreendedorismo e inovação no Estado. Queremos com isso, atrair novos investidores, alavancar a comercialização de produtos, dar visibilidade ao que está acontecendo dentro do cenário de negócios, serviços, startups, comércio exterior e turismo na Amazônia", pontua.


Para quem tem uma ideia de Startup, e quer saber mais sobre o assunto ou ainda ter um apoio para o desenvolvimento do projeto, o evento será a oportunidade.


"Teremos stands de projetos como o Cosmos, Hacker Space, e outros, como o da RAMI que dará orientações para quem queira colocar algum projeto em prática, inclusive já inscrevendo no Programa Centelha, que estimula a criação de projetos inovadores", finaliza a professora, que também atua como colaboradora da comunidade Jaraqui Valley.


A 2ª edição da Confex Roda com a RAMI, acontece nos dias 13 e 14 de setembro, das 9h às 21h, no Centro Cultural Povos da Amazônia (Bola da Suframa), em Manaus. Para participar é necessário fazer inscrição, que é gratuita, até esta quinta-feira (12) em https://www.sympla.com.br/inscricao?id=590457.


Sobre a RAMI


Fundada em 31 de Julho de 2015, é uma associação civil de caráter técnico-científico e acadêmico, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede na cidade de Manaus- Amazonas.
 

Startup criada no Amazonas é classificada como a décima mais inovadora da América Latina

A DriveOn, startup que nasceu no Amazonas, foi classificada como a 10ª mais inovadora da América Latina em 2019, pelo Innovation Awards Latam, prêmio que faz anualmente o ranking das 100 startups mais inovadoras da Latam. Ano passado, a DriveOn ficou na 39ª colocação, a frente de grandes startups, como o Banco Neon. A lista tem como objetivo destacar as melhores soluções com foco na inovação que trazem para o mercado.