Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Terça, 11 Mai 2021

Artur Neto é empossado prefeito de Manaus

Arthur Virgílio Neto e Marcos Rotta segurando a chave da cidade. Foto: Isaac Guerreiro/Portal Amazônia
Neste domingo (1), o prefeito reeleito Artur Virgílio Neto (PSDB), o vice-prefeito Marcos Rotta (PMDB), e os 41 vereadores eleitos foram empossados em sessão solene no Teatro Amazonas, em Manaus. O evento contou com presença de representantes de instituições religiosas, Forças Armadas e órgãos estaduais.

Segundo Artur, o orçamento só melhorará no segundo semestre de 2017 e que deve ser suficiente para manter as contas em dia e os principais serviços do município. “Nós vamos buscar parcerias com bancos internacionais, fundos nacionais e com o setor privado para manter de maneira independente recursos para os serviços essenciais”.

Questionado sobre as mudanças no secretariado, o prefeito reeleito disse que somente nas próximas semanas revelará os novos nomes. “Nas eleições, ficou clara a necessidade de mudança. Algumas pessoas estão saindo das secretárias e outros novos sendo escolhidos. Nós vamos divulgar isso nas próximas semanas”, afirmou.

Ano frutífero

Em entrevista, antes do evento de posse, o atual presidente da Câmara Municipal de Manaus, Wilker Barreto, disse que a relação no ano de 2016 foi muito frutífera. "Esse ano os projetos que foram levados à Câmara foram incrementados. Às vezes o Executivo não vê algo que o Legislativo enxerga na lei. A prefeitura entendeu bem o papel da Câmara e esse ano foi de parceria", finalizou.

Balanço das Eleições 2016 na Amazônia

Prefeitos e a vereadores de todo o Brasil foram escolhidos para os cargos do Executivo e Legislativo municipais nas Eleições em 2016. Na Amazônia Legal foram eleitos ao todo mais de 9.300 candidatos para os cargos.

O Portal Amazônia fez um infográfico com nomes e números de cada uma das capitais da região, confira:
Arte: Luiz Eduardo Miranda/Portal Amazônia

Artur diz que mobilidade e servidor público estão entre prioridades da nova gestão

Prefeito reeleito de Manaus, Artur Virgílio Neto recebe diplomação. Foto: Clarissa Bacellar/Portal Amazônia
O prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto (PSDB), o seu vice, Marcos Rotta (PMDB) e mais os 41 vereadores eleitos este ano foram diplomados na tarde desta segunda-feira (19). Este será o segundo mandato consecutivo do tucano e o terceiro como prefeito de Manaus. Ele disse que entre as prioridade do novo mandato estão a mobilidade urbana e servidor público municipal.

Artur Neto voltou a defender as parcerias público-privadas através de "de concessões honerosas" para acelerar a implementação de melhorias na cidade, como o Bus Rapid Transit (BRT). "Outra prioridade nossa é manter, de maneira digna, o nosso servidor público. Nós conseguimos até agora, durante toda essa crise, respeitar o servidor, e com isso fazer Manaus ganhar em serviços e boa vontade", declarou. Sobre o secretariado, Artur Neto informou que "com certeza haverão modificações", mas que divulgará em outro momento.
Em discurso, o prefeito afirmou que Foto: Clarissa Bacellar/Portal Amazônia
Até o momento, tudo indica que o prefeito governará com ampla maioria na Câmara Municipal. Mesmo assim, não deixou de mostrar o tom que deve impor na nova gestão. "A responsabilidade é ainda maior no momento de crise econômica pelo qual o Brasil passa. Isso exige responsabilidade, atenção com a governabilidade, respeito ao público e muita seriedade por parte de todos, principalmente de minha parte e do vice-prefeito, Marcos Rotta", disse em seu discurso. "Estou muito tranquilo e muito confiante. Manaus há de atravessar essa fase, esse momento, com realizações, sem paralisias.  E com o sentimento de futuro sem esquecermos o sentimento fundamental de presente", completou.

