Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 08 Mai 2021

Wilson Lima e Amazonino Mendes disputam vaga de governador em segundo turno, no Amazonas

O cenário das Eleições 2018 no Estado do Amazonas se confirmam a partir das pesquisas de intenção de votos. Os candidatos Wilson Lima (PSC) e Amazonino Mendes (PDT) disputam a vaga de governador no dia 28 de outubro em 2º turno. 
Wilson Lima e Amazonino Mendes | Foto: Divulgação
Os demais candidatos por onde de classificação são: David Almeida (PSB), Omar Aziz (PSD), Lucia Antony (PC do B), Berg da Ugt (PSOL) e Sidney Cabral (PSTU).

Wilson Lima tem 42 anos, é casado e atua como jornalista e redator. Nascido em Santarém no Pará. Nunca disputou cargo político.

Amazonino Mendes tem 78 anos, é viúvo e nascido em Eirunepé, interior do Amazonas. É o atual governador do Estado em um mandato tampão, após o antecessor José Melo ser cassado por corrupção na saúde.

Para o senado, Plinio Valerio (PSDB) e Eduardo Braga (MDB) lideram para ocupar as duas vagas disponíveis.

Waldez Góes e Davi Alcolumbre seguem para segundo turno no Amapá

Os eleitores do Amapá terão que voltar às urnas no dia 28 de outubro. Os candidatos  Waldez Góes (PDT) e Davi Alcolumbre (DEM), com seguiram 47,97% e 33,90%, respectivamente. Confira o resultado:

Waldez Góes(PDT) - 47,97%
Davi Alcolumbre(DEM) - 33,90%
Cirilo Fernandes (PSL) -  16,37%
Gianfranco (PSTU) - 1,75%
Capi 40 (PSB) - 0,00%

Foto:

Amazonino Mendes é eleito novo governador do Amazonas

Foto: Divulgação
Amazonino Mendes (PDT) foi eleito neste domingo (27) o novo governador do Amazonas. Com mais de 59 % dos votos válidos na parcial definitiva divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por volta das 18h20, o candidato da coligação 'Movimento pela Reconstrução do Amazonas' sai vitorioso no segundo turno da eleição suplementar do governo. O candidato Eduardo Braga (PMDB) disputou a preferência de votos de mais de 2 milhões de eleitores com o eleito.

No primeiro turno Amazonino já despontava como possível eleito, com 38,77% (577.397) dos votos. Braga, da coligação 'União pelo Amazonas', recebeu 25,36% dos votos válidos (377.680) no primeiro turno - 6 de agosto -, o que os levou a disputa deste domingo. No resultado final do segundo turno, Amazonino obteve 782.933 votos válidos (59,21%) e Eduardo Braga ficou com 539.318 (40,79%).

Amazonino Mendes retorna à política após um hiato de cinco anos, uma vez que, em 2012, encerrou seu mandato de prefeito de Manaus sem tentar reeleição. Aos 77 anos, ele disse, em entrevista à rádio CBN Amazônia, ter retornado à vida política do Estado por se sentir “inútil dentro de casa”. Amazonino já cumpriu três mandatos como governador (1987 à 1990; 1995 à 1998 e 1998 à 2002.

Durante a coletiva com a imprensa às 19h30, Amazonino agradeceu os apoiadores de campanha, bem como o prefeito Artur Neto e ainda Omar Aziz, que o acompanhavam no palco. "Estaremos sempre do lado do Estado. Quem está falando é alguém que já foi governador três vezes. E o próximo mandato é o que Deus também me dá para que eu possa ser útil ao meu povo, ao meu Estado e a minha gente", declarou.

Nulos, brancos e abstenções

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), o Amazonas possui 70 zonas eleitorais, sendo 61 zonas no interior e 13 na capital. São 7,262 seções eleitorais distribuídas em 1,426 locais de votação no estado.

Dos 2.338.886 de eleitores, mais uma vez o número de abstenções surpreendeu: 603.914 (25,82%). Além disso, o número de votos nulos chegou à 342.280 (19,73%) e brancos à 70.441 (4,06%). "Essas pessoas são um grito de alerta", afirmou o novo governador durante a coletiva.

