Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 08 Mai 2021

Festival Floresta Dança é adiado para junho; confira novo cronograma

A primeira edição do evento será realizada integralmente em formato virtual e suas ações serão transmitidas pelo Youtube e redes sociais

Tradicional Festival de Música de Barra do Bugres será digital

As eliminatórias serão nos dias 16 e 17 de abril, e a final no domingo (18). O evento será transmitido via Youtube, no Canal do FEMUBB, das 16h às 20h

Festival de Cinema de Rondônia começa exibição de 130 filmes na terça-feira

Cine RO tem exibições de filmes ao vivo, além de programação no "estilo de streaming"

Após seis anos, Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá volta a ser realizado; inscrições abertas

Realizadores de todo o país podem inscrever seus filmes até dia 28 de fevereiro

Até o Tucupi de Negritude acontece no Teatro Amazonas nesta sexta

O evento é uma ação do já consagrado do Festival Até o Tucupi. Há 14 anos o Festival marca o levante da arte em prol da juventude no AM.

Produções amazonenses se destacam no Festival de Gramado 2020

O curta-metragem "O Barco e o Rio" ganhou em cinco categorias. Já a animação "Lupita no Planeta de Gente Grande" conquistou o prêmio no Conexões Gramado Film Market

'Festival Internacional de Cinema Fantástico' começa na próxima quarta em Manaus

Manaus será a única cidade do país a receber a décima edição do "Cinefantasy" de forma presencial.

Sesc Amazonas abre inscrições para 40º Festival de Calouros

Os 24 escolhidos passarão, obrigatoriamente, por oficinas de expressão corporal e técnica vocal, sendo divididos em dois grupos de 12 cada

Primeira Festa Literária de Bragança abre oficialmente com arte e música

A Festa Literária de Bragança iniciou nesta quarta-feira (04), com o peso do novo conceito da 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes que, além de abrir espaço para a literatura, fomenta a oralidade como um importante instrumento de luta e resistência.


“Seguimos a orientação do Governador que diz ‘não é só Belém que tem cultura, tem cultura em todo o Estado’, e levamos ações do livro e leitura para Altamira, Parauapebas, Marabá, Santarém e agora chegamos à Bragança, já planejando espraiar para o Marajó e Sul do Pará, pois entendemos que as pessoas de todo o Estado não precisam se deslocar para Belém para ter acesso”. Foi assim que Júnior Soares, diretor de Cultura da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), justificou o evento que ocorrerá até o dia 08 de dezembro, no Liceu da Música de Bragança.


Foto: Divulgação


De acordo com a secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, além de Belém, Marabá e Santarém, a Festa Literária em 2019 também chegou aos municípios de Parauapebas (no sudeste do Estado) e agora em Bragança (no nordeste paraense). “Queremos fazer um evento à altura da expectativa dos paraenses e, ao mesmo tempo, chegar ao máximo de municípios que pudermos, levando arte e cultura para todo o Pará”, declarou.




Programação



Baseada em recortes curatoriais, a agenda traz, em quatro dias, temáticas abalizadas em questões sobre mulheres, negros, indígenas, entre outros. Na quinta-feira (05), por exemplo, programação estará voltada para o universo LGBTQIA+ e para as vozes urbanas, enquanto que na sexta-feira (06) serão as vozes do imaginário. Cada dia terá um foco diferente.


De acordo com Denis Giroto Brito, professor e escritor, a Festa Literária representa uma conquista. “O sonho do povo bragantino finalmente está sendo realizado. A gente só deseja que todos abracem essa iniciativa e lutem para que ela ganhe a cada vez mais força. Venham e tragam sua família para participar da festa”, afirmou.


A programação acontece em espaços como a “Arena Multivozes” - onde ocorrerão palestras, debates e rodas de conversas com autores locais e nacionais. No prédio do Liceu, estão ocorrendo as oficinas oferecidas pela Fundação Cultural do Pará, além da feira de economia criativa, shows musicais, apresentações culturais, entre outros.


Mudanças


A 23ª edição da Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes passou por diversas reformulações para torná-la mais inclusiva e uma das principais foi o recorte curatorial específico na programação - proposta que foi replicada para as Festas Literárias - já que o evento se configura como um espaço de luta e construção de identidades para um lugar de fala.


