Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 08 Mai 2021

Prazo para inscrição no concurso do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins se encerra nesta sexta

Os 15 aprovados para as vagas de Aspirante a Oficial terão curso de formação em outro estado e vão receber bolsa-auxílio de R$ 4.805

Evitar incêndios é tarefa para o ano inteiro, diz Capitão do Corpo de Bombeiros

Para qualquer emergência, a pessoa pode entrar em contato com o Corpo de Bombeiros pelo número 193

Corpo de Bombeiros do Acre apresenta relatório de ações em enchentes

A ênfase da apresentação foi para a enchente na ponta do Abunã, que isolou o Acre por quase dois meses em 2014, e a alagação que atingiu Rio Branco no ano seguinte

Bombeiros e Defesa Civil mantêm ações de combate aos incêndios florestais no Pará

Na semana passada, militares do Estado e do Exército Brasileiros atuaram em São Félix do Xingu, Parauapebas e Novo Progresso

Bombeiros estruturam equipes de atuação contra queimadas ilegais em municípios de Mato Grosso

Nos primeiros ciclos operacionais a finalidade é conscientizar e alertar a população do período proibitivo e as consequências do descumprimento da legislação ambiental

Pará: criança de 4 anos tem sonho realizado por Corpo de Bombeiros

Corporação também homenageou rapaz que salvou três crianças em um incêndio no bairro da Terra Firme, em 2015

Corpo de Bombeiros alerta banhistas para os riscos de afogamento em rios do Acre

Em épocas de chuvas no Acre, a exuberância dos rios, córregos e açudes chamam a atenção de banhistas em busca de uma opção sazonal de lazer. Em Rio Branco, por exemplo, aos finais de tarde, o rio Acre é ponto de encontro entre as famílias. No centro, os banhistas se divertem com lanchas e jet skis; já nos bairros por onde passa o córrego, se entretêm as crianças, que, nesta época do ano, também estão em período de férias.




Preocupados com os números de afogamentos registrados nos últimos dois anos, o Corpo de Bombeiros alerta sobre os riscos e cuidados a serem tomados por quem escolhe essa opção de entretenimento, principalmente, neste período quando os rios ficam mais cheios e as correntezas arrastam o que estiver pela frente.




“Para as pessoas que pretendem se aventurar em rios e igarapés, é importante, antes de tudo, conhecer o ambiente e a profundidade da água. Em caso de ingerir bebidas alcoólicas, a orientação é evitar entrar na água, pois o efeito da bebida diminui reflexos e o senso de perigo, o que pode acabar em tragédia ou acidente.

Foto: Divulgação



Não descuidar um só minuto de crianças e não deixá-la sozinhas na água. Outro perigo também está relacionado à navegação nos rios, as pessoas nunca usam o colete, que é obrigatório. É proibido menores pilotarem barcos e adultos precisam ter uma carteira específica de autorização. Outra dica é não navegar durante a noite, quando há pouca visibilidade, por causa dos entulhos”, explica major Falcão do Corpo de Bombeiros.



Nos últimos dois anos, 82 pessoas morreram vítimas de afogamento no Acre. A maioria dos casos acontece em decorrência da autoconfiança, ingestão de álcool ou por imprudência. É preciso ter atenção e a Agência de Notícias preparou uma lista de cuidados a serem tomados para cada ambiente.




Rios e lagos




– Nade apenas em locais próprios para banho;
– Nunca nade na ambição de atravessar o rio, nade através da margem e tome cuidados com a correnteza;
– Áreas barrentas e sem visibilidade podem conter vidros, galhos ou objetos que enganchem, por isso é preciso ficar atento;
– Água com lixo ou com passagem de animais podem trazer doenças como hepatite ou leptospirose, evite.
– Evite saltos na água, nunca se sabe o que tem embaixo e, em rios, o deslocamento de entulhos acontece a todo instante;
– Atenção redobrada para as áreas de remanso. São áreas perigosas em que as águas puxam os banhistas para o fundo e quem não tem experiência pode acabar se afogando.




Piscinas

Foto: Reprodução/Shutterstock





– Em caso de crianças, independentemente de idade ou se tem preparo para nado, o mais indicado é se manter atento. Toda criança deve se manter supervisionada por um adulto;
– Piscinas residenciais devem ter grades de proteção, cobertura, lona ou tampa para evitar acidentes com crianças;
– Em caso de clubes ou balneários, verifique se no lugar há guarda-vidas.
– Para melhor evitar acidentes, use boias ou equipamentos de proteção em crianças. O melhor é evitar que tomem banho no mesmo ambiente em que se banham adultos.