Diplomação

De acordo com o TRE-AM, a data para diplomação do vencedor e do vice, Bosco Saraiva (PSDB), é 2 de outubro e acontecerá no auditório Des. Arthur Virgílio do Carmo Ribeiro, no prédio anexo do Tribunal de Justiça do Amazonas, localizado na Avenida André Araújo, s/n, no bairro Aleixo, às 17h.

Cassação 

A eleição suplementar no Amazonas foi determinada após a cassação dos mandatos do ex-governador José Melo, e do ex-vice, Henrique Oliveira, por compra de votos nas eleições de 2014. O presidente da Assembleia Legislativa do estado, Davi Almeida (PSD), assumiu o governo interinamente. O TSE decidiu no início de maio deste ano, por 5 votos a 2, manter a cassação que já havia sido determinada pelo TRE-AM. No último dia 22, mais uma vez o Tribunal Superior manteve a cassação, dessa vez por unanimidade. A eleição suplementar teve investimento de R$ 34,5 milhões. 

Confira ocorrências registradas durante a eleição suplementar no Amazonas

Foto: Indiara Bessa/Rede Amazônica
Entre as ocorrências divulgadas pelos órgãos que monitoram o andamento do segundo turno da eleição suplementar no Amazonas, neste domingo (27), um homem foi preso por consumo de bebida alcoólica. Com a Lei Seca vigente desde às 2h, mais de 300 bares foram fiscalizados em Manaus.

O homem de 34 anos foi conduzido ao 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e autuado em desacato consumado. Após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), ele foi liberado e deve responder em liberdade.

Nos municípios de Itapiranga e Maraã, duas pessoas foram levadas à delegacia após desrespeitarem a Lei Seca. Também assinaram TCO e devem responder em liberdade.

De acordo com reportagem do G1 Amazonas, segundo portaria do TRE 610 de 2017, neste segundo turno das eleições suplementares, o consumo de bebidas alcoólicas é proibido entre as 2h do domingo até as 18h. O descumprimento caracteriza prática do crime de desobediência, previsto no artigo 347 do código eleitoral brasileiro (Lei nº 4.737/1965).

A, 40 urnas eletrônicas apresentaram problemas em todo Amazonas, neste domingo (27), segundo turno da eleição suplementar para governo do estado.De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral, até as 16h,  40 urnas eletrônicas apresentaram problemas. Destas, 26 foram substituídas, sendo 17 em Manaus. Segundo o secretário de tecnologia do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), Rodrigo Camelo, a votação não foi prejudicada. São utilizadas 6.668 mil urnas eletrônicas. Um dos casos inusitados aconteceu na seção 664 zona 70, em uma escola estadual na Zona Leste, quando uma criança se soltou da mãe e desligou a urna. O TRE-AM informou que a urna foi religada e não há problema.

Acidentes

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) registrou 10 acidentes de trânsito até o início da tarde na capital. Em um deles, o condutor de uma motocicleta morreu após colidir contra um ônibus, no bairro Flores, Zona Centro Sul. Aproximadamente 300 agentes do Manaustrans atuam neste domingo.

Além disso, o TRE-AM registrou denúncias de transporte ilegal de eleitores no município de Manacapuru. Já em Presidente Figueiredo, um jovem levou um tiro de raspão quando um veículo modelo Gol de cor branca o abordou. Ele passa bem.

Crime eleitoral 

Também em Presidente Figueiredo é apurada a denúncia de distribuição ilegal de requisições de combustíveis para eleitores. Ainda não se sabe a origem das requisições e os suspeitos estão na delegacia do município.

Em Itacoatiara, um grupo foi encaminhado à delegacia após uma briga entre integrantes de coligações opostas. Ainda não foi informada a quantidade de envolvidos. Já em Novo Aripuanã foram registradas duas ocorrências pela Polícia Federal: transporte irregular de eleitores e boca de urna. Os casos estão sob apuração.

