Publicidade

Atualidades

Home > Noticias > null

Bombeiros alertam para uso correto de fogos por crianças e adultos em festas juninas 1

Crianças inexperientes e pessoas embriagadas oferecem risco de acidentes

Portal Amazônia, com informações do Governo de Rondônia

jornalismo@portalamazonia.com


Junho calmo, alegre e sem problemas. Esta é a expectativa de todos os porto-velhenses para festanças que tradicionalmente se estenderão aos meses de julho, agosto, setembro e, possivelmente, até outubro.


A Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia dá dicas para se evitar situações desagradáveis. “Felizmente não temos ocorrências graves de algum tempo para cá”, frisou o coordenador desse órgão, capitão bombeiro Mário Vergotti.
     
Foto:Divulgação/Governo Rondônia
 


Ele alerta a respeito do mau uso de fogos de artifício como causador de acidentes corporais, alguns com lesões gravíssimas. “Queimaduras podem levar à perda de membros e da visão”, lembrou.


Promotores de eventos com pirotecnia devem contratar profissionais habilitados, os conhecidos blasters. Todo evento tem que ter projeto orientado e autorizado pela DAT. 


Primeira recomendação: compre fogos em lojas certificadas pelo Corpo de Bombeiros. O capitão alerta, uma vez mais, para o perigo do comércio clandestino.


Segunda: na compra, a pessoa deve ler bem o rótulo com indicações de cada tipo de fogo de artifício. Cada um – estalinhos, traques, etc – tem uma forma de uso. “Fogos classe B só devem ser manuseados por adultos, enquanto os de classes C e D, apenas por profissionais habilitados”, disse Vergotti.


Terceira: soltar fogos somente em locais abertos, nunca abaixo de telhados, coberturas e alpendres, e sempre afastado de árvores e fiações. “Nunca direcione o fogo para espaços públicos e evite soltá-lo sob o efeito de substância alcoólica”, advertiu o coordenador.


“Quando se tratar de criança, assisti-la o tempo todo, sempre verificando o indicativo de idade na caixa (embalagem) do produto”, recomendou Vergotti.

     
Foto:Divulgação/Governo de Rondônia
 


No caso de shows pirotécnicos, seus responsáveis necessitam dar entrada na documentação com dez dias de antecedência, apresentando projeto pelo qual são avaliadas áreas de risco: proximidade de asilos, escolas, hospitais, locais de reunião de público e postos de combustíveis, principalmente.


O mais grave acidente


O mais grave acidente na capital rondoniense ocorreu em quatro de dezembro de 2005, quando 37 pessoas ficaram feridas após a explosão de um rojão na festa em frente à catedral Sagrado Coração de Jesus. Era a inauguração do sistema de iluminação natalina da igreja. Parte de um rojão caiu no meio do público, estimado pelos bombeiros em 5 mil pessoas.


No apavoramento, as pessoas correram, muitas foram pisoteadas.

Atualidades

Bombeiros alertam para uso correto de fogos por crianças e adultos em festas juninas 1

Crianças inexperientes e pessoas embriagadas oferecem risco de acidentes

Portal Amazônia, com informações do Governo de Rondônia

jornalismo@portalamazonia.com


Junho calmo, alegre e sem problemas. Esta é a expectativa de todos os porto-velhenses para festanças que tradicionalmente se estenderão aos meses de julho, agosto, setembro e, possivelmente, até outubro.


A Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia dá dicas para se evitar situações desagradáveis. “Felizmente não temos ocorrências graves de algum tempo para cá”, frisou o coordenador desse órgão, capitão bombeiro Mário Vergotti.
     
Foto:Divulgação/Governo Rondônia
 


Ele alerta a respeito do mau uso de fogos de artifício como causador de acidentes corporais, alguns com lesões gravíssimas. “Queimaduras podem levar à perda de membros e da visão”, lembrou.


Promotores de eventos com pirotecnia devem contratar profissionais habilitados, os conhecidos blasters. Todo evento tem que ter projeto orientado e autorizado pela DAT. 


Primeira recomendação: compre fogos em lojas certificadas pelo Corpo de Bombeiros. O capitão alerta, uma vez mais, para o perigo do comércio clandestino.


Segunda: na compra, a pessoa deve ler bem o rótulo com indicações de cada tipo de fogo de artifício. Cada um – estalinhos, traques, etc – tem uma forma de uso. “Fogos classe B só devem ser manuseados por adultos, enquanto os de classes C e D, apenas por profissionais habilitados”, disse Vergotti.


Terceira: soltar fogos somente em locais abertos, nunca abaixo de telhados, coberturas e alpendres, e sempre afastado de árvores e fiações. “Nunca direcione o fogo para espaços públicos e evite soltá-lo sob o efeito de substância alcoólica”, advertiu o coordenador.


“Quando se tratar de criança, assisti-la o tempo todo, sempre verificando o indicativo de idade na caixa (embalagem) do produto”, recomendou Vergotti.

     
Foto:Divulgação/Governo de Rondônia
 


No caso de shows pirotécnicos, seus responsáveis necessitam dar entrada na documentação com dez dias de antecedência, apresentando projeto pelo qual são avaliadas áreas de risco: proximidade de asilos, escolas, hospitais, locais de reunião de público e postos de combustíveis, principalmente.


O mais grave acidente


O mais grave acidente na capital rondoniense ocorreu em quatro de dezembro de 2005, quando 37 pessoas ficaram feridas após a explosão de um rojão na festa em frente à catedral Sagrado Coração de Jesus. Era a inauguração do sistema de iluminação natalina da igreja. Parte de um rojão caiu no meio do público, estimado pelos bombeiros em 5 mil pessoas.


No apavoramento, as pessoas correram, muitas foram pisoteadas.


TAG Corpo de BombeirosrondoniaPorto Velho