Bombeiros alertam para uso correto de fogos por crianças e adultos em festas juninas

Junho calmo, alegre e sem problemas. Esta é a expectativa de todos os porto-velhenses para festanças que tradicionalmente se estenderão aos meses de julho, agosto, setembro e, possivelmente, até outubro.
A Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia dá dicas para se evitar situações desagradáveis.
“Felizmente não temos ocorrências graves de algum tempo para cá”, frisou o coordenador desse órgão, capitão bombeiro Mário Vergotti.
Ele alerta a respeito do mau uso de fogos de artifício como causador de acidentes corporais, alguns com lesões gravíssimas. “Queimaduras podem levar à perda de membros e da visão”, lembrou.
Promotores de eventos com pirotecnia devem contratar profissionais habilitados, os conhecidos blasters. Todo evento tem que ter projeto orientado e autorizado pela DAT.
Primeira recomendação: compre fogos em lojas certificadas pelo Corpo de Bombeiros. O capitão alerta, uma vez mais, para o perigo do comércio clandestino.
Segunda: na compra, a pessoa deve ler bem o rótulo com indicações de cada tipo de fogo de artifício. Cada um – estalinhos, traques, etc – tem uma forma de uso. “Fogos classe B só devem ser manuseados por adultos, enquanto os de classes C e D, apenas por profissionais habilitados”, disse Vergotti.
Terceira: soltar fogos somente em locais abertos, nunca abaixo de telhados, coberturas e alpendres, e sempre afastado de árvores e fiações. “Nunca direcione o fogo para espaços públicos e evite soltá-lo sob o efeito de substância alcoólica”, advertiu o coordenador.
 
 “Quando se tratar de criança, assisti-la o tempo todo, sempre verificando o indicativo de idade na caixa (embalagem) do produto”, recomendou Vergotti.
 
No caso de shows pirotécnicos, seus responsáveis necessitam dar entrada na documentação com dez dias de antecedência, apresentando projeto pelo qual são avaliadas áreas de risco: proximidade de asilos, escolas, hospitais, locais de reunião de público e postos de combustíveis, principalmente.
O MAIS GRAVE ACIDENTE
O mais grave acidente na capital rondoniense ocorreu em quatro de dezembro de 2005, quando 37 pessoas ficaram feridas após a explosão de um rojão na festa em frente à catedral Sagrado Coração de Jesus. Era a inauguração do sistema de iluminação natalina da igreja. Parte de um rojão caiu no meio do público, estimado pelos bombeiros em 5 mil pessoas.
No apavoramento, as pessoas correram, muitas foram pisoteadas.

Bombeiros alertam para uso correto de fogos por crianças e adultos em festas juninas 1

Junho calmo, alegre e sem problemas. Esta é a expectativa de todos os porto-velhenses para festanças que tradicionalmente se estenderão aos meses de julho, agosto, setembro e, possivelmente, até outubro.


A Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia dá dicas para se evitar situações desagradáveis. “Felizmente não temos ocorrências graves de algum tempo para cá”, frisou o coordenador desse órgão, capitão bombeiro Mário Vergotti.
Foto:Divulgação/Governo Rondônia


Ele alerta a respeito do mau uso de fogos de artifício como causador de acidentes corporais, alguns com lesões gravíssimas. “Queimaduras podem levar à perda de membros e da visão”, lembrou.


Promotores de eventos com pirotecnia devem contratar profissionais habilitados, os conhecidos blasters. Todo evento tem que ter projeto orientado e autorizado pela DAT. 


Primeira recomendação: compre fogos em lojas certificadas pelo Corpo de Bombeiros. O capitão alerta, uma vez mais, para o perigo do comércio clandestino.


Segunda: na compra, a pessoa deve ler bem o rótulo com indicações de cada tipo de fogo de artifício. Cada um – estalinhos, traques, etc – tem uma forma de uso. “Fogos classe B só devem ser manuseados por adultos, enquanto os de classes C e D, apenas por profissionais habilitados”, disse Vergotti.


Terceira: soltar fogos somente em locais abertos, nunca abaixo de telhados, coberturas e alpendres, e sempre afastado de árvores e fiações. “Nunca direcione o fogo para espaços públicos e evite soltá-lo sob o efeito de substância alcoólica”, advertiu o coordenador.