Artur Neto é reeleito prefeito de Manaus

O candidato Artur Neto (PSDB) venceu a disputa pela prefeitura de Manaus e foi reeleito com 55,96% dos votos válidos totalizando 581.777 votos. O candidato concorrente, o ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PR), teve 44,04% dos votos, ou 457.809 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No primeiro turno das eleições, o candidato à reeleição, Artur Neto teve 364.485 votos, o que corresponde a 35,17% dos votos válidos. Marcelo recebeu 257.689 votos, o equivalente a 24,86%. Artur Virgílio Neto já foi deputado federal em 1979. Em 1988, foi eleito prefeito de Manaus, vencendo o ex-governador Gilberto Mestrinho. Em seguida, no ano de 1994, voltou à Câmara dos Deputados, em Brasília, onde exerceu mais dois mandatos. Artur foi então eleito senador pelo Amazonas, onde ficou de 2003 a 2010. O prefeito eleito tentou a reeleição para o Senado, em 2010. Em 2012, foi eleito prefeito de Manaus.

Dr. Hildon é eleito prefeito de Porto Velho

Os eleitores de Porto Velho, em Rondônia, foram às urnas neste domingo (30), para escolher o novo prefeito da cidade. O vencedor da disputa é candidato do PSDB, Dr. Hildon, eleito com mais de 65,15% (148.637) dos votos válidos. O adversário, Léo Moraes (PTB), alcançou apenas 34,85% (79.500) dos votos. 
Foto: Felipe Lima/Portal Amazônia
O empresário Hildon de Lima Chaves, de 48 anos, concorreu pela coligação 'Juntos por uma Porto Velho melhor'. Chaves já foi promotor de Justiça e hoje é dono de uma rede de ensino. Esta foi a primeira vez que ele disputa uma eleição. No primeiro turno, o candidato obteve 57.954 votos, o que representa 27,20% dos votos válidos.

Emanuel Pinheiro é eleito prefeito em Cuiabá

O candidato Emanuel Pinheiro (PMDB) foi eleito prefeito de Cuiabá, no Mato Grosso, com 60,41% votos, totalizando 157.877 votos. O concorrente, Wilson Santos (PSDB), teve 39,59% da preferência do eleitorado, o que corresponde a 103.483 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No primeiro turno das eleições, Emanuel Pinheiro recebeu 98.051 votos, o que corresponde a 34,15% dos votos válidos. Já Wilson Santos teve 81.531 votos, o equivalente a 28,40%. Esta é a segunda vez que Emanuel disputa o comando do Executivo Municipal em Cuiabá. Na primeira vez em que disputou, em 2000, perdeu a eleição para o apresentador de TV Roberto França. O prefeito eleito é formado em Direito, foi duas vezes vereador da capital e está no quarto mandato de deputado estadual.

Clécio Luís é reeleito em Macapá

O prefeito de Macapá, capital do Amapá, Clécio Luís (Rede) conquistou a reeleição neste domingo (30) após disputa com Gilvam Borges (PMDB). Durante toda apuração, Luís esteve à frente de Borges e amealhou 60,50% dos votos, o que totaliza o número de 123.808 votos válidos. Já o candidato do PMDB teve 39,50% dos votos, o equivalente a 80.840 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
Clécio Luís tem 44 anos, é natural de Belém (PA), mas mudou-se para Macapá há muitos anos. Formou-se em Geografia na Universidade Federal do Amapá (UFPA) e, no início dos anos 1980, iniciou a trajetória política. Foi líder comunitário e militante do movimento sindical e, em 1998, foi secretário estadual de Educação do Amapá.

A vice de Clécio é Telma Adriana Nery Paiva, de 36 anos, administradora e eleita vereadora de Macapá em 2012. Ela foi indicada pelo DEM, principal aliado da Rede, em Macapá, e maior doador financeiro para a campanha.

Edivaldo Holanda Júnior é eleito prefeito em São Luís

O candidato Edivaldo Holanda Júnior (PDT) foi eleito prefeito de São Luís, capital do Maranhão, com 53,94% dos votos, ou 285.242 votos. O candidato concorrente, Eduardo Braide (PMN), ficou com 46,2% dos votos, totalizando 243.591 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No primeiro turno das eleições, o candidato à reeleição, Edivaldo teve 45,66% dos votos válidos (239.737). Já o advogado Eduardo Braide, obteve 21,34% (112.041). Filiado ao PDT desde agosto de 2015, o prefeito eleito da capital maranhense contou com o apoio de 13 partidos para a sua reeleição.