Artur declarou que está preparado para dar continuidade ao trabalho que tem feito. "O primeiro mandato é muito diferente do segundo. Nós temos que rever, observar erros cometidos, buscar novos acertos. Ao mesmo tempo, procurar saber qual é a melhor solução em uma nova conjuntura. Eu acredito que o ser humano é um ser em constante evolução", afirmou.

Diplomação

A diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e que, neste caso, tomará posse do mandato 2017-2020. A cerimônia aconteceu no Centro Educacional Século, localizado no bairro Ponta Negra, zona Oeste da cidade.

A entrega dos diplomas é a última etapa antes dos eleitos tomarem posse e acontece somente após a finalização de todos os procedimentos das eleições. 
Marcos Rotta é o vice-prefeito da cidade. Foto: Clarissa Bacellar/Portal Amazônia
Um dos vereadores eleito, Chico Preto (PMN), assegurou que seu mandato será firme e propositivo. "Firme porquanto eu levo o compromisso com as pessoas. E propositivo porque eu não posso me furtar a apontar caminhos, projetos, soluções para os desafios que a gente está vivendo na cidade de Manaus. Eu estou muito disposto para discutir isso, com entusiamo, com responsabilidade apontar caminhos para resolver os problemas que a gente está vivendo hoje", disse.
Chico Preto recebe diplomação. Foto: Alcides Netto
A diplomação foi definida pelo Juiz Eleitoral Marcelo Vieira, da 37ª zona. Os suplentes de vereador receberão os diplomas diretamente no TRE-AM, após o recesso de fim de ano. A data será divulgada posteriormente. Foram entregues os diplomas assinados pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargador Yedo Simões de Oliveira.

Saiba quem são os vereadores:João Luiz (PRB) - 13.978 votos 
Hiram Nicolau (PSD) - 12.874 votos
Reizo Castelo Branco (PTB) - 10.402 votos
Wilker Barreto (PHS) - 10.206 votos
Álvaro Campelo (PP) - 9.573 votos
Marcel Alexandre (PMDB) - 9.566 votos
Felipe Souza (PTN) - 9.263 votos 
Gilmar Nascimento (PSD) - 8.734 votos 
Roberto Sabino (PROS) - 8.728 votos
Plínio Valério (PSDB) - 8.348 votos
Prof. Jaqueline (PHS) - 8.222 votos
Jaildo dos Rodoviários (PCdoB) - 8.011 votos
Joelson Silva (PSC) - 7.959 votos
Profª Therezinha Ruiz (DEM) - 7.571 votos 
Mauro Teixeira (PTN) - 7.432 votos 
Wallace Oliveira (PTN) - 6.819 votos
Carlos Portta (PSB) - 6.610 votos 
Elias Emanuel (PSDB) - 6.397 votos 
Rosivaldo Cordovil (PTN) - 6.392 votos 
Diego Afonso (PDT) - 6.275 votos 
Professor Samuel (PHS) - 5.801 votos 
Everton Assis (DEM) - 5.353 votos 
Raulzinho (Robson Teixeira) (DEM) - 5.212 votos
Bessa (PHS) - 5.167 votos
Marcelo Serafim (PSB) - 5.108 votos 
Chico Preto (PMN) - 5.079 votos 
Glória Carratte (PRP) - 5.059 votos
Fred Mota (PR) - 4.881 votos 
Dr. Ewerton Wanderley (PPL) - 4.719 votos
Prof. Gedeão Amorim (PMDB) - 4.712 votos
Coronel Gilvandro Mota (PTC) - 4.014 votos
Dr. Isaac Tayah (PSDC) - 3.917 votos
Rosinaldo Bual (PSB) - 3.822 votos
William Abreu (PMN) - 3.820 votos
Sargento Bentes Papinha (PR) - 3.618 votos
Sassá da Construção Civil (Cícero Custódio) (PT) - 3.518 votos
Cláudio Proença (PR) - 3.488 votos
David Reis (PV) - 3.479 votos
Prof. François (Fransua) (PV) - 3.363 votos
Missionário André (PTC) - 3.277 votos
Joana D'Arc Protetora (PR) - 3.261 votos

Justiça Eleitoral cassa candidatura do prefeito de Belém

A Justiça Eleitoral do Pará cassou a candidatura do prefeito reeleito, Zenaldo Coutinho (PSDB), e o vice, Orlando Reis Pantoja (PSD), por propaganda eleitoral irregular e abuso de poder nas Eleições 2016. A decisão do juiz da 97ª Zona Eleitoral de Belém, Antônio Cláudio Von Lhormann Cruz, não é definitiva e, enquanto o processo tramita em instâncias superiores, os dois continuam nos cargos.

