Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sábado, 08 Mai 2021

30 milhões de mulheres empreendem no Brasil

Inúmeras pesquisas apontando que empresas geridas por mulheres crescem mais.

Começando devagar: o MVP

O MVP não significa que você não acredita no seu produto/serviço, mas que antes você quer testar para fazer investimentos maiores

Como vai ficar a sua retrospectiva?

Acredito que o exercício da retrospectiva seja positivo para aqueles que querem entender o que podem fazer diferente.

Como fica o nosso tempo?

"Precisamos adaptar rotinas e espaços para um melhor aproveitamento do trabalho e da produtividade."

O que eu faria se quisesse abrir um negócio em 2020

Bom, antes de começar, quero deixar claro que as informações abaixo são bem pessoais. Obviamente, cada pessoa tem uma forma diferente de pensar e, principalmente, uma bagagem de conhecimento e experiência distinta. 

Certamente existe uma sequência recomendada para quem quer estruturar o começo de uma nova jornada empreendedora. Não significa também que essa sequência seja uma fórmula mágica e que todos terão sucesso se colocarem em prática todos esses passos.

Enfim, sem mais delongas, seguem os passos: 

1. Eu começaria reforçando o porquê a minha ideia é boa mesmo. Atuando como “advogado do diabo” sabe? Questionando se o produto/serviço é bom, se eu sei fazer, como isso me daria retorno, quanto eu deveria fazer/produzir para ter lucro e outros questionamentos. Sem dúvidas que responder essas perguntas pode virar um sabotador e frear o andamento do negócio. Então é preciso ter cuidado para não ficar “obcecado” com as perguntas e manter o foco na execução;

Foto: Pixabay

2. Obviamente, é essencial pensar na missão, visão e valores do negócio. Metas e objetivos para o ano. Isso deve ser o norte para toda a operação. A partir disso, é possível enxergar o que deve ser feito, mantido e mudado;

3. Na sequência: calcularia os custos de produção/execução, insumos, estruturas (aluguel e outras despesas corrente), possíveis impostos, funcionários (se forem necessários) e, principalmente, um pró-labore;

4. Assim, poderia pensar nas melhores formas de atingir o público-alvo. Lembre-se que não ter um público específico demanda um maior custo para atingir pessoas diferentes. Ações de marketing mais efetivas trazem excelentes retornos. Gastar tempo “azeitando” é fundamental para qualquer negócio;

5. Por último, não poderia esquecer de colocar a mão na massa. Sem execução e sem trabalhar duro, nem a estratégia mais perfeita vai trazer grandes resultados. 

Perceba que, mesmo um pouco trabalhoso, todos os passos podem ser executados sem muita complicação mas demandam algo fundamental: foco. 

Pode acontecer de você não fazer nada do que mencionei nesse texto e mesmo assim ter um sucesso enorme. Muitas variáveis estão envolvidas. Um fator que pode mudar (a qualquer momento) é a sorte. 

A vantagem de se planejar vem justamente de tornar a sorte (ou o acaso) em uma peça menos primordial de sucesso. Esse é o jeito baré de empreender.

Então é Natal, o que você fez?

Tenho certeza que você já deve ter escutado essa música ou, ainda, ter feito piada com ela. Algumas tradições de Natal não mudam. Mas, pegando o embalo da música/pergunta, qual a sua resposta?

Imagine que você tivesse que fazer uma retrospectiva e mostrar para alguém os momentos mais importantes do ano (os bons e ruins). Você se lembraria, com detalhes, deles?

Para a maioria das pessoas, a reposta seria negativa. Poucos podem se lembrar do que foi feito ao longo do ano, talvez uma consulta à rede social possa ajudar com algumas coisas. Sem dúvidas que muita coisa acaba passando batido. 

É bem interessante fazer essa regressão e tentar se recordar das decisões, escolhas e motivações ao longo do ano. Os erros devem aparecer também, mesmo que seja mais fácil lembrar das coisas boas. 

O que você fez para tirar do papel aquela ideia de empreender? O que você fez de diferente para o seu negócio progredir? O que te impediu de agir?

Respostas não tão óbvias devem aparecer, fugir da superficialidade é muito válido nessa hora e isso pode trazer muita luz na direção do que fazer agora.

Não sei qual a cor de vestimenta você deve usar para que comece a empreender (ou fazer um negócio crescer), mas seguem algumas sugestões do que fazer para tirar as ideias do papel:

1. Identifique qual o principal sabotador. Algumas pessoas não empreendem porque não tem tempo, porque tem preguiça ou, talvez, medo. Mergulhar e encontrar essa resposta pode ser trabalhosa, mas dá o direcionamento do que seguir. Eliminando o peso, dá para voar mais alto. 

