Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 08 Mai 2021

Jornalista Phelippe Daou: um homem além de seu tempo

Phelippe Daou, por tantas vezes se reinventou na mutação de jornalista e empresário acreditando na possibilidade de alavancar a Amazônia.

Grupo Rede Amazônica faz tradicional doação dos recursos da Fonte dos Desejos

Toda moeda jogada na fonte se transforma em doação no Dia de Nossa Senhora da Conceição.

Grupo Rede Amazônica celebra 48 anos de fundação

Em um ano atípico, a frase que simboliza os 48 anos da empresa é "Servir a Amazônia nos une e nos fortalece"

Memórias da Rede Amazônica - #2: amadurecimento e filiação à Rede Globo

No segundo episódio do podcast Memórias da Rede Amazônica, Aluísio Daou relembra como foi o processo de amadurecimento do Grupo Rede Amazônica até sua filiação à Rede Globo. Escute:



Memórias da Rede Amazônica - #1: como o GRAM foi criado

Neste podcast, Aluísio Daou retorna aos tempos da chegada da televisão no Brasil para contar memórias do Grupo Rede Amazônica. Escute o primeiro episódio:

Rede Amazônica promove corridas tradicionais em comemoração aos 350 anos de Manaus

Como parte das comemorações dos 350 anos de Manaus, o Grupo Rede Amazônica realiza, neste sábado (30), a 64ª Corrida Pedestre Henrique Archer Pinto e a 60ª Corrida Ciclística Aguinaldo Archer Pinto, reunindo milhares de atletas que correm e pedalam para saudar a capital do Amazonas.

Cláudia Maria Daou Paixão e Silva: importante Responsabilidade Social na Amazônia

Toda sociedade sofre modificações, é necessário fixar-lhe a memória por meio de uma escrita que marca com nitidez os contornos de sonhos de uma época. O ano era 1968, ano que foi marcado pela efervescência do Regime Militar em que o Brasil vivia. Foi diante desse cenário de uma Manaus bucólica que nasceu Cláudia Maria Daou Paixão e Silva no dia 22 de abril do mesmo ano.
Foto:Acervo Pessoal/Cláudia Daou


Nasceu em um hospital, da qual, a memória se perdeu no tempo, a Santa Casa de Misericórdia, sua mãe que ali trabalhava, dava a luz e ajudava a minorar as dores de outros pacientes, pura coincidência. Cláudia Daou Paixão e Silva que herdou da enfermeira que lhe trouxe ao mundo personalidade forte. Toda nova geração forja novos padrões, valores e atitudes sobre a vida e a sociedade.

Foto:Acervo Pessoal/Cláudia Daou


Seu pai Phelippe Daou nessa época já despontava como promissor jornalista trabalhando no O Jornal e sua mãe Magdalena Arce Daou, era reconhecidamente na época como dedicada enfermeira que, com esforço próprio trabalhava duro para contribuir no sustento da família.


O tempo foi passando e a menina Cláudia Maria Daou, hoje Paixão e Silva teve o primeiro contato com as letras no Colégio Christus, já em tenra idade do maternal até a 5ª série do Ensino Fundamental. De família que professa a Religião Católica, logo transferiu-se para o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, tendo concluído o Ensino Médio.

Foto:Acervo Pessoal/Cláudia Daou


Na busca por mais conhecimento cursa Administração de Empresas, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que concluiu com pleno êxito, em 1990. Em seguida, faz uma especialização em Recursos Humanos, na Fucapi, à época uma instituição de muito prestígio.


Seguindo o exemplo de seus pais, logo começa a trabalhar no Grupo Rede Amazônica. Seu desejo de conhecer todos os meandros da Administração percorreu por vários setores da empresa, inclusive na Fundação Rede Amazônica, hoje como Diretora Presidente, participando  assim, efetivamente da condução do Grupo Rede Amazônica como Presidente do Conselho Consultivo, dividindo as responsabilidades com seu irmão Phelippe Daou Júnior, CEO do referido Grupo.

Foto:Acervo Pessoal/Cláudia Daou


Os anos foram permitindo o amadurecimento e conhece o jovem Ely Freitas Paixão e Silva, formado em Engenharia Elétrica, com quem casou-se em 1990, trazendo ao mundo três filhos: Lorena Daou Paixão e Silva, que nasceu em 05 de agosto de 1992, Phelippe Daou Neto, que nasceu no dia 03 de fevereiro de 1996 e Lara Daou Paixão e Silva, que nasceu no dia 10 de junho de 2002.