Zenaldo Coutinho e Orlando Reis são acusados de prática de conduta vedada, abuso de poder político e econômico e propaganda eleitoral irregular através em redes sociais e através do departamento de comunicação da prefeitura, a Agência Belém. Se cassados, prefeito e vice se tornam inelegíveis pelos próximos oito anos.

Esta é a segunda cassação do prefeito no pleito 2016. No dia 19 de outubro o mesmo magistrado concluiu que o prefeito e o seu vice usaram o site oficial da prefeitura e os perfis em redes sociais para fazer propaganda eleitoral durante período proibitivo. Entretanto no dia 21 de outubro o magistrado voltou atrás e suspendeu a decisão, após advogados impetrarem recurso por considerarem a pena desproporcional.

A decisão é cabível de recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Enquanto isso, ambos permanecem no cargo.

(em produção) Raio X das Eleições na Amazônia

Números expressivos e diversas mudanças marcaram as Eleições 2016 na Amazônia. O Portal Amazônia preparou um Raio X com um resumo do quadro eleitoral este ano, com informações como o número de indígenas envolvidos na empreitada pelo poder municipal das capitais da Amazônia Legal.

Artur não descarta mudanças em secretariado no segundo mandato

Reeleito prefeito de Manaus, no Amazonas, neste domingo (30), Artur Neto (PSDB) afirma que a busca por recursos federais para realização de projetos na cidade é sua prioridade. Segundo o prefeito, a crise econômica brasileira deve perdurar pelos próximos dois anos e para contorná-la buscará apoio em parcerias público-privadas. Artur foi reconduzido ao comando da cidade com 55,96% dos votos válidos. Confira a entrevista concedida do Portal Amazônia nesta segunda-feira (31), em que ele explica seus planos para a nova gestão:Portal Amazônia: Este é o seu terceiro mandato como prefeito de Manaus. O primeiro, o senhor conquistou em 1989, o segundo veio em 2012 e agora o senhor foi reconduzido ao comando da cidade. Como o senhor se sente?