2. Planejamento! Em todas as áreas: trabalho, saúde, estudos e etc. Você deve, não apenas observar onde quer chegar, porém analisar tudo o que deve ser feito para isso se virar algo real.  

3. Seja o protagonista. Assumir a causa, vestir a camisa e chamar o jogo para si. Podemos usar qualquer uma das expressões clichês. Entregando, não dá para usar velhas desculpas e justificativas para nem dar os primeiros passos. 

Aposto que essas sugestões podem ser aplicadas. Obviamente demandam esforço, dedicação e disciplina. 

Esse é o jeito baré de empreender.  

No ano que vem, vamos cuidar bem do nosso dinheiro

Não é novidade, nove entre dez brasileiros gostariam de cuidar melhor e ter mais dinheiro em 2020. Talvez esse seja um dos desafios nesse mundo contemporâneo. Uma boa gestão financeira virou um desafio hercúleo para muitos em nosso país.

2020 vem aí

Final de ano é uma época muito curiosa. Para muitos, começam os exercícios de pensar em tudo que poderia ter sido diferente no ano corrente. As coisas boas estão lá, as situações menos boas também e, claro, as ruins não poderiam ficar de fora.


Dentro desse exercício, uma parte das pessoas nem ao menos consegue lembrar do que aconteceu durante o ano. Alguns outros não lembram quais eram os planos e objetivos. No fim das contas, que bom que o ano terminou.


É normal, durante esse período do ano, avaliar/pensar em objetivos para o ano vindouro. Afinal de contas, todos temos planos e expectativas que gostaríamos de ver realizadas. E existe algo que começa no mês de Dezembro e faz com que as pessoas fiquem mais otimistas.

Foto: Divulgação
 

Talvez seja natural, um ano termina e como se fosse um livro escrito, podemos fechar essa parte da história e começar outra. Em nosso país, não que seja tabu, mas quase não vemos uma real valorização do planejamento. E isso em diferentes níveis, muita gente não planeja a vida financeira, a saúde física e mental.


Muito menos, o planejamento estratégico de um negócio. Hoje quero comentar a minha percepção sobre o planejamento estratégico e parto da seguinte pergunta-chave: “se eu tivesse um negócio, o que eu faria para 2020?”

A primeira parte de qualquer planejamento, é identificar o motivo da existência do negócio. Qual a missão, visão, valores e como tudo isso pode ficar claro para o meu público?.

Se tiver curiosidade, sempre que entrar em um estabelecimento, procure pelas placas onde são respondidas essas perguntas. Agora, o essencial é perceber se isso realmente está sendo colocado em prática. Infelizmente, muitos negócios colocam as respostas apenas como uma obrigação. E para isso ser respondido, é fundamental entender quem é o público-alvo.

Um negócio (na maioria das vezes) existe para solucionar um problema e trazer benefícios/vantagens aos consumidores do serviço/produto. Sem entender os desejos, anseios, restrições e expectativas do seu público, não tem como dizer que a missão está sendo cumprida.

Além do mais, sem entender quem é o público, como encontrar as melhores ferramentas/plataformas de atração e fidelização? Há muito tempo que isso já é dito. O cliente é a razão principal de negócios existirem, os clientes são oxigênio que permite o crescimento, manutenção e nascimento de novos negócios.

Minha dica para hoje é seguir os 3 passo abaixo:

* Defina a sua missão, visão e valores. O que você quer do seu negócio? Qual o motivo da existência da sua empresa? Como você vai entregar o resultado ao seu cliente?
* Busque identificar as características, necessidades e ambições dos seus clientes. O que ele precisa? Como posso oferecer melhores serviços/produtos?
* Como posso fazer para atingir esse público? Que ferramentas eu posso usar?

Perguntas simples, mas que podem ligar a ignição para o ano novo. E assim, direcionar todo o seu trabalho. Esse é o jeito baré de empreender.

Empreender em casa: como fazer dar certo?