“Quando se tratar de criança, assisti-la o tempo todo, sempre verificando o indicativo de idade na caixa (embalagem) do produto”, recomendou Vergotti.

Foto:Divulgação/Governo de Rondônia


No caso de shows pirotécnicos, seus responsáveis necessitam dar entrada na documentação com dez dias de antecedência, apresentando projeto pelo qual são avaliadas áreas de risco: proximidade de asilos, escolas, hospitais, locais de reunião de público e postos de combustíveis, principalmente.


O mais grave acidente


O mais grave acidente na capital rondoniense ocorreu em quatro de dezembro de 2005, quando 37 pessoas ficaram feridas após a explosão de um rojão na festa em frente à catedral Sagrado Coração de Jesus. Era a inauguração do sistema de iluminação natalina da igreja. Parte de um rojão caiu no meio do público, estimado pelos bombeiros em 5 mil pessoas.


No apavoramento, as pessoas correram, muitas foram pisoteadas.

Amazonas registrou mais de 40 mortes por afogamento até maio deste ano

Nos primeiros cinco meses do ano, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) registrou 42 mortes por afogamento. A maioria ocorreu em rios. 95% das vítimas eram homens, com idade entre 35 e 64 anos. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o número de mortes reduziu em 14%, mas o Corpo de Bombeiros ressalta que, mesmo assim, os cuidados devem continuar.


Umas das dicas de prevenção é priorizar balneários que tenham salva-vidas. Também é importante observar se há sinalização de segurança no local escolhido e a profundidade dos rios. A ingestão de bebidas alcoólicas deve ser evitada ou moderada pelos banhistas.
Foto:Divulgação/SSP-AM

Mesmo quem sabe nadar não deve mergulhar em locais perigosos.


O cuidado com as crianças deve ser redobrado, seja em rios ou em piscinas. Duas crianças e dois adolescentes estão entre aqueles que perderam a vida até maio deste ano.


Caso alguém presencie um afogamento, o Corpo de Bombeiros recomenda que a pessoa não preste ajuda sozinha, pois pode se tornar mais uma vítima. É importante pedir auxílio de outra pessoa ou de um salva-vidas. Quem tiver noções de primeiros socorros pode iniciar os procedimentos até a chegada de atendimento especializado.




Bombeiros do Amazonas atuam em missão humanitária em Moçambique

Dois bombeiros do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBM-AM) foram enviados na semana passada para uma Missão de Ajuda Humanitária em Moçambique. O 2º Sargento BM Samuel Souza da Silva e o Cabo BM Marcus Vinícius Chaves de Freitas atuam no país africano, atingido por um ciclone em março deste ano.

Destacado desde o dia 29 de março para o país africano, o 2º Sargento Samuel conta a sua experiência na missão no continente africano.
Foto: Divulgação/CBMAM
"Viemos para realizar busca, salvamento e resgate de vítimas da catástrofe, mas também estamos trabalhando com a distribuição de remédios, alimentos e construção de abrigos temporários para as famílias atingidas. Muitas estradas ainda estão intrafegáveis, há muitas árvores caídas. Estamos desobstruindo essas vias e auxiliando na construção de novas pontes", relatou o militar.

Outra missão dos militares é chegar a comunidades que estão sem acesso a suprimentos básicos.

“Existem comunidades cujo acesso é somente por via aérea. Nessas, estamos fazendo a distribuição dos remédios e realizando atendimento aos doentes e feridos. Muitos estão desabrigados e se refugiaram nos colégios e em outras estruturas que resistiram ao ciclone. Aqui, até a comunicação por telefone está complicada devido ao desastre”, disse o 2º Sargento BM Samuel.
Foto: Divulgação/CBMAM
Outras missões

O cabo BM Marcus Vinícius atuou nas operações de busca e resgate em Brumadinho (MG) e está a serviço do Governo Federal desde março de 2018. Já o 2º Sargento Samuel Souza da Silva acumula experiências em missões internacionais como Jogos Pan-americanos e Parapan-americanos Rio 2007, Copa das Confederações FIFA 2013, Copa do Mundo FIFA 2014, Olimpíadas e Paraolimpíadas Rio 2016.

Ciclone Idai

Segundo o último balanço do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades de Moçambique (INGC), o número de mortos no país chega a 598. O ciclone atingiu a região central de Moçambique, além do Maláui e Zimbábue.

