Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 29 Mai 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/

Maria da Glória e Brígido Nogueira: uma história de vida bem construída

Maria da Glória e Brígido Nogueira: uma história de vida bem construída
O dia era 28 o mês dezembro e o ano 1930, em Caapiranga no interior do Amazonas, nascia Maria da Glória Queiroz de Nogueira. Aos cinco anos de idade perdeu a sua mãe no parto de um de seus irmãos gêmeos e logo aos onze anos perderia seu pai. Maria da Glória morou por um período com sua avó materna e mais tarde, moraria de favor em casas diferentes, sempre reversando o espaço com as demais primas órfãs. 
Maria da Glória e Brígido. Foto: Arquivo da família

Aos treze anos de idade movida por muitos sonhos mudou-se para Manaus e, foi viver com uma de suas primas, Eliza, que na época era doze anos mais velha, pessoa a quem Maria da Glória a considera como mãe. Aos vinte anos deu um novo passo na sua vida, casou-se com o jovem Brígido que tinha como profissão Alfaiate, com quem teve quinze filhos e, seu coração generoso lhe permitiu adotar mais três filhos.


Sonhar e acreditar. Dessas duas qualidades resultam as realizações sociais e os afazeres do espírito humano, fatores indispensáveis para a perpetuação das aspirações enobrecedoras e a construção de possibilidades efetivas para a existência humana. Toda geração forja novos padrões, valores e atitudes sobre a vida e a sociedade em que vivem. Esses caminhos que se descortinam resultam do entusiasmo, da fé e da crença de um amanhã melhor que se constroem com amor, doação e muito trabalho.
15 anos de Fátima. Foto: Arquivo de família

A existência de Maria da Glória é fruto do diálogo de seu passado e das projeções em relação a tudo que ela planejou na vida. Mais é no presente que ela guarda na memória os alicerces que ela construiu e estabeleceu para o futuro. Sua existência é a prova de suas ações humanas e que foram tecidas a partir da sua vontade e da decisão de realizar tudo aquilo que pulsou no seu coração e na sua consciência. É verdade as vitórias conquistadas por ela lhe trouxeram contentamento, mas, a sua luta lhe fizeram refletir e acresceram-lhe experiências necessárias até os dias atuais.


O casal dedicou suas vidas para educar seus filhos, homens e mulheres do bem. Não foi fácil, o dinheiro na época era escasso e tudo dividido. O mesmo uniforme escolar que era usado por um filho pela manhã precisava manter-se limpo para que o outro irmão o pudesse utilizar no período da tarde. As roupas dos irmãos mais velhos, eram as que vestiam os irmãos mais jovens. A refeição laborada com muito amor, exatamente com o que eta possível ter e generosamente partilhada minuciosamente em partes iguais. Velava o sono das crianças em um colchão de palha que normalmente dormiam três crianças.
Fotos mostram a trajetória de Maria da Glória. Foto: Arquivo de família


Na verdade, a maior herança desses espíritos esclarecidos e altivos é o exemplo que deixam para seus descendentes e todos aqueles que se aglutinam em sua volta, especialmente para os mais jovens, de que transformar sonhos em realidade não é impossível. A história exemplar de Maria da Glória é ilustrativa da capacidade de superação e realização do ser humano, ela ainda muito jovem buscou Manaus ao encontro de suas miragens e conquistas, foi forte para vencer o desconhecido, superou seus próprios limites e construiu uma história vitoriosa e edificante.


Contam alguns de seus filhos que, entre as brechas da casa de madeira, que guardaram silenciosamente os dias de luta, se podia ouvir as conversas do casal preocupados com o que haveriam de servir a mesa no dia seguinte ou até como fariam para comprar os medicamentos daquele filho enfermo


Senhor Brígido e dona Glória como eram conhecidos, não beberam da fonte do conhecimento escolar, afinal tiveram poucos anos de estudo, completaram a oitava e quarta série do ensino fundamental respectivamente, porém, dava enorme valor na condução dos filhos ao ensino, formação moral e religiosa, diziam aos seus filhos, com muita frequência, que o estudo era a única coisa que ninguém jamais lhe poderiam tirar e por isso, os educaram com rigor, disciplina e muito amor.
Primeira comunhão da Neide. Foto: Arquivo da família

Dona Glória sempre atenta, acompanhava de perto o andamento das crianças na escola. Ia a todas as reuniões de pais e mestres e encontrava tempo para checar o caderno se estava preenchido mesmo sem saber as respostas se estava correta. Seu Brígido em sua mesa de costura, talhava com precisão suas encomendas de ternos e camisas, afinal, aquele honroso trabalho mantinha o sustento da casa. Valeu à pena seu Brígido e dona Glória. Os anos passaram-se, as crianças cresceram.