Um dos maiores problemas para quem pensa em começar um negócio está relacionado com o espaço físico. Na hora já pensamos nos custos de aluguel, reforma, infraestrutura e afins. Já bate até uma preocupação em pensar que o negócio nem funciona ainda e já tem um monte de conta para pagar no mês seguinte. E, na hora, surge uma solução: começar a empreender da nossa casa mesmo. Afinal de contas, já existe quase tudo lá. Mesa, cadeira, internet e até um lanchinho na geladeira. Falo por experiência própria, home office pode ser um desafio enorme para dar certo. Mas se der certo, tem tudo para trazer grande retorno. E não falo apenas do aspecto financeiro, mas também de tudo que envolve tempo e qualidade de vida. Como empreender de casa?Antes de tudo, a principal vantagem se dá pelo uso da estrutura que já existe, como eu disse antes. Isso ajuda na execução das estratégias que permitem testar e aprimorar o seu serviço ou produto. Aquele famoso MVP (mínimo produto viável, em inglês) que já falei nessa coluna várias vezes. Outra vantagem é a praticidade, não precisar pegar trânsito para ir para o trabalho. E isso é um grande benefício para quem puder trabalhar de casa. Mas, para isso dar certo, é preciso ter alguns cuidados. Trabalhar de casa pode ser um desafio enorme para quem não conseguir vencer as distrações e ter a disciplina. Em casa, você tem todo o seu conforto, a televisão, a internet, os vizinhos e tudo o que está ao seu redor. É fundamental ter a sabedoria de reservar um espaço em casa para que você possa focar nas suas atividades. Além do mais, tem que ter cuidado com o tempo. Ser produtivo e eficiente podem fazer trazer excelentes retornos, tanto no curto quanto no longo prazo. Duas dicas para cuidar melhor do tempo (e servem não apenas para quem quer empreender): identifique os “ladrões” de tempo e de foco. Eles te roubam esse recurso tão importante nos dias atuais. Pode ser o celular, um amigo, músicas, a geladeira e afins. Isso te atrapalha na manutenção de uma rotina de trabalho. Para se concentrar vale a pena criar metas e rotinas diárias. Começar o dia com uma lista de tarefas ajuda muito na organização e concentração. Em casa ou em um ponto comercial. Vamos tirar as ideias do papel. Esse é o jeito baré de empreender.

Prevenir ou provisionar

Eis que chega uma época do ano em que algumas obrigações surgem e é necessário fazer um desembolso para cumprir os deveres. O final do ano também traz a expectativa de bons negócios, a esperança do resultado melhorar e a certeza que ainda tem muito chão para quem está começando um negócio (e para quem já tem um negócio em fase de maturação mais avançada).

Empreender: uma jornada de autoconhecimento

Autoconhecimento ainda é um tema muito distante da timeline de muitas pessoas. Para alguns ainda é taxado como “frescura”, acreditam firmemente no determinismo e que as coisas acontecem porquê deveriam acontecer. 

Os pilares da felicidade

Felicidade é um tema tão abrangente e ao mesmo tempo, para alguns, algo simples de ser respondido. Já existem estudos em faculdades renomadas falando sobre isso, muitos deles evidenciando que felicidade e dinheiro caminham juntos. 

Conheça o seu cliente

É tão legal quando você vai até um estabelecimento e é bem atendido, quando você é cumprimentado e chamado pelo nome. Melhor ainda quando esse atendimento vai além da sua expectativa.

Criando crianças empreendedoras

Nesse último final de semana foi comemorado o Dia das Crianças, uma data muito esperada pelos participantes econômicos e que, para muitos negócios, está entre os 3 maiores eventos impulsionadores do ano.

Lá se vão 10 anos do programa Microempreendedor Individual

Nesse ano de 2019, uma das maiores iniciativas feitas para fomentar a regularização e estimular o empreendedorismo em nosso país comemora 10 anos. E o que antes era uma tentativa de diminuir os índices de informalidade, hoje atende uma grande parte da população que viu no programa a possibilidade de se manter competitivo no mercado de trabalho. 

Como alavancar um negócio

Essa semana, pedi para que os seguidores enviassem perguntas pelo Instagram e recebi o seguinte questionamento: como alavancar um negócio? 

Vale a pena se endividar?

Passada mais uma reunião do COPOM, o Comitê de Política Monetária, temos agora a SELIC em 5,5%, o menor patamar da taxa de juros no Brasil. Como já falei anteriormente, essa taxa de juros vai influenciar os juros cobrados pelos bancos. 

Quando o milagre é muito, desconfie do santo

Esse é um assunto que atinge não apenas empreendedores, mas a população em geral. Nos últimos meses tenho visto uma grande oferta de investimentos milagrosos com rentabilidades astronômicas e resultados imediatos. 

Indicadores de sucesso

Na última semana, falei sobre a importância de ter uma ideia do valor que o seu negócio precisa gerar e de que forma você pode enxergar isso através de alguns indicadores. 

Quanto você quer ganhar?

Já sabemos que empreender implica em riscos, eventuais problemas e momentos turbulentos. Sabemos também que começar um negócio é uma relação comercial, uma troca, e, sendo assim, deve valer todo o esforço e sacrifício realizado.