Sozinho, missionário se perde na selva amazônica e é encontrado após nove dias de buscas

O missionário Vladimir Menezes Cunha, de 59 anos, foi encontrado, nessa terça-feira (2), após passar nove dias perdido na mata, nas proximidades da Comunidade Indígena do Limoeiro, pertencente ao município de Lábrea, no Amazonas. Ele foi resgatado pelo Batalhão de Incêndio Florestal e Meio Ambiente (BIFMA), do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

De acordo com os bombeiros, o missionário havia saído para uma atividade na floresta, na manhã do dia 24 de março, e não retornou para a comunidade. Dado o prazo de 24h, os membros da igreja foram até a Delegacia de Polícia Civil do município e registraram um boletim de ocorrência.
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
No dia 26 de março, o Corpo de Bombeiros foi acionado e três militares foram designados para realizar as primeiras buscas. “Os bombeiros partiram na manhã do dia 27, de avião, para a operação de busca, salvamento e resgate. Ficamos monitorando toda a ação para ver se precisaríamos enviar um efetivo maior”, contou o Chefe de Estado Maior Geral, Coronel BM Jair Ruas Braga.

De acordo com o Soldado BM Danilo Ferreira, a equipe contou com a ajuda de comunitários. “Fizemos buscas em uma área de 70 quilômetros de distância da comunidade. Tivemos a ajuda dos ribeirinhos e indígenas. Os bombeiros pernoitaram por dois dias na mata seguindo os rastros do desaparecido, mas até então sem sucesso”, relatou Danilo.

Dado o tempo e tamanho da área onde supostamente o missionário havia desaparecido, o Coronel Ruas, que também era comandante da operação, encaminhou mais uma equipe com sete militares da capital que chegaram à Comunidade Indígena do Limoeiro no dia 1º de abril. “Enviamos mais sete militares e retornamos com a primeira equipe”, explicou o Coronel.

As buscas estavam dividas em terrestres e aquáticas. Na manhã dessa terça-feira (2), ao ouvir a movimentação das equipes do Corpo de Bombeiros, o missionário perdido gritou por socorro. Segundo o Coronel Ruas, o quadro de saúde da vítima era estável.
Foto:
Divulgação/Corpo de Bombeiros
“Nós o encontramos abatido, com desidratação mas estável, considerando o quadro de outras vítimas desse tipo de ocorrência. O missionário foi levado para a comunidade onde foi aferida a sua pressão arterial. Ele também foi submetido a aplicação de soro para sua hidratação", disse o Chefe de Estado Maior Geral.

O objetivo da corporação é levar o missionário até Manaus para que seja submetido a exames médicos e cuidados especiais. Conforme os bombeiros, no primeiro trimestre deste ano, a corporação registrou 11 ocorrências de busca e resgate de pessoas em ambiente de selva.

Roraima já teve 50 incêndios nos primeiros cinco dias de março, apontam bombeiros

O estado de Roraima já registrou 50 incêndios nos primeiros cinco dias de março, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O monitoramento foi feito de sexta-feira (1) até a manhã dessa terça-feira (5).

O comandante do 1° Batalhão de Proteção Ambiental dos Bombeiros, tenente-coronel Mário Turco, informou que, apenas de não ser possível comprovar todas as causas dos incêndios, há indícios de que a maior parte deles tenham sido causados por ação humana.

“Bitucas de cigarro, fogueiras, queima de lixo, churrasco improvisados… todas são atividades muito comuns de ocorrerem nesse período de carnaval, tanto por aqueles que gostam de viajar para o interior, fazer uma trilha ou acampar, quanto os que ficam na cidade e praticam queimadas em terrenos baldios”, afirmou.
 
Foto: Secom-RR/Divulgação 
Combinado com as ações das pessoas, o clima quente dos últimos dias também contribuíram para uma maior probabilidade de incêndios. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), as temperaturas em Boa Vista têm variado de máximas entre 37°C e 40°C.

O Instituto também aponta que a umidade do ar chega a estar em 40% na capital, quando o recomendável para a saúde humana é 60%, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Apesar dos dias de calor intenso, a previsão do tempo para os próximos dias indica uma estabilização da temperatura para 35°C máxima e uma média de 23°C mínima.

“Acima de tudo, não façam queimadas de lixo. O período não é propício e existem outras formas de se lidar com acúmulo de lixo, independente da época. Tivemos um caso recente de um homem que colocou fogo em lixo no quintal e ele se propagou para outros quatro terrenos. A sorte é que como fomos acionados rapidamente, ninguém foi atingido e não houve danos, mas é questão de minutos para que isso ocorra, então o melhor é não arriscar”, recomendou Márcio.
 