Para garantir que essas vozes sejam compreendidas por todos, haverá intérprete de libras em todas as palestras e rodas de conversas. Técnicos da Universidade Federal do Pará auxiliarão as pessoas com deficiência auditiva durante a programação, para que a inclusão ocorra de fato.


A Festa Literária de Bragança é uma realização do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Associação Sociocultural e Recreativa de Bragança (Ascubra) e apoio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Fundação Cultural do Pará, UFPA - Campus Bragança e Universidade do Estado do Pará (Uepa), por meio do Liceu de Música de Bragança, integrando as políticas públicas de fomento ao livro, à leitura e à difusão das linguagens e expressões culturais e artísticas.

Mostra de música em Macapá reúne 10 obras inéditas compostas por artistas locais

Para enaltecer e homenagear a música produzida no Amapá, o 16º Sescanta terá a apresentação das 10 canções que compõem esta edição na sexta-feira (6). Serão apresentadas as músicas inéditas escritas e interpretadas por artistas locais, que foram selecionados nas etapas do projeto.




Também fazem parte do setlist obras que marcaram a história do estado. A mostra acontece no Sesc Araxá, na Zona Sul de Macapá.


Foto: Divulgação


A noite de festa reúne nomes já conhecidos do público, como Osmar Júnior, assim como novos talentos. Paulo Bastos, cantor e compositor, será homenageado pela contribuição artística e dedicação pela cultura do estado.




Para participar do evento, o interessado deverá levar um quilo de alimento não perecível. As doações serão entregues a entidades sociais do estado.



Confira as músicas inéditas que serão apresentadas:



Ancorada - intérprete: Brenda Melo
Areia do Mar - intérprete: Tamar Hadassa Oliveira
Carpideira - intérpretes: Osmar Júnior e Bruno Muniz
Corpo Capim - intérprete: Fábio Pontes
Depressão - intérprete: Carla Adriana
Umbigo da Terra - intérprete: Ademir Pedrosa
Menestrel do Laguinho - intérprete: Chermont Júnior
Não sou obrigado - intérprete: Dimisson Monper
Prisma da Paixão - intérprete: Nice Sales
Zeca - intérprete: Aroldo Pedrosa

Rondônia promove Festival de Tambaqui da Amazônia, em Brasília

A Esplanada dos Ministérios, no Eixo Monumental em Brasília, será cenário para o maior churrasco de tambaqui assado na brasa do Brasil. O primeiro Festival de Tambaqui da Amazônia ocorrerá nesta quarta-feira (7), a partir das 10h, no bloco D.


A mobilização é do governo do Estado de Rondônia juntamente com o governo do Distrito Federal, governo federal, Associação dos Criadores de Peixes de Ariquemes e Região (Acripar), Sebrae e parceiros.


O Festival tem como objetivo mostrar a beleza, a grandeza e o sabor do tambaqui de Rondônia. Durante o festival, serão assadas e distribuídas 4 mil bandas de tambaquis para os participantes e interessados em conhecer o sabor do peixe rondoniense.

Foto:Daiane Mendonça/Governo de Rondônia


O secretário de Estado da Agricultura de Rondônia (Seagri), Evandro Padovani, destacou que esse será o maior churrasco de bandas de tambaqui do País e ajudará a divulgar a iguaria para  o Brasil e o mundo. “O evento tem a finalidade de promover uma ação positiva para fortalecer o consumo do pescado no Brasil e também abrir novos mercado para a cadeia do pescado de Rondônia,”  destaca Padovani.


Jorge Seif Junior, secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAP/MAPA) destacou no dia 4 de julho, em live via rede social juntamente com o presidente Jair Bolsonaro, da parceria dos governos do Estado de Rondônia, do Distrito Federal, MAPA e parceiros sobre a finalidade de divulgar o tambaqui. “O peixe amazônico tem suas propriedades, é um peixe 100% brasileiro, e muito brasileiros não o conhecem,” disse o secretário.


