Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 13 Mai 2021

Fonte sustentável de riqueza, pirarucu desponta como base de novos negócios

Peixe soberano dos grandes lagos da região, o pirarucu pode ser fonte inestimável de negócios que podem ir muito além das delícia gastronômicas servidas à mesa. Do couro beneficiado que pode ser matéria-prima de bolsas, sapatos e vestuário à produção de biomoléculas, como colágeno, as oportunidades de aproveitamento de pele e resíduos do pirarucu são também perspectivas promissoras de mercado.
Foto:Guilherme K. Noronha/APIO
 
Na abertura dos debates, os secretários de Desenvolvimento, Jório Veiga, e de Produção, Petrucio Magalhães, reforçaram a ação integrada entre os diversos órgãos do Governo para tirar do papel os projetos que vão permitir agregação de valor aos produtos derivados do pirarucu.


Há 10 anos no mercado, o proprietário da Nova Caeru, Paulo Amaury Marques, reconheceu que o beneficiamento do couro do pirarucu ainda é incipiente mas será eficaz e perene por tudo o que simboliza. “É a defesa da floresta e de um modo de vida. Isso torna esse peixe tão especial”, destacou.


Antônio José Inhamuns, do laboratório de Tecnologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), chamou a atenção para os resíduos do pirarucu como fonte de biomoléculas, como o colágeno utilizado na regeneração de pele e ossos.


A secretária executiva da Sedecti, Tatiana Schor, lembrou que o pirarucu é muito valioso mas que é preciso clareza quanto à importância das unidades de conservação e os comunitários, que são os detentores do saber tradicional e que precisam fazer parte dos negócios. “É preciso haver distribuição igualitária dos ganhos”, acrescentou Schor.






Feiras no interior do Amazonas fortalecem manejo de pirarucu

A Feira de Pirarucu Manejado é um evento que virou tradição na vida dos pescadores da região do médio Solimões, no Amazonas. A programação acontece anualmente nos municípios do interior do estado, beneficiando manejadores que comercializam o maior peixe de escamas de água doce do mundo. Em 2019, foram comercializados 130 peixes nas feiras de Tefé e Alvarães, realizadas com apoio do Instituto Mamirauá.

Pirarucu, o bacalhau amazônida é o rei dos rios

Nos rios da Amazônia, entre sua abundante fauna ictiológica, reside um dos maiores peixes de águas doces do país. O pirarucu (Arapaima gigas) é um portento animal que pode chegar a 3 metros de comprimento e até 200kg. Ele possui uma característica física peculiar: sua cauda possui tons de cores avermelhados, o que lhe garante o nome que vem do tupi – pirá (peixe) e urucum (vermelho), um corante natural muito comum em nossa região.

Projeto de manejo de pirarucu na Amazônia ganha prêmio de Empreendedorismo, nos Estados Unidos

A implementação do manejo de pirarucu (Arapaima gigas) na Amazônia resultou em projeto premiado pelo Prêmio Rolex de Empreendedorismo de 2019, nos Estados Unidos. O Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), foi instituição pioneira ao implementar acordos de pesca que possibilitaram a recuperação populacional da espécie na região do Médio Solimões, na Amazônia Central.