Manaus 30º • Nublado
Segunda, 29 Novembro 2021

Tambacu

O híbrido tambacu é o resultado do cruzamento de ovócitos de uma fêmea do tambaqui e o sêmen do macho de pacu-caranha. Foto: Divulgação/Piscicultura Dal Bosco

 O híbrido tambacu é o resultado do cruzamento de ovócitos de uma fêmea do tambaqui (Colossoma macropomum) e o sêmen do macho de pacu-caranha (Piaractus mesopotamicus).

Segundo o professor doutor em Biologia Aquática e Pesca Interior pelo Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa) Heitor Martins Junior, primeira produção de híbridos interespecíficos de peixes nativos no Brasil que envolvem matrizes de bacias hidrográficas distintas, o tambaqui endêmico da bacia Amazônica, e o pacu, endêmico da bacia do Prata (rios Paraná, Paraguai e Uruguai). 

Entre as características do tambacu estão:


  • Cabeça menor do que o tambaqui;
  • Um pouco mais de carne;
  • Teor de gordura mais baixo que suas espécies genitoras;
  • Em termos de sabor, não há percepção pelos consumidores;
  • O tambaqui é o único peixe com a nadadeira adiposa preenchida com pequenas escamas e apresenta espinhos ou raios nesta nadadeira. O híbrido tambacu apresenta esta nadadeira lisa, sem escamas e de forma lobada;
  • Mudança do padrão de coloração também muda;
  • O tambacu, normalmente, apresenta uma marcação mais amarelada na parte ventral corpo e nas nadadeiras ventrais;
  • O tambacu parece ser mais redondo que o tambaqui, pois o pedúnculo caudal (região da porção final do corpo junto a nadadeira da cauda) é levemente reduzido.

No universo científico e produtivo, o mercado aquícola nacional tem motivado a produção de híbridos, pois uma ou as duas espécies genitoras pode transferir características desejáveis e vantajosas ao híbrido desenvolvido.

Veja mais notícias sobre Amazônia de A à ZT.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 29 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/