O  tambaqui é uma espécie nativa da Amazônia, e tem sido uma questão de interesse de pesquisadores e aquicultores devido à sua adaptação à produção intensiva, crescimento rápido, aceitação ao alimento industrial e o alto valor gastronômico de sua carne. É consumido na região Amazônica desde do século 19.


O governador do Estado de Rondônia, Marcos Rocha, destacou que serão 6 toneladas de peixe, que estão sendo levadas pelos nossos produtores, com o objetivo de apresentar à população de Brasília o nosso produto. “ Eles Estão acostumados sempre com outros pescados, e nós queremos levar lá o nosso tambaqui para que eles apreciem e aprovem,” destaca o governador.


Produção em Rondônia


Rondônia é o maior produtor de peixes nativos em cativeiro e o terceiro maior produtor do Brasil. A criação do tambaqui (Colossoma macropomum) se destaca como a principal espécie criada em cativeiro no estado. O sistema de produção de peixes na piscicultura rondoniense é constituído principalmente  por viveiros semi-intensivo, que consorcia alimento natural para os peixes, garantindo maior qualidade e reduzindo custos de produção.


“Além de não pressionar o meio ambiente na mesma intensidade que a exploração extrativista com fins comerciais e outros sistemas de produção, com densidade de estocagem maior que comprometem a qualidade dos efluentes gerados.  Pois possui mecanismos de controle da qualidade da água para proteger os efluentes no retorno da água ao curso natural do Rio,” esclarece Maria Mirtes Pinheiro, gerente de aquicultura e pesca da Seagri.

Foto:Daiane Mendonça/Governo de Rondônia
Historicamente a piscicultura teve seu desenvolvimento na agricultura familiar, por meio dos incentivos de hora máquinas do governo do Estado para a construção de tanques escavados. Na atualidade o Estado possui 4.308 empreendimentos cadastrados e licenciados exclusivamente para comercialização e produção, ocupando uma área de 15.810,26 hectares de espelho d’água, com uma projeção de produção de 95.534,37 toneladas ao ano, segundo dados de 2018 da Sedam. Conta com cerca de seis frigoríficos de peixes que garante qualidade dos produtos processados e exportados. Os estabelecimentos se dividem entre indústrias e agroindústrias familiares que atuam no ramo. Destes, dois estabelecimentos já possuem o Selo de Inspeção Estadual (SIE) e os demais o Selo de Inspeção Federal (SIF).


Nas exportações o peixe do estado de Rondônia segundo os dados do Comex Stat, sistema para consultas e extração de dados do comércio exterior brasileiro, do Ministério da Economia (ME), teve  início em 2017 com destino ao Vietnã. Em 2019, de janeiro a junho, já foram exportados mais 259 toneladas de peixe para o Peru, Bolívia e Estados.
“Estamos trabalhando para que a nossa cadeia produtiva, cadeia do Peixe, se expanda. Pois se a gente produzir mais conseguindo novos mercados a gente leva também o aumento dos empregos e renda aqui no estado. Esse é o grande objetivo. O objetivo é não mais ficar entregando peixe, mas ensinar a nossa população, a pescar, a crescer a se desenvolver,” explica Marcos Rocha governador do Estado de Rondônia.


Prefeitura lança edital para feira gastronômica do Passo a Paço


A Prefeitura de Manaus publicou, na edição 4.641 do Diário Oficial do Município (DOM) nesta semana, o edital de chamamento público para os interessados em participar da feira gastronômica do Festival Passo a Paço 2019, que este ano acontece de 5 a 8 de setembro, no Centro Histórico de Manaus.


Para esta edição, o Edital N° 06/2019 prevê 40 espaços para a venda de alimentos durante o festival, divididos em quatro categorias: Barraca do Chef (até 20 vagas); Novos Chefs (até duas vagas); Food Truck (até 15 vagas) e Futuros Talentos (até três vagas). Os espaços integram a feira gastronômica, que é um dos principais atrativos do festival.
Foto: Divulgação

As categorias Barraca do Chef, Novos Chefs e Futuros Talentos são caracterizadas como um espaço temporário montado com estrutura e equipamentos culinários que auxiliarão no preparo e na comercialização das comidas. Já os Food Trucks são espaços móveis que transportam e vendem comida, podendo ser furgões ou caminhões de pequeno porte.Para concorrer ao edital, os interessados deverão protocolizar a proposta, no prazo de sete dias úteis a contar da publicação do edital, isto é, até o dia 29/7, no setor de Protocolo da sede da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), localizada na avenida André Araújo, n° 2767, bairro Aleixo, zona Centro-Sul, no horário comercial das 8h às 17h.