Jacaré é resgatado após surpreender moradores em calçada, no Centro de Manaus; veja vídeo

Mais uma vez os animais silvestres surpreenderam moradores da zona urbana da Amazônia. Na noite dessa quarta-feira (21), moradores do Centro de Manaus se assustaram com a presença de um jacaré, que saiu de um igarapé e subiu em uma calçada, na rua Major Gabriel.
 Moradores da área informaram que o animal foi encontrado na calçada por um mulher e uma criança. Os dois teriam se assustado e gritado e, com isso, o jacaré fugiu para uma área de mata.
 Assista:
 


O Corpo de Bombeiros foi acionado e realizou o resgate do réptil. Foram necessários três agentes para imobilizar o jacaré e colocá-lo no carro da corporação. Ele foi levado para a orla do Educandos, na zona sul, onde seguiu para a água.
 

Calamidade pública: incêndio atinge cerca de 600 casas no bairro Educandos, em Manaus

Um incêndio de grandes proporções atingiu, aproximadamente, 600 casas no bairro Educandos, zona sul de Manaus, na noite dessa segunda-feira (17), conforme informou a Defesa Civil à Rede Amazônica. O prefeito da capital amazonense anunciou que vai assinar um decreto de calamidade pública por conta da situação.

Saiba como ajudar e fazer doações às vítimas do incêndio que atingiu casas do Educandos

O Corpo de Bombeiros deflagrou um plano emergencial de contingência e acionou efetivo que estava de folga e caminhões de combate a incêndio de Iranduba e Rio Preto da Eva para atuar no controle do incêndio. Ao todo, 14 caminhões de combate a incêndio atuaram no local.

Foto: Rickardo Marques/Rede Amazônica
Os bombeiros informaram, por meio de assessoria de imprensa, que foram acionados por volta de 20h34 e cerca de cinco minutos depois a primeira viatura chegou ao local para o atendimento. Os reforços chegaram em seguida.O incêndio de grandes proporções ocorreu na Rua Nova, beco São Francisco. As equipes dos bombeiros montaram três pontos distintos de trabalho para o combate ao incêndio. A região é de difícil acesso e as residências de madeira, construídas coladas, acabam facilitando a proliferação do fogo e dificultando o combate.

Segundo o subcomandante geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Josemar Santos, todo o poder operacional foi usado. O incêndio foi controlado, conforme os bombeiros, por volta das 00h40 da madrugada desta terça-feira (18). Foram mais de três horas de um intenso trabalho de combate, que envolveu todo o efetivo da capital e reforços da Região Metropolitana de Manaus.

Para agilizar o deslocamento das equipes do Corpo de Bombeiros, os agentes do Manaustrans interditaram todos os acessos para o bairro de Educandos. A partir da ponte da avenida 7 de Setembro/av. Leopoldo Peres; rua Felismino Soares; avenida Lourenço da Silva Braga e Ponte de Educandos, os acessos foram suspensos. Um efetivo de 50 agentes foi deslocado para atender a ocorrência.

Nos primeiros atendimentos realizados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), quatro pessoas foram socorridas, uma delas foi encaminhada ao hospital e pronto-socorro 28 de Agosto, em Adrianópolis, zona Centro-Sul. A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) informou que, até às 00h, registrou nos serviços de emergência o atendimento de algumas vítimas do incêndio no bairro Educandos, todas com sintomas de intoxicação por inalação de fumaça. Nenhuma delas em estado grave.
 
Investigação
Segundo o secretário de segurança, coronel Amadeu Soares, informações preliminares apontam que o incêndio teria iniciado após a explosão de uma panela de pressão em uma das residências. "As informações preliminares dão conta de que o incêndio começou com uma panela de pressão. O vento estava muito forte na hora e ajudou a alastrar e se transformou nesse incêndio de grandes proporções", disse.

Saiba como ajudar e fazer doações às vítimas do incêndio que atingiu casas do Educandos

A Polícia Civil vai abrir uma investigação para apurar as causas do incêndio, disse o delegado Divanilson Cavalcante. O caso ficará no 2° DIP. O Instituto de Criminalística será responsável pela perícia para identificar as causas do incêndio.

