Saúde

MPF investiga existência de focos da doença de mormo em Rondônia

Mormo, ou lamparão, é uma doença crônica infecto-contagiosa que atinge principalmente equídeos, mas pode ser contraída por outros mamíferos como cães, gatos e até o homem

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


O Ministério Público Federal (MPF) em Rondônia abriu inquérito para apurar se existem, ou existiram, focos da doença de mormo no estado.

 

Foto:Reprodução/Shutterstock

 

Mormo, ou lamparão, é uma doença crônica infecto-contagiosa que atinge principalmente equídeos, mas em casos excepcionais pode ser contraída por outros mamíferos como cães, gatos e até o homem.

Os principais sintomas são febre, fadiga, fraqueza extrema, sangramentos nasais e anorexia. A transmissão é feita por contato com fluidos corporais como fezes, urina, secreção nasal e pus de animais doentes. Em certos casos, pode ser fatal.

A preocupação do Ministério Público é que o trânsito de equídeos no estado possa infectar outros animais. A investigação foi aberta por causa de denúncias anônimas que alegam a existência de possíveis focos da doença em alguns pontos de Rondônia.

Com a instauração do inquérito, um ofício será encaminhado ao Ministério da Agricultura para questionar, até o dia 31 de agosto, se os focos realmente existem. Assim, serão especificados os municípios onde estão os focos e quais medidas deverão ser tomadas para erradicá-los.

 

*Deixe o Portal Amazônia com a sua cara. Clique aqui e participe.


Saúde

MPF investiga existência de focos da doença de mormo em Rondônia

Mormo, ou lamparão, é uma doença crônica infecto-contagiosa que atinge principalmente equídeos, mas pode ser contraída por outros mamíferos como cães, gatos e até o homem

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


O Ministério Público Federal (MPF) em Rondônia abriu inquérito para apurar se existem, ou existiram, focos da doença de mormo no estado.

 

Foto:Reprodução/Shutterstock

 

Mormo, ou lamparão, é uma doença crônica infecto-contagiosa que atinge principalmente equídeos, mas em casos excepcionais pode ser contraída por outros mamíferos como cães, gatos e até o homem.

Os principais sintomas são febre, fadiga, fraqueza extrema, sangramentos nasais e anorexia. A transmissão é feita por contato com fluidos corporais como fezes, urina, secreção nasal e pus de animais doentes. Em certos casos, pode ser fatal.

A preocupação do Ministério Público é que o trânsito de equídeos no estado possa infectar outros animais. A investigação foi aberta por causa de denúncias anônimas que alegam a existência de possíveis focos da doença em alguns pontos de Rondônia.

Com a instauração do inquérito, um ofício será encaminhado ao Ministério da Agricultura para questionar, até o dia 31 de agosto, se os focos realmente existem. Assim, serão especificados os municípios onde estão os focos e quais medidas deverão ser tomadas para erradicá-los.

 

*Deixe o Portal Amazônia com a sua cara. Clique aqui e participe.

TAG saudemormodoencaMPFRondonia