A proposta deverá conter portfólio, que demonstre a experiência ou a quantidade de serviços ofertados pelo estabelecimento ou chef, tais como certificados, diploma de graduação em gastronomia, premiações, críticas e outros, comprovando as atividades realizadas na área gastronômica, além de documentos solicitados no edital e de ficha de inscrição . O edital na íntegra e todos os requisitos necessários também estão disponíveis aqui no site.


Futuros Talentos


Destinada às universidades com curso de graduação em andamento de Gastronomia, essa categoria visa estimular a formação acadêmica e o incentivo à pesquisa e a profissionalização no mercado de trabalho. Cada instituição convidada pela Manauscult poderá operar uma barraca e comercializar a venda de alimentos que serão elaborados por seus alunos durante o festival.


Valores


Os pratos de comidas comercializados pelos proponentes na feira gastronômica, tanto salgados quanto doces, deverão respeitar o valor mínimo de R$ 5 e o valor máximo de R$ 20. Os proponentes poderão comercializar, ainda, venda de bebidas, desde que sejam artesanais e originais, como sucos naturais, smoothies, drinks e outros.


Variedade do cacau e do chocolate paraense desponta em festival na Bahia

Das barras rústicas às refinadas, produtos orgânicos e diferenciados como o nibs de cacau embrulhado na própria folha da árvore do fruto nativo da Amazônia, o cacau e o chocolate genuinamente paraenses chamam a atenção do grande público da 11ª edição do Festival Internacional do Chocolate e Cacau de Ilhéus, no sul da Bahia, evento aberto na quinta-feira (18) e que segue até o próximo domingo (21), no Centro de Convenções do município.


Produtores de cooperativas do chamado polo cacaueiro da Transamazônica, região que concentra 75% da produção estadual, integram a caravana do Pará, com empreendimentos solidários das cidades de Anapu, Brasil Novo, Vitória do Xingu, Uruará e Altamira, onde fica a central que recebe toda a produção dos cooperados. Além disso, os lançamentos de empresas como a Chocolates Cacauway, Filha do Combu e Nayah - Sabores da Amazônia integram a comitiva, empreendimentos que apresentam tecnologia agregada.
Foto: Divulgação

"A Filha do Combu e a Cacau Way partem da árvore até o chocolate fino, e a Nayah parte da amêndoa e tem inovações com matérias-primas como o açaí e o cupuaçu que além de agregar valor a seus produtos, difundem os nomes Pará e Amazônia com diferencial, é isso que a gente precisa para ter um chocolate competitivo com a marca do Pará'', observou o engenheiro de Alimentos, professor doutor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Jesus Souza, que acompanha a comitiva paraense.Morador de Pacajá, no sudoeste paraense e cerca de 600 Km de Belém, o agricultor familiar Jader Adriano da Silva Santos, integra o grupo de cinco cooperativas da Transamazônica representado no Festival de Ilhéus."Toda nossa produção é orgânica, a gente trabalha com mandioca, banana, também com piscicultura mas o carro-chefe é o cacau. Só que a gente quer dar um passo adiante, avançar, não quer apenas a amêndoa, a gente quer mesmo é o chocolate fino'', afirmou Jader Santos.




Ele contou que a ideia das cooperativas é ganhar força e dispensar, por exemplo, a figura dos atravessadores que acabam ficando com a maior remuneração da produção. "Vou dar só um exemplo, o quilo da amêndoa do cacau sai a R$ 9,50, se a gente negociar com o atravessador, pela nossa cooperativa, o produtor consegue R$ 16'', disse.


"Temos três caminhões. Estou feliz de estar aqui aprendendo, ainda bem que esse novo governo do Pará está junto com a gente'', frisou Jader Santos, que desde a última terça-feira (16), participa em Ilhéus da missão oficial do Pará, em visitas às fazendas e empresas baianas, conhecendo as tendências atuais, processos produtivos e novos modelos de negócios.