Zenaldo Coutinho é reeleito em Belém

Após um domingo de votação tranquila, os belenenses decidiram que Zenaldo Coutinho (PSDB) continua no comando da cidade. Ele foi reeleito com 52,33% dos votos, ou 396.770 dos votos válidos. O adversário, Edmilson (PSOL), teve 47,77%, totalizando 361.376 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No segundo turno, Coutinho não recebeu apoio de nenhum candidato. Os concorrentes do primeiro turno Úrsula Vidal (REDE), Carlos Maneschy (PMDB), Regina Barata (PT) e Lélio Costa (PCdoB) decidiram apoiar Edmilson. Já o candidato Éder Mauro se declarou neutro e não apoiou ninguém no segundo turno.

Zenaldo Rodrigues Coutinho Júnior nasceu na capital paraense, é formado em Direito pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e assumiu o primeiro cargo político em 1982, quando foi eleito vereador aos 21 anos. Em 34 anos de vida pública, foi duas vezes deputado estadual e cumpriu quatro mandatos de deputado federal consecutivos.

Capitais da Amazônia Legal registram ocorrências durante o segundo turno

Seis das nove capitais da Amazônia Legal tiveram segundo turno neste domingo (30). Manaus, Belém, Macapá, Cuiabá e São Luís registraram ocorrências de irregularidades eleitorais.Na capital do Amazonas, Manaus, a Polícia Federal fez uma apreensão em um posto de combustível. Segundo informações, no local havia distribuição de combustível em troca de votos. Outra denúncia apontava a suposta paralisação de ônibus na zona Leste da cidade. O transporte de passageiros é gratuito e determinado por lei em dias de pleito.
Foto: Divulgação/TSE
Em Belém, uma mulher foi presa por boca de urna. Com ela foram encontrados mais de 200 santinhos. A suspeita foi encaminhada para a Delegacia do Marco, localizado na Avenida Almirante Barroso. Já a Conferência Nacional dos Bispos dos Brasil (CNBB) recebeu mais de 200 denúncias por meio do telefone 0800-091-4751.

Cerca de 15 denúncias envolvendo crimes eleitorais durante este domingo foram registrados pelo Ministério Público Eleitoral do Amapá (MPE-AP), em Macapá. Além disso, um barco do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) naufragou em um rio nas imediações da zona Norte de Macapá, mas não houve vítimas.

Em Cuiabá, dois eleitores foram detidos porque fizeram registros fotográficos na urna. É proibido levar câmeras fotográficas de qualquer natureza para a cabine de votação. Além disso, um início de tumulto foi registrado no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), o motivo da briga foi a bandeira de um candidato que estava no carro de um eleitor.

Em São Luís, uma pessoa foi apreendida após suspeita de boca de urna. O caso aconteceu no Colégio Santa Tereza, a polícia conduziu o suspeito para o Plantão do Parque do Bom Menino. 

Edivaldo Holanda e Eduardo Braide vão para o 2º turno em São Luís

Os candidatos a prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) e Eduardo Braide (PMN) vão para o segundo turno das eleições municipais de 2016. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tiveram em todo o Estado 566 mil votos válidos, dos quais 45,66% foram destinados ao candidato Edivaldo Holanda e 21,34% para Eduardo Braide. Foram mais de 239 mil votos para o candidato Edivaldo Holanda e 112 mil votos para Eduardo Braide.

Foram ao todo 9 candidatos ao cargo de chefe do Executivo Municipal. Concorrem a prefeitura os candidatos Edivaldo Holanda(45,66%), Eduardo Braide(21,34%), Wellington do Curso(19,80%), Eliziane Gama(6,19%), Fábio Câmara(3,63%), Rose Sales(1,97%), Claudia Durans(0,82%), Valdeny Barro(0,49%) e Zeluiz Lago(0,09%).
CandidatosEdvaldo Holando Júnior é filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT), foi eleito duas vezes vereador de São Luís e foi o Deputado Federal mais votado na cidade nas eleições de 2010. Eduardo Braide é filiado ao Partido da Mobilização Social (PMN), deputado estadual reeleito, advogado e presidente estadual do Partido da Mobilização Nacional (PMN).

Emanuel Pinheiro e Wilson Santos vão ao segundo turno em Cuiabá

A eleição 2016 em Cuiabá seguirá para o segundo turno. Os candidatos Emanuel Pinheiro (PMDB) e Wilson Santos (PSDB) disputarão mais uma vez pelos votos dos eleitores cuiabanos. 

* Mais informações em instante