Foto:Acervo Pessoal/Cláudia Daou


Com o falecimento de seu pai assume junto a seu irmão o destino e condução do Grupo Rede Amazônica.


Rede Amazônica promove edição especial do 'Pipoca em Cena' para o Dia das Crianças

A Rede Amazônica em parceria com a Secretaria Social do Comércio (SESC), realiza nesta sábado (12), o Dia da Alegria junto com o Pipoca em Cena. O evento, que é em comemoração ao dia das crianças, acontecerá no Anfiteatro do Balneário do SESC, na zona Oeste de Manaus, a partir das 16h. A entrada é gratuita.
Foto:Katiúscia Monteiro/Rede Amazônica


O projeto Pipoca em Cena, que é realizado pela Rede Amazônica em parceria com a Globo Filmes, exibirá o sucesso de ''Os Detetives do Prédio Azul 2''.


O longa conta a história dos pequenos Bento, Pipo e Sol em mais uma aventura. Durante a Expo-Bruxas, a maior feira de bruxos do mundo, o trio viaja até a Itália para investigar o sumiço da feiticeira Berenice (Nicole Orsini), que foi sequestrada pelos bruxos Máximo e Mínima Buongusto. Com o trabalho em equipe e a ajuda da avó de Pipo, eles conseguirão desvendar esse mistério.

Foto:Katiúscia Monteiro/Rede Amazônica


O Balneário do SESC fica na Av. Constantinopla, 288 (em frente ao conjunto Campos Elíseos), no bairro Alvorada, zona Centro Oeste de Manaus.

‘Repensar’: Luana Borba fala sobre jornalismo imediato e comunitário

Rede Amazônica recebe homenagem na Câmara dos Deputados pelos 47 anos de fundação

A Rede Amazônica, maior grupo de comunicação da região Norte, recebeu na tarde desta quarta-feira (4) uma homenagem pelos 47 anos de fundação. A cerimônia foi realizada durante sessão solene no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília.


Emocionado, o presidente do Grupo Rede Amazônica, Phelippe Daou Junior, agradeceu ao deputado federal Capitão Alberto Neto, autor da homenagem, e também aos amazônidas que apoiam o canal. “Gostaria de agradecer ao Capitão Alberto Neto pela sessão solene a mais um ano de relevante serviço prestado pelo Grupo Rede Amazônica. São 47 anos de uma empresa de comunicação dedicada a Amazônia, preocupada com caboclo e a cidadania“, falou.
Foto: Rede Amazônica/Reprodução
 

Atualmente, a Rede Amazônica conta com afiliadas nos estados do Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia e Roraima, além de ter uma emissora de rádio no Pará. A empresa de comunicação cobre mais de 30% do território nacional. “Essa homenagem nos encoraja a continuar a jornada iniciada pelo meu pai, Phelippe Daou, e seus companheiros de toda vida, Milton Cordeiro e Joaquim Margarido, na década de 70. Nós temos como essência servir a Amazônia e integra-la ao restante do país, além de fomentar o seu desenvolvimento sustentável. É a nossa paixão, somos incansáveis em preencher os espaços mais distantes da região“, garantiu o empresário.

Em entrevista ao Portal Amazônia, o deputado federal Capitão Alberto Neto, contou que se sentiu honrado ao se tornar autor da solenidade em homenagem aos 47 anos da Rede Amazônica. “A Rede Amazônica faz parte da nossa história, leva a informação para os lugares de difícil acesso. Dessa forma, eles conseguiram tirar o povo amazônida do isolamento. O que o Phelippe Daou e seus amigos fizeram há 47 anos é algo patriótico, onde ninguém queria investir, eles foram lá e se transformaram em uma das maiores redes televisivas do nosso país“, disse.

Faz a diferença

Em nota, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, parabenizou as atividades do Grupo Rede Amazônia e destacou o pioneirismo da emissora. “A Rede Amazônia foi uma das primeiras a contar com a programação colorida, enquanto no restante do país ainda estavam com as televisões em preto e branco. Também contribui para adoção de melhorias na infraestrutura e economia regional. Ao longo dos seus 47 anos de funcionamento a Rede defendeu uma série de causas de grande importância para a população, entre essas, destacam-se a criação do Gasoduto Urucu-Coari-Manaus, a interligação do sistema elétrico nacional, e as melhorias nas BR-319 e BR-364“, declarou.Sobre a Rede AmazônicaAfiliada da Rede Globo, a Rede Amazônica está presente nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia e Roraima com conteúdo televisivo, rádio e online. A TV Amazonas foi a primeira emissora da rede, iniciando suas transmissões em 1º de setembro de 1972. Foi a primeira geradora em cores no Brasil, retransmitindo programas de forma não simultânea. Hoje a emissora tem 5 geradoras, 5 estações em UHD, 8 minigeradoras e 202 retransmissoras.