Foto: Rickardo Marques/Rede Amazônica
"O trabalho agora é o rescaldo do incêndio e o redirecionamento das famílias para os abrigos. A Polícia Militar vai permanecer no local para evitar que ocorram crimes, como furtos na área. A Polícia Militar interviu de maneira célere. Muitas pessoas já foram para casas de parentes e outras serão redirecionadas para abrigos", afirmou o secretário de segurança.

Cerca de 50 policiais militares foram deslocados para a área, segundo o subcomandante da PM, Coronel Ayrton Norte. Além da contenção, os policiais também viabilizaram a remoção de veículos estacionados e que dificultavam a entrada dos bombeiros. O incêndio ocorreu na Rua Nova, em uma comunidade denominada Favela do Bodozal, no Educandos.

Famílias desabrigadas

O secretário executivo da Defesa Civil do Estado, Hermógenes Rabelo, disse que com o controle do incêndio as ações se voltam ao trabalho de identificação das famílias. Imagens de satélite da área deverão ajudar a identificar as residências. A estimativa inicial é que cerca de 600 moradias tenham sido destruídas. "Esse pode ser o maior incêndio urbano da cidade de Manaus", comentou o secretário.

Foto: Reprodução/Google Earth
"Depois de controlado o sinistro, vamos fazer o levantamento das famílias desalojadas, identificar cada família para que o governo e a prefeitura façam o atendimento e iniciem a ajuda humanitária", disse Rabelo.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que três escolas serão disponibilizadas para receber as famílias desabrigadas. São as escolas estaduais Estelita Tapajós, Diana Pinheiro e o Ceti Gilberto Mestrinho. A Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) também disponibilizará o hotel da Vila Olímpica.

Outras duas escolas e um centro social da Prefeitura de Manaus foram colocados à disposição dos desabrigados, que receberam atendimento das equipes do Fundo Manaus Solidária, Semasc e Defesa Civil, responsáveis por efetuar cadastro social das vítimas.

Calamidade pública

O prefeito Arthur Virgílio Neto e a primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro, estiveram na área atingida pelo incêndio, na noite dessa segunda-feira. Até esta madrugada, as equipes de assistência social da Prefeitura calculavam que aproximadamente 500 moradias de madeira tinham sido atingidas pelo sinistro.

“Irei assinar um decreto de calamidade pública, para comprar com agilidade, sem a necessidade do burocrático processo de licitação, tudo o que for necessário, neste momento para ajudar estas famílias que perderam o pouco que tinham neste incêndio”, disse o prefeito.

Veja mais imagens do incêndio:

Pescador é resgatado em mata após ficar perdido por 10 dias em Guajará

O Corpo de Bombeiros resgatou vivo, na tarde desta quarta-feira (28), o pescador de 51 anos que ficou perdido por 10 dias na reserva florestal Ouro Negro, no Rio Ouro Preto, em Guajará-Mirim (RO). Segundo informações do G1 Rondônia, Francisco Pereira da Silva desapareceu depois de sair de casa com objetivo de extrair castanha.

De acordo com a corporação dos Bombeiros, na fronteira com a Bolívia, o pescador estava perto de uma aldeia indígena quando foi localizado.

Francisco havia sumido no dia 18 de novembro, após entrar na mata para extrair castanha. Na ocasião, um grupo de amigos viu o pescador levando com ele uma espingarda e um facão.

Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Horas depois de Francisco ir na mata, os amigos entraram na floresta em busca do homem, mas ele não foi mais localizado.

No último sábado (24), um boletim foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Guajará-Mirim. Após isso, a família de Francisco foi comunicada do desaparecimento.

"A equipe foi de voadeira até a mata porque é mais rápido. O local é muito longe. Tanto que o homem que veio trazer a informação demorou dois dias para chegar. Lá não tem telefone, não tem sinal de internet", informou o Sargento Cerqueira.


Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação 
Os Bombeiros então começaram a procurar pela mata e nesta quinta-feira encontraram Francisco, que estava um pouco debilitado.

Depois de ser retirado da mata, no começo da tarde, Francisco foi levado para casa e não precisou do atendimento médico.

Aos familiares, o pescador contou que ficou caminhando por 3 dias na mata e que achou uma casa na margem de um rio, onde abrigou para se esconder da chuva. No local, Francisco ainda ficou pescando e comendo frutas durante os outros sete dias.