O experiente produtor de cacau, em Camacan, município vizinho a Ilhéus, Guilherme Mouro, se impressionou com a produção paraense. "Acabei de provar aqui um produto interessantíssimo, o cacau forasteiro que geralmente é um cacau um pouco mais forte, e para a proposta de um chocolate intenso, ele é um produto suave, equilibrado, já provei o cacau forasteiro muito árido, mas esse me surpreendeu'', assegurou Guilherme, referindo-se às barras artesanais da Filha de Combu, de Izete Costa, mais conhecida em Belém como a dona Nena, do Combu.

Povos indígenas do interior do Acre realizam 3ª edição do Festival Atsa

Ontem (18) começou a 3ª edição do Festival Atsa, que em português significa Festival da Macaxeira, e acontece em Mâncio Lima, interior do Acre. São cinco noites de imersão na cultura indígena. O evento atrai várias pessoas do Brasil, alguns países da América Latina e Europa.



“Foi o nome que encontramos para relembrar de nossos antepassados, dos seres aqui catequizados e o primeiro trabalho que fizeram foi plantar macaxeira. Então, colocamos esse nome para seguir na nossa memória a lembrança deles e nossa cultura”, explicou o cacique Joel Puyanawa.

Fim de semana terá 17 festivais folclóricos em todas as zonas da cidade de Manaus

O total de 17 festivais folclóricos acontece em todas as zonas de Manaus, no período de sexta-feira, 19, a domingo, 21/7. Os eventos são gratuitos e integram a programação de Festivais Folclóricos nos Bairros, promovido pela  Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Festival destaca mulheres no cenário musical em Manaus; confira programação de oficinas

No dia 27 de julho (sábado) de 14h às 19h, acontecem as atividades de formação do Festival Somas 2019, no Centro Cultural Palácio Rio Negro (Av. Sete de Setembro, 1546, Centro). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas online: bit.ly/FormaFestivalSomas2019



Música é o destaque da programação mensal do Cine Teatro Cuiabá

A cantora mineira Roberta Campos, conhecida por canções românticas emplacadas em trilhas de novelas, é uma das atrações de julho do Cine Teatro Cuiabá. Comemorando 21 anos de existência, o Instituto Flauta Mágica, reconhecido internacionalmente pela qualidade artística e pelo trabalho social com crianças e jovens de Cuiabá, também marca presença como um dos destaques do mês. O espaço também oferece cultural opções de espetáculos de dança, teatro, humor e sessões de cinema.


No Pará: Festival de Chocolates, Flores e Joias será em clima de Arraial dos Namorados

Reunir música, romance e a alegria das festas juninas é a proposta da 2ª edição do Mini Festival de Chocolates, Flores e Joias da Amazônia, no Espaço São José Liberto, que abriga o Polo Joalheiro do Pará e a Casa do Artesão, no bairro do Jurunas, nos próximos dias 7 e 8 de junho (sexta-feira e sábado), das 09 às 18 h. A entrada é franca. Dez empresas que produzem chocolate genuinamente paraense, da amêndoa à barra, 20 produtoras de bombons regionais (bombonzeiras) e 12 produtores de flores e produtores de joias comercializarão seus produtos no evento.

Show marca abertura oficial da 34ª edição do Festival da Canção de Itacoatiara

A musicalidade amazônica vai ganhar mais uma vez os holofotes com a 34ª edição do Festival da Canção de Itacoatiara. Nesta quarta-feira (15), a direção do evento realizou o lançamento do evento que acontecerá entre os dias 4, 5, 6 e 7 de setembro no município de Itacoatiara (distante a 165 quilômetros de Manaus). A festa de abertura foi organizada pela Associação dos Itacoatiarenses Residentes em Manaus (AIRMA).

Curta-metragem produzido em Roraima é selecionado para festival de cinema nacional

O curta-metragem "Cavalgada dos Justos", produzido em Roraima, foi selecionado, entre mais de 500 filmes de todo Brasil, para ser exibido na 2º edição do Festival Jaraguá do Sul 2019. O evento ocorrerá nos dias 16, 17 e 18 de maio em Santa Catarina.