Artur Neto:
 Sinto a necessidade de corresponder a essa expectativa tão alta que vem de uma votação expressiva. Como eu dizia na campanha, somos uma só Manaus. Vou baixar qualquer arma, virar o jogo, virar a página e dizer: acabou a eleição e é hora de congraçamento, é hora de buscar apoio de todos os parlamentares, dos que estavam contra mim, dos que eram a favor. É um dever meu pedir, e um dever deles buscarem atender. Afinal, não estão onde estão para outra coisa a não ser servir Manaus, servir o Amazonas. Também é hora de dizer que não tenho mais adversários, não tenho inimigos, tenho pessoas que representam o Estado e precisam cumprir suas obrigações com ele. No mais, desejo muita sorte ao candidato que tive a honra de enfrentar e derrotei, Marcelo Ramos, mas que seja muito feliz e tome rumos acertados e que seja uma pessoa capaz de dar respostas boas na vida pública. Como será sua relação com a Câmara Municipal de Manaus, com os novos vereadores eleitos?Será boa. Eu não loteio cargos, não loteio secretarias, por isso eu não fui buscar apoio de caciques no segundo turno. Eu simplesmente faço meus acordos com o povo. Nenhum vereador fica contra o povo. Governo popular, governo forte, é apoiado pela Câmara Municipal. Eu tenho que fazer é um governo bom. Tenho certeza que nenhum vereador vai negar sua compreensão e apoio a um governo que esteja fazendo exatamente aquilo que ele, vereador, gostaria de fazer. Por exemplo, nenhuma cidade no Brasil adota emendas parlamentares que nós adotamos e pagamos na hora, pontualmente. A cidade está coalhada de obras e estará mais ainda, oriundas de emendas parlamentares, com o apoio que a prefeitura dá para os vereadores dizerem suas opções. A prefeitura executa e credita a obra ao vereador. Nenhuma cidade faz isso. É uma obrigação do Governo Federal, que começou a cumprir agora, com o governo Temer, mas eu sempre cumpri com os vereadores. Ou seja, a minha relação será elevada, será republicana, será de espírito público e será de colaboração. Confio muito na sensibilidade do povo, que elegeu vereadores que certamente vão mostrar amadurecimento e capacidade de amar Manaus tanto quanto eu amo. Se amar tanto quanto eu amo, vou ficar feliz. Pretende manter o secretariado ou haverá algum tipo de mudança?Poderão haver mudanças, vamos ver. Eu vou analisar caso a caso. É um governo que exige que a gente dê respostas ao prosseguimento de uma crise grave, a mais longa, mais intensa, mais perversa crise econômica que o Brasil já enfrentou e está enfrentando. E 2017 e 2018 serão anos difíceis, muito difíceis e eu vou estar aí para enfrentar. Eu tenho honra também de ser o timoneiro desse barco. Eu quero governar nessa escassez, mostrar amor, mostrar dedicação. Vou compensar com o físico, com o trabalho em mutirão, nós vamos enfrentar o desemprego com mutirões de emprego, uma ideia que foi passada pelo prefeito eleito de São Paulo, Dória, do meu partido. Vamos enfrentar essa crise de cabeça erguida. Aqui não tem esse negócio de decretar falência da saúde, no meu governo não tem nada disso, no meu governo tem firmeza de propostas.Como será a relação com o governo federal para trazer recursos para a cidade?Nós vamos começar ainda esse ano a pegar qualquer 'tico-ticozinho', em todos ministérios que puder. O que sobrou, pegar para nós um pouquinho. Vou contar com todos os parlamentares, claro. Com Marcos, com Arthur Bisneto, Conceição Sampaio, vou procurar todos que estiverem lá. Aquilo que possa ter sobrado. As emendas parlamentares não foram todas liberadas ainda, vai nos dar um desafogo. E para o ano que vem, algo que já está em andamento desde este ano, que é o BRT, que encarreguei o vice-prefeito Marcos Rotta de ser o gerente desse grande projeto, que tem que sair do papel, tem que ir para a prática, para a rua, para o trânsito. Enquanto não sai, e é uma obra que vai demorar um período de governo entre tratativas, assinaturas e execução, nós temos que fazer medidas de engenharia que quebrem bons galhos no trânsito. A gente vai fazer o possível. A gente quer viver o hoje intensamente, mas quer planejar hoje e começar executar já no hoje esse belo amanhã que será o BRT, com 50 quilômetros de linhas, um bilhão e 200 mil reais que não podem ser nossos, porque não temos, tem que ser do governo federal. E dizer outra coisa, o símbolo do meu governo será a parceria público-privada, vamos buscar esse apoio. Acho que Manaus é um bom investimento para dar um bom retorno à população. Vamos ampliar as medidas compensatórias pela Semmas, Implurb, para que a partir daí possamos fazer obras que não custem dinheiro do tesouro, como tantas obras que estamos fazendo, academias ao ar livre, as do Centro da cidade, dinheiro nosso. Vou me esmerar nisso, mas tem que conseguir dinheiro, porque Manaus não vai parar, não vai quebrar nunca, vai ficar de pé e de cabeça erguida.Por falar em mobilidade urbana, o senhor pretende manter a faixa azul?Eu entendo a segregação de faixas como um passo para o BRT. Fizemos tudo pensando nisso, como as estações do BRS. Não tínhamos era dinheiro para o BRT. Tem que ter obra de arte, tem que ter viaduto, passagem de nível, tem que ter sete novos terminais de integração, tem que ter quatro estações de conexão, é um projeto custoso, que está fora do alcance das finanças da prefeitura. Mas é um projeto necessário e está sob a responsabilidade do meu vice, Marcos Rotta, que tenho certeza que vai, junto com a minha ajuda, nossa relação com o presidente, vai desencravar esse dinheiro. O Ministro das Cidades, Bruno Araújo, estará aqui em Manaus em novembro e vamos conversar sobre o BRT. A coisa está avançada. Estamos trabalhando há meses em silêncio, com o Ministério das Cidades, para desentocarmos esse BRT, que esse sim é a redenção do nosso trânsito. Nós temos que brigar por ele, para oferecermos um trânsito digno da expectativa do povo de Manaus.