Bombeiros do Amazonas encontram corpo de turista que caiu em cachoeira tentando fazer 'selfie'

Desde o dia 8 de julho, a carioca Michele Santos estava desaparecida após cair do alto da cachoeira Santuário, no município de Presidente Figueiredo (distante 127 quilômetros de Manaus), após tentar fazer uma 'selfie' de uma área proibida do local.

Após 14 dias de buscas, o corpo da jovem foi encontrado neste domingo (22), dentro da fenda de uma caverna entre a queda d'água e as pedras.

Segundo a equipe de Bombeiros que realizava as buscas, o corpo foi encontrado em avançado estado de decomposição e que após a retirada, o Instituto Médico Legal (IML) e a Polícia Civil foram chamado para realização dos procedimentos seguintes.
Foto: Divulgação
O pai, um irmão e um primo da vítima vieram do Rio de Janeiro, para acompanhar o resgate.

Em nota, o comandante do Batalhão de Bombeiro Especial (BBE), tenente-coronel Reinaldo Acris Menezes, que coordenou a operação em Presidente Figueiredo ressaltou a dificuldade em realizar o resgate, e o estado do corpo.

"Encontramos grandes dificuldades desde o início das buscas. Os mergulhadores tinham que entrar por cima da caverna, mudamos o curso da água diversas vezes até finalmente encontramos o corpo, que já estava em avançado estágio de decomposição, fora que o corpo da jovem estava dentro d'água, então foi necessário muita atenção e cuidado para trazê-lo para cima", disse por meio de nota.

Em nota, a administração da Cachoeira Santuário lamenta o ocorrido e informa que tomou todas as providências cabíveis, e esteve junto aos órgãos competentes para auxiliar na procura. Ressalta ainda que em 20 anos de atividades, esse foi o primeiro acidente fatal registrado.

Michele Santos tinha 30 anos e estava trabalhando a poucos meses no Amazonas. A ida para a Cachoeira foi uma visita turística.

Bombeiros dão dicas de segurança para evitar incidentes no verão

Um efetivo de quase mil militares do Corpo de Bombeiros irá trabalhar em mais de 60 praias do Estado do Pará durante o mês de julho. O objetivo é garantir a segurança dos veranistas e prevenir ocorrências de diversos tipos, como afogamentos, queimaduras e acidentes com animais marinhos, crianças perdidas e até mesmo perdas de veículos.
Embora garanta a presença do efetivo nos balneários, especialmente onde existe maior procura dos banhistas, como é o caso de Salinópolis, Mosqueiro, Outeiro, Marudá e Cotijuba, este ano, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará lançou um aplicativo para facilitar o acesso dos paraenses as informações sobre os horários de marés e outras orientações de segurança.

Foto: Divulgação
O comandante do Grupamento Marítimo dos Bombeiros, Marco Scienza, explica alguns cuidados básicos que as pessoas precisam ter para curtir as férias de forma mais tranquila. “Uma das orientações principais é evitar entrar na água alcoolizado. Muitos acidentes poderiam ser evitados se os banhistas tivessem esse cuidado. A pessoa alcoolizada perde a criança, se afoga, e exagera nas brincadeiras, ficando mais suscetíveis ao acidente”.
Ainda de acordo com Marco, é importante que as pessoas procurem os Bombeiros em caso de dúvidas. “Os guarda-vidas são as pessoas mais adequadas para passar orientações específicas em relação a praia e seus perigos”, afirmou o comandante. Em caso de crianças perdidas, por exemplo, o capitão informa que a maioria das praias terá o serviço de identificação nas barracas dos guarda-vidas e orienta os pais ou responsáveis a fazê-lo. “Eles vão identificá-las com o nome do responsável e o contato. Caso essa criança se perca, rapidamente podemos encontra-la, reduzindo muito o tempo de resposta da ocorrência. Uma criança, principalmente com pouca idade, fica exposta a outros riscos, como próprio afogamento, atropelamento, entre outros”, complementou Scienza.
Ele afirma que, com a identificação, o próprio banhista que encontre uma criança que aparenta estar perdida, pode verificar o telefone e localizar o responsável. “Provavelmente ela estará chorando, desorientada, perguntando várias coisas a várias pessoas. Então orientamos sempre que, ao chegar na praia, e identificar uma criança nessas condições, que as pessoas ajudem. Quanto às boias, água pelo umbigo é sinal de perigo, então não adianta colocar a boia e querer levar a criança para o fundo, porque o risco vai ser o mesmo, tem onda, tem correnteza, que inclusive para os adultos é elevado”, conclui.
O Corpo de Bombeiros também contará com especialistas em atendimentos aquáticos nos principais balneários, com a presença de militares capacitados para salvamentos mais complexos, o que garante uma resposta mais rápida no atendimento em caso de afogamento.
Confira outras dicas do comandante do Corpo de Bombeiros para este verão:
Cuidados para evitar afogamentos:
- Evitar situações como, por exemplo, água pelo umbigo. Sempre evitar submersão em águas mais profundas, onde podem ter pedras ou canais, realidade muito comum no Estado, pois muitas praias são de rio, mas com características de mar.
Dicas para hidratação e proteção contra o sol:
- Sempre renovar o protetor solar ou usar camisa de proteção solar, chapéu e óculos. Ingerir grande quantidade de líquido, o que pode prevenir afogamento, pois diminui o risco de fadiga e déficit de atenção de uma pessoa que está ingerindo bebida alcoólica.
Como atentar quanto à segurança dos carros nas praias:
- Além do aplicativo, no caso de Salinópolis, onde é permitida a entrada de carros, na frente da unidade dos bombeiros e na entrada da praia terão placas com os horários e amplitude das marés. Os guarda-vidas também estarão aptos a orientar sobre áreas de risco de areia fofa.