Hoje, dezesseis dos dezoito filhos, concluíram suas faculdades e muitos conquistaram títulos acadêmicos de mestrado e doutorado. Dentre eles existem atualmente presidentes de multinacionais, dedicados Servidores Públicos em altos cargos em suas carreiras, Odontólogos, Promotores de Justiça, Assistentes Sociais, Psicólogos, Empresários, Engenheiros, Economistas e Advogados, todos destacados em suas respectivas áreas.
Celebrando na Aparecida. Foto: Arquivo da família

Foi nesse ambiente de amor e luta que o senhor Brígido e dona Glória construíram esta numerosa família e escreveram no livro da perpetuação da espécie humana uma bela história. Dona Maria da Glória que guarda na memória, fortes lembranças de seu esposo senhor Brígido, a senhora soube vencer os desafios e construiu não só um patrimônio, mas, uma reputação que lhe rende homenagens e admiração, fruto de sua luta e de seu trabalho.

O senhor Brígido cumpriu com esmero sua missão de pai, contribuiu com seu trabalho e suas iniciativas profissionais lá atrás no início de tudo, para proporcionar uma vida melhor a sua esposa e seus filhos. Foi um homem feliz, porque conseguiu realizar em vida tudo que estava em seu alcance.
Dona Maria da Glória prezada a família. Foto: Arquivo da família

Atualmente, após anos de falecimento de seu esposo é dona Maria da Glória que assume e exerce a posição de gestora da numerosa família Nogueira. Mulher privilegiada, ela sabe na memória a data de aniversário de todos os seus quarenta e nove netos e doze bisnetos. Ela continua igualmente rigorosa, porém amorosa e não é comum ver um neto mais rebelde passando as férias na sua casa, para receber em pequenas doses de formação educacional, afinal, foi a mesma fórmula que ela usou para construir a educação e caráter de seus filhos.   


Dona Maria da Glória continua vivendo na mesma casa em que formou a sua família e diariamente abre a porta para receber filhos e netos que vão em busca da gostosa comida da vovó, sempre preparada com esmero e amor, porém nos finais de semana em acirrada disputa ela visita seus filhos na casa de um de outro.
Com a família reunida. Foto: Arquivo da família
Mulher de vigor incomparável, parece incansável! Durante a semana vai caminhando para sua aula de hidroginástica. Nas terças-feiras vai pessoalmente comprar frutas e verduras para fazer suas deliciosas receitas. Sua família guarda uma história, um determinado dia, um menino da área ajudou dona Maria da Glória com as compras, ao chegar em casa ela o convidou para almoçar e assim procedeu nas semanas seguintes.


Em um desses momentos aquele menino timidamente perguntou se poderia convidar seu irmão para almoçar também, o que ela concordou de pronto, o irmão chamou um amigo que chamou um irmão que chamou um amigo e hoje são quarenta e duas crianças que fazem a alegria de dona Maria da Glória almoçando semanalmente em sua casa, desfrutam daquela mesma refeição que ela faz para filhos e netos, é um coração generoso.
No casamento de Thomaz. Foto: Arquivo da família



E a história continua dona Maria da Glória que chegou a conclusão que alimentar o corpo daquelas crianças não era o suficiente e resolveu alimentar suas almas, afinal, ela é ministra da eucaristia na igreja de sua comunidade, Além de convidar profissionais quase sempre seus netos  para lhe dá orientações de higiene bucal, boas maneiras e outros assuntos pertinentes aquelas crianças.

Casamento de Denis Minev e Luciana Minev. Foto: Arquivo de família
 

Ah! Dona Maria da Glória seus desafios foram atônica de sua caminhada e é nesse ambiente de efervescência de muito amor que a senhora traz para novas gerações a oportunidade de mergulhar em um mundo melhor especialmente na espiritualidade, ouvimos sempre falar que umas das formas da manutenção e perpetuação da espécie é o amor ao próximo, cuja, materialização lhe promove a imortalidade no coração e no olhar de todos aqueles que a senhora aglutina em sua volta.
Dona Maria da Glória. Foto: Arquivo da família

*Informações cedidas pela senhora Luciana Minev

Veja mais notícias sobre Abrahim Baze.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 29 Mai 2020
No Internet Connection