Confira os prefeitos eleitos nas capitais da Amazônia Legal nas Eleições 2016

As Eleições 2016 chegaram ao fim neste domingo (30). Na Amazônia Legal, Rio Branco (AC), Boa Vista (RR) e Palmas (TO) escolheram seus prefeitos no dia 2 de outubro. Mas os eleitores de Porto Velho (RO), Manaus (AM), São Luís (MA), Cuiabá (MT), Macapá (AP) e Belém (PA) levaram a disputa pelo comando das cidades para o 2º turno. Confira abaixo a lista completa dos prefeitos eleitos na região.



Reeleito, Artur Neto diz que vai chamar Marcelo Ramos para discutir ideias; Ouça

MANAUS - Vou chamar meu adversário para discutir ideias com ele, diz prefeito reeleito de Manaus, Artur Neto (PSB). Artur venceu com 55, 96% dos votos. Marcelo Ramos obteve 44,04%. Ouça acima a íntegra do discurso do prefeito após resultado do pleito.
Foto: Rede Amazônica
Foto: Reprodução G1 AM

Derrotado, Marcelo Ramos diz que reconhece resultado da eleição; Ouça

Foto: Flávia Moura/Amazonas FM
Foto: Flávia Moura/Amazonas FM

PMDB é a sigla com maior participação nas Eleições 2016 na Amazônia Legal

O Partido Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) é um dos maiores do Brasil. O tamanho da sigla refletiu no resultado das Eleições 2016 na Amazônia Legal. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a sigla foi a que elegeu o maior número de prefeitos nos cerca de 800 municípios da região, com 12,98% dos candidatos eleitos. Outros dois partidos que se destacam entre os nove estados amazônidas são Partido da Social Democracia Brasileira do Amazonas (PSDB), com 8,24% dos prefeitos eleitos, e Partido Social Democrático (PSD), 7,99%. Segundo o tribunal, 31 partidos participaram do pleito na região.


Análise

O cientista político e professor universitário Helso Ribeiro, explica que o PMDB é o partido brasileiro com maior número de filiados e o que está presente no maior número de municípios. "Eles têm uma estratégia de número, então boa parte dos municípios brasileiros tem um diretório do partido. Essa é uma característica do partido que acaba congregando pessoas de todos os tipos de ideologia", diz.

Segundo Helso, outra característica marcante é que, geralmente, os membros do PMDB participam das principais instituições das regiões brasileiras. "O PMDB nasceu de um partido mais antigo, que foi até contra a Ditadura Militar. Atualmente, a forma de atuação política é que faz com que ele esteja sempre presente ou próximo do poder nos municípios e estados. Por isso o número expressivo da participação do partido nestas eleições", finaliza.

Artur Neto é reeleito prefeito de Manaus

O candidato Artur Neto (PSDB) venceu a disputa pela prefeitura de Manaus e foi reeleito com 55,96% dos votos válidos totalizando 581.777 votos. O candidato concorrente, o ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PR), teve 44,04% dos votos, ou 457.809 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No primeiro turno das eleições, o candidato à reeleição, Artur Neto teve 364.485 votos, o que corresponde a 35,17% dos votos válidos. Marcelo recebeu 257.689 votos, o equivalente a 24,86%. Artur Virgílio Neto já foi deputado federal em 1979. Em 1988, foi eleito prefeito de Manaus, vencendo o ex-governador Gilberto Mestrinho. Em seguida, no ano de 1994, voltou à Câmara dos Deputados, em Brasília, onde exerceu mais dois mandatos. Artur foi então eleito senador pelo Amazonas, onde ficou de 2003 a 2010. O prefeito eleito tentou a reeleição para o Senado, em 2010. Em 2012, foi eleito prefeito de Manaus.