Corpo de Bombeiros alerta sobre os cuidados com fogos de artifício

A procura por fogos de artifício como bombinhas, estalinhos ou pistolas aumenta durante o período junino e com a proximidade do início da Copa do Mundo. Para prevenir acidentes, o Corpo de Bombeiros do Pará dá algumas dicas sobre como utilizar esses artefatos e realiza fiscalizações nos estabelecimentos que comercializam esses produtos. As vistorias são feitas durante o ano todo, mas no período da festas de São João e nos bares que irão realizar a cobertura dos jogos do mundial, esse trabalho será reforçado.

“Com a quantidade de artefatos explosivos, o Corpo de Bombeiros, mediante os serviços de atividades técnicas, aumenta e potencializa as vistorias nos locais que poderão haver uma maior quantidade de público e consequentemente a utilização de fogos de artifícios. Evitem o uso de artefatos em bares para que não aconteça algum tipo de acidente", orienta o capitão Raimundo Moura.
Foto: Reprodução/Shutterstock

Nas vistorias, os agentes observam as medidas de segurança destes locais, como: a saída de emergência, a sinalização, iluminação, os extintores e como são armazenados os artefatos. “O Corpo de Bombeiros avalia no que tange a segurança contra incêndio e emergência", completou o capitão.

Atenção redobrada

A primeira coisa a se constatar na compra de fogos de artifício é se o estabelecimento tem o certificado de licença emitido pelo Corpo de Bombeiros ou pelo Exército Brasileiro, responsáveis por esse controle. A data de validade dos artefatos, as informações do fabricante e as orientações para que se evite acidentes também são fundamentais na hora da compra, além das limitações do produto contidos na embalagem e o selo do Inmetro.

É preciso estar atento, porque o uso incorreto desses objetos pode ocasionar incidentes, como queimaduras ou até ferimentos fatais. O consumo de bebida alcoólica associado à manipulação de fogos de artifício é outra preocupação dos Bombeiros. É considerado extremamente arriscado soltar fogos se a pessoa estiver tomando medicamento controlado, ou se tiver ingerido bebida alcoólica, pois não estará com equilíbrio emocional necessário para a prática.

Em caso de acidentes

A cada 10 pessoas que soltam fogos, uma acaba se acidentando. Em caso de queimaduras, a vítima deve solicitar uma viatura resgate por meio do serviço 192 ou 193. Para aliviar a dor, recomenda-se mergulhar a parte queimada em água corrente e não utilizar produtos como creme dental, manteiga, entre outros. O auxílio médico precisa ser solicitado com urgência. Em casos de estabelecimentos irregulares, a denúncia pode ser feita no número: 3272-7350.

Policia Militar do Amazonas confirma paralisação dos serviços no Estado

A Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam) confirmou a paralisação dos policiais militares do Amazonas nesta quarta-feira (14) a partir das 19h. Segundo o presidente da Apeam, Gerson Feitosa, a paralisação das atividades vai durar três dias e acontecerá em todos os municípios do Estado, como Manaus, Tabatinga, Tefé, Coari, Iranduba, Humaitá, Parintins, Itacoatiara e Manacapuru. Além da PM, os oficiais do Corpo de Bombeiros também participarão da greve.