Variedades

Me rouba logo: assalto inspira jogo em Macapá

Jogo foi desenvolvido a partir da publicação de uma foto, que mostra um assalto em ponto turístico da capital amapaense


Motivado pela necessidade de produzir um trabalho acadêmico e provocado pela insegurança da cidade, o estudante universitário Danillo Nobre, de 25 anos desenvolveu um jogo para celular que reúne cenários considerados perigosos em Macapá, e tem por objetivo “eliminar” os assaltantes do jogo, evitando que pratiquem crimes.

 

Segundo Danillo, o jogo nasceu inspirado em uma foto que mostra um homem com um revólver nas mãos, cometendo um assalto a um jovem de 17 anos, meses atrás, na capital do Amapá. Após o caso, o homem se apresentou à delegacia e confessou o crime, mas foi liberado por não ter mandado de prisão e nem ter sido em flagrante. A foto viralizou e circulou como meme na cidade.

 

 

 

Foto: Reprodução / Rede Amazônica

 


O jogo para celular tem por nome “Me Rouba Logo”, gíria conhecida dos amazônidas para casos de possíveis assaltos. Para jogar, é necessário atirar nos assaltantes que surgem na tela, e ao longo das fases, evitar que crimes sejam praticados, fases essas que retratam pontos turísticos considerados perigosos na cidade.
 

 

 

Foto: Danillo Nobre / Acervo pessoal

 



Para Danillo, que já foi assaltado várias vezes, a proposta do jogo, além de entreter, é mostrar a indignação dele com relação a insegurança na cidade, “foi a forma que eu percebi que poderia provocar a sociedade a perceber ao ponto que chegamos com a insegurança, pois antes eu poderia falar que a violência estava longe de mim, mas agora não, pois a insegurança e o medo tomam conta de nós, uma realidade não só de Macapá, mas sim todo o lugar,” disse.

Perguntado sobre a repercussão do aplicativo, Danillo se mostra surpreso, pois não esperava esse sucesso. “Eu entreguei o aplicativo ao professor e ele gostou muito, então resolvi disponibilizar para que a população pudesse usar, e até agora só tenho recebido críticas positivas, o comentário das pessoas são só elogios,” completou.

 

 

 

Foto: Divulgação

 

 

O jogo foi desenvolvido na plataforma android e ainda está em análise pelo Google Play, para poder ser disponibilizado na loja de aplicativos, mas enquanto isso para ter o jogo, basta acessar o perfil de Danillo nas redes sociais, que ele disponibilizou o link para download.


Variedades

Me rouba logo: assalto inspira jogo em Macapá

Jogo foi desenvolvido a partir da publicação de uma foto, que mostra um assalto em ponto turístico da capital amapaense

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Motivado pela necessidade de produzir um trabalho acadêmico e provocado pela insegurança da cidade, o estudante universitário Danillo Nobre, de 25 anos desenvolveu um jogo para celular que reúne cenários considerados perigosos em Macapá, e tem por objetivo “eliminar” os assaltantes do jogo, evitando que pratiquem crimes.

 

Segundo Danillo, o jogo nasceu inspirado em uma foto que mostra um homem com um revólver nas mãos, cometendo um assalto a um jovem de 17 anos, meses atrás, na capital do Amapá. Após o caso, o homem se apresentou à delegacia e confessou o crime, mas foi liberado por não ter mandado de prisão e nem ter sido em flagrante. A foto viralizou e circulou como meme na cidade.

 

 

 

Foto: Reprodução / Rede Amazônica

 


O jogo para celular tem por nome “Me Rouba Logo”, gíria conhecida dos amazônidas para casos de possíveis assaltos. Para jogar, é necessário atirar nos assaltantes que surgem na tela, e ao longo das fases, evitar que crimes sejam praticados, fases essas que retratam pontos turísticos considerados perigosos na cidade.
 

 

 

Foto: Danillo Nobre / Acervo pessoal

 



Para Danillo, que já foi assaltado várias vezes, a proposta do jogo, além de entreter, é mostrar a indignação dele com relação a insegurança na cidade, “foi a forma que eu percebi que poderia provocar a sociedade a perceber ao ponto que chegamos com a insegurança, pois antes eu poderia falar que a violência estava longe de mim, mas agora não, pois a insegurança e o medo tomam conta de nós, uma realidade não só de Macapá, mas sim todo o lugar,” disse.

Perguntado sobre a repercussão do aplicativo, Danillo se mostra surpreso, pois não esperava esse sucesso. “Eu entreguei o aplicativo ao professor e ele gostou muito, então resolvi disponibilizar para que a população pudesse usar, e até agora só tenho recebido críticas positivas, o comentário das pessoas são só elogios,” completou.

 

 

 

Foto: Divulgação

 

 

O jogo foi desenvolvido na plataforma android e ainda está em análise pelo Google Play, para poder ser disponibilizado na loja de aplicativos, mas enquanto isso para ter o jogo, basta acessar o perfil de Danillo nas redes sociais, que ele disponibilizou o link para download.

TAG MacapáAmapaJogosgíriassmartphone