Publicidade

Internacional

Carro explode em escola da polícia na Colômbia

Segundo o Ministério da Defesa colombiano, os feridos estão recebendo atendimento no Hospital Policlínica da Polícia Nacional

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


Um carro-bomba foi detonado no estacionamento da Academia-Geral de Polícia Francisco de Paula Santander, onde se formam os oficiais da Polícia Nacional colombianos, em Bogotá. Pelo menos nove pessoas morreram e 54 ficaram feridas. O governo do país identificou José Aldemar Rojas Rodríguez como autor do atentado. O anúncio foi feito, há pouco, em pronunciamento oficial transmitido pelas redes sociais. 

Segundo o procurador-geral, Néstor Humberto Martínez, Rodríguez entrou na escola em um carro cinza, por volta das 9h30. Foram usados no atentado desta quinta-feira (17) 80 quilos de material explosivo. O autor do atentado está entre os mortos, informou a imprensa local. 


     
Foto: Agência Brasil/Reprodução
 

"Este é um ataque a um centro acadêmico onde havia jovens estudantes desarmados. É um ataque não só contra a juventude e não só contra a força pública e nossas polícias, é contra toda a sociedade. Esst ato terrorista não ficará impune", disse o presidente da Colômbia, Iván Duque. E acrescentou: "Os colombianos nunca nos submetemos ao terrorismo, sempre o derrotamos. Essa não será exceção."

Duque convocou toda a população a colaborar com as investigações e pediu que, se alguém tivesse alguma informação, entrasse em contato com a rede de participação cívica, pelo número local 123. 

Autoridades colombianas, pelas redes sociais, lamentaram o ocorrido e condenaram o ataque. O assunto está entre os mais comentados no Twitter, tanto no ranking mundial quanto no brasileiro. 

Em nota, a Organização das Nações Unidas (ONU) condenou o ataque, e a Oficina da ONU na Colombia afirmou que o atentado “é um ato criminoso absolutamente inaceitável, que vai contra os esforços que vêm sendo feitos no país para o combate à violência e o trabalho de diferentes setores para um futuro mais próspero e pacífico". 

Segundo o Ministério da Defesa colombiano, os feridos estão recebendo atendimento no Hospital Policlínica da Polícia Nacional.

Internacional

Home > Noticias > null

Carro explode em escola da polícia na Colômbia

Segundo o Ministério da Defesa colombiano, os feridos estão recebendo atendimento no Hospital Policlínica da Polícia Nacional

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


Um carro-bomba foi detonado no estacionamento da Academia-Geral de Polícia Francisco de Paula Santander, onde se formam os oficiais da Polícia Nacional colombianos, em Bogotá. Pelo menos nove pessoas morreram e 54 ficaram feridas. O governo do país identificou José Aldemar Rojas Rodríguez como autor do atentado. O anúncio foi feito, há pouco, em pronunciamento oficial transmitido pelas redes sociais. 

Segundo o procurador-geral, Néstor Humberto Martínez, Rodríguez entrou na escola em um carro cinza, por volta das 9h30. Foram usados no atentado desta quinta-feira (17) 80 quilos de material explosivo. O autor do atentado está entre os mortos, informou a imprensa local. 


     
Foto: Agência Brasil/Reprodução
 

"Este é um ataque a um centro acadêmico onde havia jovens estudantes desarmados. É um ataque não só contra a juventude e não só contra a força pública e nossas polícias, é contra toda a sociedade. Esst ato terrorista não ficará impune", disse o presidente da Colômbia, Iván Duque. E acrescentou: "Os colombianos nunca nos submetemos ao terrorismo, sempre o derrotamos. Essa não será exceção."

Duque convocou toda a população a colaborar com as investigações e pediu que, se alguém tivesse alguma informação, entrasse em contato com a rede de participação cívica, pelo número local 123. 

Autoridades colombianas, pelas redes sociais, lamentaram o ocorrido e condenaram o ataque. O assunto está entre os mais comentados no Twitter, tanto no ranking mundial quanto no brasileiro. 

Em nota, a Organização das Nações Unidas (ONU) condenou o ataque, e a Oficina da ONU na Colombia afirmou que o atentado “é um ato criminoso absolutamente inaceitável, que vai contra os esforços que vêm sendo feitos no país para o combate à violência e o trabalho de diferentes setores para um futuro mais próspero e pacífico". 

Segundo o Ministério da Defesa colombiano, os feridos estão recebendo atendimento no Hospital Policlínica da Polícia Nacional.

TAG colombiaatentadoAcademia-Geral de Polícia Francisco de Paula Santander