Grupo Rede Amazônica completa 47 anos com descerramento de placa comemorativa

“O Grupo Rede Amazônica é feito por pessoas, cujo foco e resiliência o leva à constante evolução”. Esses são dizeres da placa comemorativa que marca os 47 anos do Grupo Rede Amazônica (GRAM). O descerramento da placa aconteceu na sede do grupo, em Manaus, nesta segunda-feira (2), e foi conduzido pela jornalista Luana Borba, pelo CEO do grupo, Phelippe Daou Júnior, e pela presidente da Fundação Rede Amazônica, Cláudia Daou Paixão.

Phelippe Daou Júnior: A Trajetória de um Empresário das Comunicações na Amazônia

A trajetória do empresário das comunicações Phelippe Daou Júnior é reveladora de seus múltiplos compromissos com a vida e com a Amazônia, ancorado no trabalho por dias melhores trazendo consigo a experiência acumulada nos ensinamentos de seu pai.

Conta um Conto está de volta com o tema ‘Como seria o mundo sem internet’; veja como se inscrever

Com o objetivo de incentivar a leitura e a escrita, através de ações que possibilitem o acesso do público infanto-juvenil à literatura de forma lúdica e descontraída, a Fundação Rede Amazônica, em parceria com o Sesi e o Projeto Vaga Lume, realiza mais uma edição do concurso Conta um Conto.

Primeira transmissão de TV no Brasil é retratada pelo Museu em Movimento, na Rede Amazônica

O projeto Museu em Movimento, da Fundação Rede Amazônica, deu mais um passo importante, nesta quarta-feira (19), lançando a exposição "1ª Transmissão de TV no Brasil", em comemoração aos 68 anos de início das transmissões de televisão no país.

Foto: William Costa/Portal Amazônia

Grupo Rede Amazônica recebe exposição da primeira transmissão de TV no Brasil

Há 68 anos, o Brasil teve sua 1ª transmissão de TV. Desde então, é a mídia mais usada pela população brasileira, superando o rádio, jornais impressos e até mesmo o uso da internet. 

Em Manaus, criador da Chilli Beans anuncia a abertura de 400 óticas da marca

Caito Maia é o criador da marca Chilli Beans, maior loja de óculos e acessórios da América Latina, e em passagem por Manaus participou da 3ª edição do Projeto Plano B, da Fundação Rede Amazônica, transmitido ao vivo pela rádio CBN Amazônia Manaus, durante o programa Empreender na Amazônia, neste sábado (15). 
Foto:William Costa/Portal Amazônia

"Tudo começou quando eu estudava música nos Estados Unidos, e precisava de dinheiro. Juntei uma bolsa com 200 óculos e comecei a vendê-los. Rapidamente foram vendidos, e continuei vendendo. Até que recebi uma encomenda de 18 mil óculos, e não tinha como atender, mas o interessado me adiantou o dinheiro e de lá comecei a abrir os stands e não parei mais" conta Caito.


Segundo Caito, o objetivo da marca Chilli Beans é focar em moda, música e arte. E antes de qualquer efetivação de venda, nossos produtos possuem história. "Nossa abordagem ao cliente é feita por histórias, contamos ao cliente a história por trás de nossos produtos, e depois falamos o valor, que é sempre justo. Não cobramos caro", disse.
Foto:William Costa/Portal Amazônia

Sobre a marca Chilli Beans, Caito lembra que o envolvimento é tão forte que muitas pessoas tatuam não só a pimenta, que é a logo, mas também o nome da empresa. "Nossa marca é tão forte que as pessoas estão envolvidas em nossa história. No meu celular tenho mais de 300 fotos de pessoas que tatuaram a marca, e pra molecada fazer isso é um envolvimento muito grande. Os moleques gostam de nossos produtos, trazemos neles histórias", ressalta.


