Publicidade

Gastronomia

Aprenda a fazer um dindin gourmet com o gostinho da Amazônia

Na busca de inovar, microempreendedora Thayenne Stacy, uniu o sabor das frutas regionais com a cremosidade de outros alimentos

Diego Oliveira e Matheus Monteiro

jornalismo@portalamazonia.com


Dindin, geladinho, flau, chope ou chupe-chupe, na Amazônia ele tem vários nomes, mas o objetivo é o mesmo, refrescar no intenso calor da região. Em Manaus, a microempresária Thayenne Stacy decidiu apostar nos dindins para fazer uma grana extra, e crio junto com amigas a marca 'Dindins Gela Guela'. Em entrevista ao Portal Amazônia, Thayenne falou sobre a iniciativa de fugir da crise, e também, ensina aos internautas uma receita de dindin de cupuaçu. 

 
Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 


Thayenne é corretora de imóveis que nas horas vagas é uma microempreendedora no ramo de dindins. Segundo ela, esse nem sempre foi o plano. Na procura de uma segunda renda, pensou com duas amigas um modelo de negócio. Primeiro, o trio idealizou uma empresa de eventos infantis, mas não conseguiram chegar em um consenso, em seguida, pensaram em vender lasanhas delivery, que também não saiu do papel. Pesquisando na internet, Thayenne achou o projeto ideal: vender dindins 'gourmetizados'.


De acordo com a microempreendedora, o nome, Gela Guela, começou como uma brincadeira, mas por ter achado engraçado, ela e as amigas acolheram e iniciaram a produção. Depois de um tempo, Thayenne passou a tocar o negócio sozinha. “A maior dificuldade é a entrega. A ideia é de um dindin delivery, e às vezes, não consigo atender a demanda, ainda mais com o preço da gasolina”, garantiu.

Outro diferencial do negócio de Thayenne é fazer dindin para eventos, como aniversários, casamentos e afins. Todos os pedidos podem ser feitos pela página do Gela Guela no instagram. “Infelizmente, não vivo apenas de dindin. Por enquanto, só faço por encomenda, então, o cliente pode ligar com até dois dias de antecedência e realizar os pedidos”, explicou Thaynne, que ainda trabalha como corretora de imóveis.


Sabores regionais com um toque diferenciado


Na busca por inovar e trazer algo diferente ao Manauara, Thayenne se afasta dos sabores mais tradicionais. Ela une o sabor das frutas com a cremosidade de elementos como nutella, brigadeiro, biscoitos, leite em pó, entre outros. “Um clássico que sempre faz sucesso é o de cupuaçu, os turistas adoram, principalmente, o misturado com brigadeiro”, disse.


E aí? Já pensou em fazer a receita de dindin de cupuaçu com brigadeiro. Confira a receita exclusiva no Portal Amazônia:


Gastronomia

Home > Cultura > null

Aprenda a fazer um dindin gourmet com o gostinho da Amazônia

Na busca de inovar, microempreendedora Thayenne Stacy, uniu o sabor das frutas regionais com a cremosidade de outros alimentos

Diego Oliveira e Matheus Monteiro

jornalismo@portalamazonia.com


Dindin, geladinho, flau, chope ou chupe-chupe, na Amazônia ele tem vários nomes, mas o objetivo é o mesmo, refrescar no intenso calor da região. Em Manaus, a microempresária Thayenne Stacy decidiu apostar nos dindins para fazer uma grana extra, e crio junto com amigas a marca 'Dindins Gela Guela'. Em entrevista ao Portal Amazônia, Thayenne falou sobre a iniciativa de fugir da crise, e também, ensina aos internautas uma receita de dindin de cupuaçu. 

 
Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 


Thayenne é corretora de imóveis que nas horas vagas é uma microempreendedora no ramo de dindins. Segundo ela, esse nem sempre foi o plano. Na procura de uma segunda renda, pensou com duas amigas um modelo de negócio. Primeiro, o trio idealizou uma empresa de eventos infantis, mas não conseguiram chegar em um consenso, em seguida, pensaram em vender lasanhas delivery, que também não saiu do papel. Pesquisando na internet, Thayenne achou o projeto ideal: vender dindins 'gourmetizados'.


De acordo com a microempreendedora, o nome, Gela Guela, começou como uma brincadeira, mas por ter achado engraçado, ela e as amigas acolheram e iniciaram a produção. Depois de um tempo, Thayenne passou a tocar o negócio sozinha. “A maior dificuldade é a entrega. A ideia é de um dindin delivery, e às vezes, não consigo atender a demanda, ainda mais com o preço da gasolina”, garantiu.

Outro diferencial do negócio de Thayenne é fazer dindin para eventos, como aniversários, casamentos e afins. Todos os pedidos podem ser feitos pela página do Gela Guela no instagram. “Infelizmente, não vivo apenas de dindin. Por enquanto, só faço por encomenda, então, o cliente pode ligar com até dois dias de antecedência e realizar os pedidos”, explicou Thaynne, que ainda trabalha como corretora de imóveis.


Sabores regionais com um toque diferenciado


Na busca por inovar e trazer algo diferente ao Manauara, Thayenne se afasta dos sabores mais tradicionais. Ela une o sabor das frutas com a cremosidade de elementos como nutella, brigadeiro, biscoitos, leite em pó, entre outros. “Um clássico que sempre faz sucesso é o de cupuaçu, os turistas adoram, principalmente, o misturado com brigadeiro”, disse.


E aí? Já pensou em fazer a receita de dindin de cupuaçu com brigadeiro. Confira a receita exclusiva no Portal Amazônia:

TAG manausamazonasdindindindin manausreceita