Dr. Hildon é eleito prefeito de Porto Velho

Os eleitores de Porto Velho, em Rondônia, foram às urnas neste domingo (30), para escolher o novo prefeito da cidade. O vencedor da disputa é candidato do PSDB, Dr. Hildon, eleito com mais de 65,15% (148.637) dos votos válidos. O adversário, Léo Moraes (PTB), alcançou apenas 34,85% (79.500) dos votos. 
Foto: Felipe Lima/Portal Amazônia
O empresário Hildon de Lima Chaves, de 48 anos, concorreu pela coligação 'Juntos por uma Porto Velho melhor'. Chaves já foi promotor de Justiça e hoje é dono de uma rede de ensino. Esta foi a primeira vez que ele disputa uma eleição. No primeiro turno, o candidato obteve 57.954 votos, o que representa 27,20% dos votos válidos.

TRE-AM faz avaliação positiva do segundo turno da eleição em Manaus

MANAUS - O segundo turno da eleição municipal em Manaus teve resultado positivo na avaliação do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).  Segundo o Presidente do TRE-AM, desembargador Yedo Simões, as intercorrências registradas durante o pleito, como trocas de urnas, fazem parte da própria votação.
Foto: Flávia Moura/Amazonas FM

Emanuel Pinheiro é eleito prefeito em Cuiabá

O candidato Emanuel Pinheiro (PMDB) foi eleito prefeito de Cuiabá, no Mato Grosso, com 60,41% votos, totalizando 157.877 votos. O concorrente, Wilson Santos (PSDB), teve 39,59% da preferência do eleitorado, o que corresponde a 103.483 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No primeiro turno das eleições, Emanuel Pinheiro recebeu 98.051 votos, o que corresponde a 34,15% dos votos válidos. Já Wilson Santos teve 81.531 votos, o equivalente a 28,40%. Esta é a segunda vez que Emanuel disputa o comando do Executivo Municipal em Cuiabá. Na primeira vez em que disputou, em 2000, perdeu a eleição para o apresentador de TV Roberto França. O prefeito eleito é formado em Direito, foi duas vezes vereador da capital e está no quarto mandato de deputado estadual.

Clécio Luís é reeleito em Macapá

O prefeito de Macapá, capital do Amapá, Clécio Luís (Rede) conquistou a reeleição neste domingo (30) após disputa com Gilvam Borges (PMDB). Durante toda apuração, Luís esteve à frente de Borges e amealhou 60,50% dos votos, o que totaliza o número de 123.808 votos válidos. Já o candidato do PMDB teve 39,50% dos votos, o equivalente a 80.840 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
Clécio Luís tem 44 anos, é natural de Belém (PA), mas mudou-se para Macapá há muitos anos. Formou-se em Geografia na Universidade Federal do Amapá (UFPA) e, no início dos anos 1980, iniciou a trajetória política. Foi líder comunitário e militante do movimento sindical e, em 1998, foi secretário estadual de Educação do Amapá.

A vice de Clécio é Telma Adriana Nery Paiva, de 36 anos, administradora e eleita vereadora de Macapá em 2012. Ela foi indicada pelo DEM, principal aliado da Rede, em Macapá, e maior doador financeiro para a campanha.

Edivaldo Holanda Júnior é eleito prefeito em São Luís

O candidato Edivaldo Holanda Júnior (PDT) foi eleito prefeito de São Luís, capital do Maranhão, com 53,94% dos votos, ou 285.242 votos. O candidato concorrente, Eduardo Braide (PMN), ficou com 46,2% dos votos, totalizando 243.591 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No primeiro turno das eleições, o candidato à reeleição, Edivaldo teve 45,66% dos votos válidos (239.737). Já o advogado Eduardo Braide, obteve 21,34% (112.041). Filiado ao PDT desde agosto de 2015, o prefeito eleito da capital maranhense contou com o apoio de 13 partidos para a sua reeleição.