A Chille Beans tem mais de 800 lojas, e Caito garante que já visitou pelo menos 700, e o próximo passo é abrir Óticas. "Nossos relógios são montados aqui em Manaus, e o varejo se faz no chão de loja, nas andanças, nos mercados, eu faço isso. Há uma semana lançamos a primeira ótica para óculos de grau. Nossa ideia é avançarmos para 400 lojas nos próximos 4 anos. Não são lojas que nem as de shopping, mas são formatadas para o modelo de rua, e queremos atender cidades de até 50 mil habitantes", contou.

Foto:William Costa/Portal Amazônia

O Projeto Plano B tem o selo Acelera Amazônia, do Grupo Rede Amazônica, e tem objetivo de unir forças em busca de soluções e possibilidades de ações dos problemas que envolvem a região e discutir o futuro dos negócios. Em parceria com a Rede CBN Amazônia realiza edições especiais do programa Empreender na Amazônia, com empreendedores que relatam suas expertises, além de apresentar caminhos e alternativas econômicas para o desenvolvimento de negócios na região.


Caito Maia


Caito Maia começou a se envolver com óculos no final dos anos 90, quando foi aos Estados Unidos para estudar música – queria fazer sucesso com sua banda “Las Ticas Tienen Fuego”. Para completar o orçamento vendia óculos que comprava na Califórnia para os amigos. Ao voltar para o Brasil, passou a comercializar óculos no atacado para serem distribuídos em multimarcas.

Em 1998, decidido a investir em sua própria marca, lançou a primeira loja Chilli Beans, na Galeria Ouro Fino. Um sucesso contabilizado hoje em mais de 700 pontos de venda no Brasil e no exterior, em lugares como Estados Unidos, Colômbia, Peru, Kuwait, Israel e Portugal. Apesar do crescimento dos negócios, faz questão de participar de tudo o que acontece na rede Chilli Beans.


Espaço Ler + 1 recebe atividades sobre ensino mais criativo e dinâmico, em shopping de Manaus

Durante os dias 11 e 13 de junho, a Fundação Rede Amazônica realizará a primeira edição do "Encontro de Educadores Ler+1”, no Espaço Ler + 1, localizado no Shopping Manaus Via Norte, zona norte da capital.

Projeto voluntário realiza 1ª Corrida Socioambiental do bairro Puraquequara, em Manaus

O grupo de amigos voluntários Sementes da Natureza, do bairro Puraquequara, zona leste de Manaus, realizará, no dia 1º de junho, a 1ª Corrida Ambiental do Bairro-Puraquequara. A ação acontecerá das 7h às 11h e a inscrição é efetuada com 1kg de alimento.

RePensar chega a sua 10ª edição com o tema Negócios de Impacto Social

O projeto RePensar, desenvolvido pela Fundação Rede Amazônica, chega a sua 10ª edição no dia 23 de maio. Nesta edição, será discutido um novo modelo de economia e mercado: os Negócios de Impacto Social. 

Encontro EdulnovAm debate o tema "Mães Educadoras Inovadoras", em Manaus

Em alusão ao Dia das Mães (12), a Comunidade EdulnovAm, com o apoio do Acelera Amazônia, realizará, no próximo sábado (11), o 13º Encontro EduInovAM com o tema "Mães Educadoras Inovadoras". O evento será realizado no auditório da Rede Amazônica.


Da casa para o trabalho. Como realizar dupla jornada, ser mãe e ainda fazer a diferença com práticas inovadoras? O EdulnoavAm fará reflexões e abordagens sobre o dia a dia dessas mulheres, mostrando como são os desafios diários de suas rotinas.

Faça sua inscrição

O evento tem a proposta de serdinâmico e interativo. E para falar sobre o assunto, as convidadas Liliane Lira, Amanda Araújo e Deyse Maia estarão por aqui, contanto um pouco sobre sua realidade e mostrando formas de melhorar a rotinas das mães.


"Além da responsabilidade de ser mulher, tem a responsabilidade de ser mãe. E ser mãe significa que a sociedade ainda cobra delas o acompanhamento e sucesso dos filhos. Falar um pouco sobre os desafios diários e mostrar como lidar com eles é gratificante.’’ Diz Rafaelle Nascimento, da Fundação Rede Amazônica.
Foto: Divulgação

O EduInovAm é uma comunidade sem fins lucrativos com proposta de diálogo de idéias e práticas sobre assuntos que inspiram a pensar de forma inovadora na melhoria na educação na Amazônia.


O Acelera Amazônia é um selo de apoio da Fundação Rede Amazônica que tem como objetivo inspirar e fortalecer o empreendedorismo inovador através de ações que conectem empreendedores, instituições e comunidade levando em consideração o desenvolvimento sustentável da Amazônia.