Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 30 Outubro 2020

Novos biocosméticos à base de buriti e pupunha são aprovados no Amazonas

MANAUS - Quatro biocosméticos produzidos a partir do buriti e da pupunha tiveram a autorização e a propriedade intelectual protegida junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) e estão prontos para serem produzidos em escala industrial. Os produtos foram desenvolvidos por uma pesquisadora e estagiários do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). As quatro biotecnologias produzidas a partir dos frutos regionais são o sabonete sólido, a emulsão evanescente e o sabonete líquido, todos à base de óleo de pupunha e buriti, e o creme antioxidante à base de óleo de pupunha. Os pedidos de patentes dos produtos tiveram aceitação do Inpi no fim de junho.Os responsáveis pelos produtos e estudos são a vice-coordenadora de Sociedade, Ambiente e Saúde (CSAS/Inpa), a pesquisadora Helyde Albuquerque Marinho; os ex-bolsistas Bruno Olímpio e Jonathas Wellington de Sá; os professores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Maria Rosa Lozano Borrás e Paulo Roberto da Costa, e a professora da Universidade Federal do Pará (Ufpa), Sônia Maria Braga dos Santos. “As patentes concedidas refletem o potencial do Inpa e o seu avanço como uma instituição que desenvolve produtores inovadores vinculados às pesquisas na região Norte”, disse a coordenadora de Extensão Tecnológica e Inovação do Inpa, Noelia Falcão.A coordenadora da Ceti explica que a concessão de uma patente é um fator importante, que garante e resguarda os direitos de propriedade industrial de um produto junto a sua instituição, evitando sua produção e comercialização indevida.Ao todo, o Inpa possui 73 pedidos de depósitos de patentes, somando mais de 100 produtos e processos registrados. Desses, cinco produtos já tem patentes concedida. O Instituto disponibiliza um portfólio de tecnologias para empresas ou possíveis investidores interessados em produzi-las em escala industrial.Biocosméticos amazônicos As cores acentuadas do buriti e da pupunha são fortes indicadores da presença do carotenóide (pigmento natural encontrado em frutos vermelhos, alaranjados ou amarelos) que são substâncias ricas em betacaroteno (pró-vitamina A), que ajudam a proteger as células dos efeitos nocivos dos radicais livres que causam o envelhecimento precoce da pele e, ainda, preservam o colágeno, aumentando a elasticidade e tonicidade da pele. Extraído da polpa, os óleos do buriti e da pupunha presentes nos sabonetes sólido e líquido, na emulsão evanescente e no creme antioxidante, proporcionam maior elasticidade à pele e a protege dos radicais livres. “Selecionamos os frutos que tinham a pigmentação mais forte, por terem maior concentração de bioativos, o que garante a eficácia dos produtos” explicou a pesquisadora do Inpa e responsável pelos produtos, Helyde Albuquerque Marinho, do Laboratório de Alimentos e Nutrição do Inpa. Todos os produtos são de baixo custo-benefício, isso porque se utiliza pouca energia térmica e otimização de tempo. O resultado, segundo a pesquisadora, é a alta viscosidade, estabilidade, consistência e melhor aparência dos produtos. “Outra vantagem é que estes óleos ricos em carotenóides podem ser utilizados em cremes cosméticos com baixo custo de produção, e assim podem ser consumidos por todas as camadas sociais”, afirmou Marinho.O Sabonete sólido à base de óleo de pupunha e buriti é rico em ácidos graxos e carotenóides, ajudando na reposição da oleosidade natural da pele, e deixando-a com aspecto aveludada e limpa. Uma das vantagens do creme antioxidante à base de óleo de pupunha está na proteção contra as ações dos radicais livres.

Veja mais notícias sobre Ciência e Tecnologia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 30 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/