Agenda

Grupo ArtBitches se apresenta em Boa Vista com espetáculo de dança

O espetáculo tem como objetivo promover debates sobre diversidade e transmitir uma mensagem de empoderamento


Boa Vista recebe na próxima quarta-feira (17) o espetáculo de dança 'I am funk' do grupo ArtBitches, do Rio de Janeiro. O evento ocorre a partir das 19h, no auditório do Centro Amazônico de Fronteira da Universidade Federal de Roraima (UFRR). A entrada é gratuita.

Segundo um dos organizadores, Francisco Eduardo, o espetáculo tem como objetivo promover debates sobre diversidade e transmitir uma mensagem de empoderamento aos movimentos LGBTQ+, feminista, negro e outros.


   
Foto: Divulgação
 

“Além de um espetáculo de dança, é um ato político, um grito do movimento LGBTQ+, do feminismo e fala sobre a erotização do corpo negro e da marginalização do funk”, disse.

Com duração de 45 minutos, a apresentação foi montada e estudada dentro das expressões artísticas da favela do Rio de Janeiro. Ao fim do ato, os dançarinos irão fazer uma roda de conversa com o público para falar sobre inspirações e processo criativo.

“É um espetáculo sensorial, para causar reflexões e diferentes emoções no público”, comentou Eduardo.

“I am funk” é o primeiro ato da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos) em Roraima em parceria com o centro acadêmico de jornalismo da UFRR.

Agenda

Home > Cultura > null

Grupo ArtBitches se apresenta em Boa Vista com espetáculo de dança

O espetáculo tem como objetivo promover debates sobre diversidade e transmitir uma mensagem de empoderamento

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Boa Vista recebe na próxima quarta-feira (17) o espetáculo de dança 'I am funk' do grupo ArtBitches, do Rio de Janeiro. O evento ocorre a partir das 19h, no auditório do Centro Amazônico de Fronteira da Universidade Federal de Roraima (UFRR). A entrada é gratuita.

Segundo um dos organizadores, Francisco Eduardo, o espetáculo tem como objetivo promover debates sobre diversidade e transmitir uma mensagem de empoderamento aos movimentos LGBTQ+, feminista, negro e outros.


   
Foto: Divulgação
 

“Além de um espetáculo de dança, é um ato político, um grito do movimento LGBTQ+, do feminismo e fala sobre a erotização do corpo negro e da marginalização do funk”, disse.

Com duração de 45 minutos, a apresentação foi montada e estudada dentro das expressões artísticas da favela do Rio de Janeiro. Ao fim do ato, os dançarinos irão fazer uma roda de conversa com o público para falar sobre inspirações e processo criativo.

“É um espetáculo sensorial, para causar reflexões e diferentes emoções no público”, comentou Eduardo.

“I am funk” é o primeiro ato da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos) em Roraima em parceria com o centro acadêmico de jornalismo da UFRR.

TAG boa vistaArtBitchesdanca