Após confusão no Grande Vitória, PM envia policiais para bairro durante votação

MANAUS - Cerca de 20 policiais militares foram deslocados para o Bairro Grande Vitória, na Zona Leste de Manaus, para reforçar a segurança durante as votações das eleições deste domingo (30).  Em nota, a Polícia Militar (PM) informou que nos  últimos dias o bairro vem sofrendo ameaças e toques de recolher por parte de traficantes da comunidade.
Foto: Divulgação PM

Zenaldo Coutinho é reeleito em Belém

Após um domingo de votação tranquila, os belenenses decidiram que Zenaldo Coutinho (PSDB) continua no comando da cidade. Ele foi reeleito com 52,33% dos votos, ou 396.770 dos votos válidos. O adversário, Edmilson (PSOL), teve 47,77%, totalizando 361.376 votos.
Arte: Felipe Lima/Portal Amazônia
No segundo turno, Coutinho não recebeu apoio de nenhum candidato. Os concorrentes do primeiro turno Úrsula Vidal (REDE), Carlos Maneschy (PMDB), Regina Barata (PT) e Lélio Costa (PCdoB) decidiram apoiar Edmilson. Já o candidato Éder Mauro se declarou neutro e não apoiou ninguém no segundo turno.

Zenaldo Rodrigues Coutinho Júnior nasceu na capital paraense, é formado em Direito pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e assumiu o primeiro cargo político em 1982, quando foi eleito vereador aos 21 anos. Em 34 anos de vida pública, foi duas vezes deputado estadual e cumpriu quatro mandatos de deputado federal consecutivos.

Capitais da Amazônia Legal registram ocorrências durante o segundo turno

Seis das nove capitais da Amazônia Legal tiveram segundo turno neste domingo (30). Manaus, Belém, Macapá, Cuiabá e São Luís registraram ocorrências de irregularidades eleitorais.Na capital do Amazonas, Manaus, a Polícia Federal fez uma apreensão em um posto de combustível. Segundo informações, no local havia distribuição de combustível em troca de votos. Outra denúncia apontava a suposta paralisação de ônibus na zona Leste da cidade. O transporte de passageiros é gratuito e determinado por lei em dias de pleito.
Foto: Divulgação/TSE
Em Belém, uma mulher foi presa por boca de urna. Com ela foram encontrados mais de 200 santinhos. A suspeita foi encaminhada para a Delegacia do Marco, localizado na Avenida Almirante Barroso. Já a Conferência Nacional dos Bispos dos Brasil (CNBB) recebeu mais de 200 denúncias por meio do telefone 0800-091-4751.

Cerca de 15 denúncias envolvendo crimes eleitorais durante este domingo foram registrados pelo Ministério Público Eleitoral do Amapá (MPE-AP), em Macapá. Além disso, um barco do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) naufragou em um rio nas imediações da zona Norte de Macapá, mas não houve vítimas.

Em Cuiabá, dois eleitores foram detidos porque fizeram registros fotográficos na urna. É proibido levar câmeras fotográficas de qualquer natureza para a cabine de votação. Além disso, um início de tumulto foi registrado no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), o motivo da briga foi a bandeira de um candidato que estava no carro de um eleitor.

Em São Luís, uma pessoa foi apreendida após suspeita de boca de urna. O caso aconteceu no Colégio Santa Tereza, a polícia conduziu o suspeito para o Plantão do Parque do Bom Menino. 

Órgãos apuram denúncias de ônibus parados no início do 2º turno em Manaus

MANAUS - Na manhã deste domingo (30), a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) recebeu diversas denúncias de que ônibus do transporte público estariam parados em Manaus. As principais reclamações são de usuários da Zona Leste.
Foto: Patrick Motta/Amazonas FM